Estará a Treinar Bem o Seu Gato?

Sim, eles são independentes e obstinados, mas os felinos podem ser ensinados para que adotem certos comportamentos, para benefício tanto de gatos, como de humanos.Thursday, May 24, 2018

Por Linda Lombardi
ver galeria

O treino sempre fez parte do cardápio, quando se trata de adotar um cão, embora os métodos tenham mudado muito ao longo de gerações. Com os gatos, a história é diferente, mas não deveria ser.

“As pessoas não têm por hábito treinar os gatos, porque vêem-nos como seres independentes e determinados”, afirma Sarah Ellis, coautora de The Trainable Cat.

“O que elas não sabem é que estão, inconscientemente, a treinar os seus gatos todos os dias.”

LEVAR A SUA AVANTE

A má notícia é que as pessoas treinam os gatos para fazerem exatamente o oposto daquilo que pretendem. Quantas vezes não gritou um “Não!” e correu para afugentar o seu gato da bancada da cozinha? E, ainda assim, parece que ele nunca aprende. Há uma razão para tal.

“Pensará, certamente, que está a repreender o seu gato, mas, na verdade, está a dar-lhe atenção inadvertidamente, o que, na cabeça do gato, é melhor do que nada, pelo que ele sentir-se-á recompensado”, afirma Mikel Delgado, um membro pós-doutorado da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia, em Davis.

É um princípio básico do treino: se dado comportamento produz um efeito do agrado do animal, ele reincidirá nesse comportamento.

Por isso, não deixe que esse princípio funcione contra si, mas, sim, a seu favor. “Valorize os comportamentos positivos e ignore os comportamentos que não são do seu agrado”, afirma Delgado.  

O PODER DO PENSAMENTO POSITIVO

O treino permite-lhe comunicar de forma mais eficiente com o seu gato e poderá descobrir que ele também comunica consigo.

Delgado apercebeu-se disso, quando ensinou a sua gata a usar o poste de arranhar, ao invés de arranhar o sofá. “Quando a minha gata queria um doce, ela aproximava-se do poste de arranhar e pousava a pata sobre a sua superfície. Depois, olhava para mim como se dissesse: “Dás-me um doce em troca de umas arranhadelas nisto?”.

Quando começar a ignorar os comportamentos reprováveis, vai precisar de fazer um enorme esforço de contenção.

“No início, o animal vai fazer ainda pior. Por isso, se deixar de se levantar a meio da noite para dar de comer ao seu gato, é provável que ele mie ainda mais alto e caminhe sobre a sua cabeça”, diz Delgado. “É essencial que se mantenha firme e não reaja.”

Os gatos não são sempre independentes e distantes, dizem os especialistas. Na imagem, um felino é fotografado sobre o tejadilho de um veículo em Lincoln, no Nebraska.

Para iniciar um felino no treino de obediência, Ellis sugere que comece por ensinar o seu gato a vir ao seu encontro, sempre que o chamar. Mantenha-se a cerca de um metro de distância e chame pelo nome do seu gato para obter a sua atenção. Depois, diga “Vem”, enquanto segura na mão um doce.

Se necessário, estenda-lhe o doce e depois aproxime-o do seu corpo para que o gato o siga. Repita a atividade até que o gato comece a responder de forma consistente e depois comece a aumentar, gradualmente, a distância a partir da qual chama pelo seu gato.

BOAS RECOMPENSAS

Quando começar a ver os primeiros resultados, pode iniciar o seu gato no treino de comportamentos mais desafiantes, mas muito úteis, tais como tolerar que lhe aparem as unhas ou entrar voluntariamente no cesto de transporte.

O processo deve ser sempre dividido em pequenas etapas. Para aparar as unhas, comece por recompensar o seu gato repetidamente, apenas por permitir que lhe toque na pata.

Logo que perceba que o seu gato se sente confortável com a abordagem, avance para a etapa seguinte. Dê-lhe um doce, quando fizer uma ligeira pressão sobre a pata, para que estenda a garra. Passo a passo, tente apenas aparar uma unha de cada vez, e, em seguida, duas e assim sucessivamente. O processo pode parecer entediante, mas vale bem a pena o esforço para pôr fim às lutas diárias para assegurar os cuidados básicos de higiene.

Assegure-se de que as recompensas são alimentos de que o seu gato gosta. Se os biscoitos para gato não são apelativos o suficiente, experimente alimentos moles ou pequenos pedaços de comida enlatada. Estas recompensas devem ser em quantidades mínimas e certifique-se de que corta na dose das refeições do seu gato para evitar que aumente de peso. As sessões de treino devem ser de curta duração e evite apressar as atividades.

“Geralmente, quando se treina um gato, tende-se a pedir muito, demasiado cedo. Este é o erro mais comum”. afirma Ellis.

O treino justifica todo o esforço. Torna-se muito mais fácil para si cuidar do seu gato, ao mesmo tempo que consolida a relação entre ambos.

As pessoas que treinam os seus gatos “sentem que eles não são apenas estas criaturas independentes e obstinadas que fazem coisas para as aborrecer”, afirma Delgado. “Os benefícios são reais e essenciais ao relacionamento entre animais e humanos e não é assim tão difícil como se pode pensar”.

Continuar a Ler