Nova Espécie de Osga Malhada Encontrada em Reserva de Tigres

É um réptil notívago difícil de encontrar – vive em penhascos íngremes e é muito parecido com outros tipos de osgas.quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Na Índia central, mais precisamente na Satpura Tiger Reserve, uma equipa de cientistas encontrou outro pequeno predador: uma nova espécie de osga.

Com um tamanho semelhante ao da palma de uma mão, não foi fácil encontrar este réptil porque é notívago, habita em penhascos com paredes verticais e é bastante parecido com os seus parentes próximos.

Em 2014, Zeeshan A. Mirza  e David Raju rastejavam por grutas e pela densa floresta perto de uma estação de montanha enquanto procuravam uma outra espécie de osga.

“Esta área é um habitat de ursos, e por aqui a noite pode ser muito assustadora”, afirma Mirza, um biólogo independente.

A certa altura, a equipa reparou num lagarto que subia uma parede perto de uma estrada, lagarto este que tinha uma pele castanha clara com pintas brancas e castanhas escuras. Mirza, um especialista neste tipo de osgas, denominado complexo de Brooke, percebeu imediatamente que tinham descoberto uma nova espécie.

“Apanhar osgas pode ser um grande desafio, porque elas dominam a arte de escapar, desaparecendo facilmente no escuro por entre fendas e outros pequenos buracos de difícil acesso”, como nos conta, por e-mail, Aaron Bauer, um biólogo da Universidade Villanova na Pensilvânia que não esteve envolvido no estudo.

Mirza teve a felicidade de conseguir trazer da expedição cinco exemplares para estudo. “Mesmo a grandes distâncias, os seus olhos refletem a luz das tochas, e isso ajuda a localizá-las”, explica Mirza, cujo estudo foi recentemente publicado na revista Amphibian & Reptile Conservation.

Répteis Resilientes

Já de volta ao seu laboratório, Mirza comparou o ADN dos espécimes com o ADN de sete diferentes espécies de osgas que integram o complexo de Brooke. A investigação genética confirmou a certeza de terem encontrado uma nova espécie, Hemidactylus chipkali. “Chipkali” é a palavra hindu para lagarto.

A H. chipkali tem caraterísticas únicas: as suas pernas são mais delgadas do que as dos seus familiares, e têm menos lamelas digitais – umas estruturas finas, parecidas com pratos que conferem às suas patas a aderência necessária para subir paredes.

Até agora, esta osga não foi encontrada fora da reserva de tigres, portanto o número de indivíduos que compõe esta população é desconhecido.

“Apesar de poder ser ameaçada por uma grande variedade de atividades humanas, não é provável que a espécie se encontre em vias de extinção”, diz Bauer que estudou osgas pelo mundo inteiro durante mais de três décadas.

“A maior parte das osgas tolera um grande número de ameaças, exceto em ilhas onde são introduzidos novos predadores”, acrescenta.  Esta resistência pode ser atribuída ao seu tamanho reduzido, aos seus hábitos noturnos e a capacidade de se esconder.

Ainda assim, o investigador principal deste estudo, Mirza, afirma que a descoberta desta nova espécie de osgas demonstra a necessidade de criar áreas protegidas em outras partes da Índia.

“Está na altura de disponibilizar mais fundos para quem quer estudar outras regiões além dos ghats ocidentais e orientais, considerados hotspots de biodiversidade.”

Continuar a Ler