Animais

Veja Estas Cabras Bizarras Que Trepam Árvores em Ação.

Este vídeo vai fazer com que queira percorrer Marrocos acompanhado pelo som de cascos.Thursday, November 9

Por Christine Blau

Na estrada empoeirada de Marraquexe para a cidade costeira de Essaouira, as árvores de argão dão um toque especial aos campos cor de ferrugem. As plantas retorcidas e espinhosas cultivadas exclusivamente no sudoeste do Marrocos e no oeste da Argélia podem não ser bonitas, mas atraem muitos fãs. Rebanhos de cabras famintas posam nos seus galhos torcidos — por vezes, estão mais de uma dúzia de animais numa única árvore.

Há uma explicação para este estranho fenómeno. As árvores de argão produzem uma fruta que parece uma azeitona enrugada que amadurece todos os anos, perto de junho. As cabras engenhosas adoram o sabor e o aroma amargos desta fruta, e sobem mais de dez metros para comer esta guloseima (que pode ir até 84% da sua dieta). As cabras comem a fruta inteira, mesmo que seja a polpa escondida sob a casca grossa que sabe tão bem. A polpa cobre um caroço que as pessoas querem desesperadamente. Então, o que acontece depois?

As cabras sobem, felizes, mais de dez metros para saborear as frutas da árvore de argão.

Veja o vídeo de um fenómeno animal único com uma cabra 'cíclope' nascida na Ìndia que conseguiu sobreviver.

Na verdade, as cabras excretam os caroços não digeríveis, tradicionalmente recolhidas para produzir o óleo. Hoje em dia, a maioria das mulheres berberes lideram o processo demorado: primeiro, separam a alimentação do animal, depois abrem os caroços à mão para retirar as sementes ricas em óleo para a produção de cosméticos ou alimentos muito caros. Por exemplo, menos de 50 mililitros de óleo de argão 100% puro da Josie Maran custa cerca de 43 euros. O motivo é porque são necessários mais de 30 kg de fruta para produzir um quarto deste ouro líquido. Em Marrocos, o óleo de argão também é usado no pão do pequeno almoço ou para temperar o cuscuz.

Sendo esta uma oportunidade rentável, alguns agricultores compram ainda mais cabras o que, em última análise, representa uma ameaça à sustentabilidade das árvores. Por outro lado, este processo cria mais empregos para as mulheres locais e promove o turismo neste local para testemunharem esta imagem tão invulgar.

As cooperativas de mulheres parecem fazer óleo de argão em todas as colinas da região. Muitos lugares, como a cooperativa Marjana, perto de Ounagha, levaram os turistas a passear pela produção. A ventosa cidade de Essaouira oferece muitas atividades para os amantes desta atividade ou para os veraneantes. Mas mesmo aqueles turistas que estão só de passagem podem ver, mesmo da estrada, as estranhas cabras que trepam às árvores.

Continuar a Ler