Assista ao Salvamento de 10 Cachalotes Encalhados

Os cientistas desconhecem porque é que estes cachalotes gigantes deram à costa numa praia indonésia.segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Veja 10 Baleias Encalhadas Serem Salvas por Dezenas de Pessoas
Veja 10 Baleias Encalhadas Serem Salvas por Dezenas de Pessoas
Os cientistas não sabem ao certo o que poderá ter levado os cachalotes a encalharem na Indonésia.

Resgatar uma baleia de 40 toneladas é, por si só, um feito extraordinário — quando dez cachalotes vivos deram à costa ao largo de Achém, no nordeste da Indonésia, foi preciso um pequeno exército de voluntários para salvá-los. 

Num comunicado enviado por e-mail pela WWF Indonésia, Aryo Tjiptohandono, representante da organização, afirmou que a equipa da WWF, funcionários do ambiente do governo indonésio e a Marinha Indonésia foram enviados para a praia de Ujung Kareng na segunda-feira de manhã. Com atualizações em tempo real na sua página de Facebook, o grupo conservacionista indonésio Whale Stranding Indonesia comentava que as equipas de salvamento trabalhavam ininterruptamente para resgatar os cachalotes.

Transportar baleias de volta ao oceano aberto requer profissionais especializados, equipamento adequado e alguma sorte. Regra geral, uma baleia encalhada numa praia consegue apenas sobreviver um ou dois dias, antes de sucumbir à exposição solar, diz Heidi Pearson, professora na Universidade do Sudeste do Alasca. Pearson já deu apoio ao salvamento de baleias encalhadas no Alasca.

(Descubra também Por que Estão Estas Baleias na Vertical e Paradas no Meio do Oceano)

"Um dos principais perigos é que os órgãos do animal colapsem sobre o seu próprio peso", explica. No mar, as baleias flutuam, mas assim que o seu corpo sai de água, a gravidade começa a fazer-se sentir. As baleias podem também sofrer queimaduras solares e desidratação.

Imagens captadas por um drone da WWF Indonésia mostram um emaranhado de cordas e pessoas a tentar puxar os cachalotes das águas pouco profundas. Neste caso, foram usados rebocadores para levar os animais de volta a mar aberto, mas, noutros salvamentos, recorreu-se a gruas e a macas modificadas.

Por volta da meia-noite, hora local, cinco dos cachalotes tinham já sido transportados com êxito para mar alto. Horas mais tarde, as equipas de salvamento conseguiram transportar mais dois animais. No início da manhã seguinte, os três cachalotes restantes foram dados como mortos, e um dos que tinham sido resgatados voltou à praia e também acabou por morrer.

Os responsáveis pela vida selvagem desconhecem o que terá estado na origem deste fenómeno. Desde sempre que há relatos de baleias a dar à costa, mas encontrar os animais ainda vivos não é frequente.

"Antes que o nosso especialista pudesse fazer a necropsia das quatro carcaças, a situação no terreno descontrolou-se, com o afluxo de uma multidão de curiosos à praia", disse Tjiptohandono. Segundo ele, os moradores locais, ainda que com intenção de ajudar, acorreram ao local, dificultando a tarefa das equipas de salvamento e dos investigadores de mover os animais e colher amostras.

Sem um estudo mais detalhado das carcaças, é difícil saber ao certo o que terá levado a que estes cachalotes ficassem encalhados.

Segundo Pearson, muitas baleias flutuam até à costa e ficam encalhadas quando adoecem. O mesmo pode acontecer quando um destes animais perde o seu sentido de orientação.

"Uma terceira razão é a formação de grupos de baleias. Um dos membros do grupo pode ficar encalhado, o que leva a que outros membros encalhem também, pois a ligação entre eles é muito forte", acrescenta Pearson. "Os animais saudáveis podem ficar encalhados apenas por serem bons amigos."

Também há registos de casos de baleias que ficaram encalhadas devido a interferência sónica ou acústica. Estes animais comunicam através de sonares e chamamentos subaquáticos, de forma que um navio de grande dimensão ou perturbações na água podem interferir com a sua capacidade de navegação.

Pearson reconheceu que, mais frustrante ainda, é "por vezes não sabemos mesmo porque é que os animais encalham."

Ainda que os encalhamentos de cetáceos em massa sejam menos frequentes que um único indivíduo a dar à costa, este acontecimento na Indonésia está longe de ser dos que envolveram maior número de animais. No início deste ano, 82 golfinhos, misteriosamente, deram à costa na Flórida, e o recorde para o maior número de animais encalhados teve lugar em 1946, quando 835 orcas deram à costa na Argentina.

Em 2016, mais de 30 cachalotes encalharam nas orlas do Mar do Norte. Nos seus estômagos, foram encontradas quantidades impressionantes de plástico, embora o encalhamento tenha sido atribuído à perda de sentido de orientação. Os cachalotes têm uma distribuição geográfica muito vasta, podendo ser encontrados em todos os oceanos do planeta. Contudo, a baleação durante os finais do século XIX e inícios do século XX reduziu os efetivos populacionais em mais de 60%. Atualmente, o cachalote é classificado como uma espécie vulnerável pela União Mundial para a Conservação.

A WWF continuará a monitorizar os seis cachalotes resgatados na Indonésia através dos seus drones, para garantir que estes animais continuam seguros nos oceanos.

Veja também:

Vídeo Aéreo Incrível: Jovem Baleia Cinzenta nada com Banhistas
Vista do Olhar da Baleia
Continuar a Ler