Animais

Conheça o Lagarto que Lança Sangue com os Olhos

De lagartixas voadoras a lagartos com "duas cabeças", os lagartos são um grupo excêntrico. Terça-feira, 7 Novembro

Por Liz Langley

Por vezes, os lagartos parecem ser produtos de um mundo passado, mas muitos são mais dinâmicos do que se pensa. Esta semana, olhamos para alguns répteis que são pais babados, absolutamente brilhantes ou simplesmente adoráveis.

LAGARTO-RABO-DE-MACACO

A temperatura do corpo dos répteis depende do ambiente que os rodeia, uma vez que são criaturas de sangue frio. É por isso que é possível ver um aligátor-americano a tomar banhos de sol como se de um turista se tratasse.

Muitos de nós pensam que os répteis também têm uma atitude fria— são distantes e solitários. Mas o lagarto-rabo-de-macaco "vive em pequenos grupos sociais, o que é muito raro nos lagartos", afirma Nassima Bouzid, estudante de  doutoramento da Universidade de Washington.

A maioria dos répteis põe muitos ovos e abandona-os, mas estes lagartos arborícolas assistem ao nascimento das crias e tratam-nas durante "seis meses a um ano — tal como esperaríamos que acontecesse com um mamífero", diz Bouzid.

Além disso, são os maiores lagartos do mundo da família Scincidae, com cerca de 90 cm de comprimento, cauda incluída.

LAGARTO-DE-CHIFRES

Por falar em olhos que lançam sangue... Quando ameaçado, o  lagarto-de-chifres, do sudoeste dos EUA e do México, é capaz de lançar arcos de sangue das cavidades oculares.

Os lagartos costumam esguinchar quando estão entre os dentes de um predador — como a raposa-do-deserto —, para se assegurarem de que acertam no alvo, diz o herpetólogo Wade Sherbrooke, antigo diretor da Estação de Investigação do Sudoeste do Museu Americano de História Natural.

Estes borrifadores de sangue só recorrem a esta medida de defesa com membros das famílias de canídeos e felídeos, como os coiotes ou os linces-pardos, e não a utilizam com aves nem com outros répteis. Mas porque haveria um pouco de sangue de incomodar um carnívoro faminto? 

Sherbrooke usa a imagem de um bife com um pouco de molho inglês ou com um copo de molho inglês para fazer a comparação. O sangue concentrado, sem estar misturado com outras coisas, será desagradável.

LAGARTO-PINTADO

Os machos da espécie de lagartos-pintados, endémica da América do Norte e do México, participam num jogo evolutivo de pedra, papel ou tesoura, no qual um de três tipos de cores está constantemente a superar os outros.

Os machos com a garganta laranja são maiores e mais agressivos do que os das outras duas cores, o que lhes permite dominar mais território e haréns de fêmeas. 

O machos com a garganta azul trabalham em conjunto para defender territórios mais pequenos, velando de perto pelos poucos parceiros que têm. Os machos amarelos, chamados "sorrateiros", infiltram-se no território dos machos laranja e acasalam com fêmeas não vigiadas.

Um estudo realizado em 2010 mostrou que os répteis das três cores já existem há milhões de anos, e que a cor dominante muda ao fim de períodos de alguns anos. Se um tipo de cor desaparecer, os lagartos amarelos serão os primeiros a ser eliminados. 

LAGARTIXAS-VOADORAS

As seis espécies dos Pókemons vivos não voam verdadeiramente, mas planam no cimo das árvores graças a abas cutâneas no corpo e nos membros e a membranas interdigitais.

Estes lagartos bem camuflados, originários do sudeste asiático, têm também aspeto de desenho animado: as membranas interdigitais desta lagartixa têm um formato igual ao da Lisa Simpson.

LAGARTO-DE-CAUDA-CURTA

Pode ser difícil perceber se o lagarto-de-cauda-curta se está a aproximar ou a afastar, mas ter uma cabeça parecida com a cauda é um mecanismo de defesa extremamente útil.

"Os predadores atacam a cabeça, porque essa é a forma de neutralizar a presa", diz Sherbrooke — por isso, ter o que parecem ser duas cabeças pode confundi-los.

E não só, "é melhor ser mordido no rabo do que na cabeça", afirma Sherbrooke.

Continuar a Ler