Animais

Tubarões "Extraterrestres" com Mandíbulas Extensíveis Encontrados em Alto Mar

Os tubarões-víbora são raramente avistados. Acredita-se que vivem a vários milhares de metros abaixo do nível do mar. Quinta-feira, 25 Janeiro

Por Sarah Gibbens

Foram capturados e identificados pela primeira vez em 1986, mas, 32 anos passados, raramente foram avistados e, muitas dessas vezes, tal aconteceu por acidente.

Os tubarões-víbora, Trigonognathus kabeyai, são um tipo de tubarão pequeno que vive em águas profundas. Cinco destes exemplares foram recentemente apanhados ao largo da costa de Taiwan.

Os tubarões foram encontrados durante um inquérito de rotina sobre pesca realizado por um instituto de pesquisa local, de acordo com relatos locais.

Os investigadores afirmaram aos meios de comunicação locais que conseguiram identificar inicialmente a espécie através das suas mandíbulas compridas e estreitas, que incluem filas de dentes afiados como agulhas.

Pouco se sabe sobre estes tubarões raramente avistados, mas um estudo realizado em 2003 analisou 39 espécimes para determinar as suas características físicas. Os cientistas descobriram que, para além de terem uma mordida poderosa, os tubarões também possuem mandíbulas extensíveis, o que lhes permite esticarem-se e morderem os predadores.

Acredita-se que são alimentadores de investida, ou seja, quando caçam abrem a boca inteira para comer a presa. Estudos efetuados sobre o conteúdo do estomago destes tubarões revelaram que, provavelmente, engolem as suas presas inteiras.

No seu corpo, os tubarões-víbora possuem pequenas células que produzem luz e que se denominam fotóforos. Estas células ajudam os peixes a emitir luz em águas profundas, o que pode ajudar os mesmos a caçar ou acasalar. Como todos os tubarões, esta espécie também possui pequenas escamas em forma de V, denominados dentículos dérmicos, o que torna a sua pele resistente e ajuda-os a fugir rápida e tranquilamente.

PORQUE SABEMOS TÃO POUCO SOBRE ESTA ESPÉCIE? 

A União Internacional para a Conservação da Natureza lista o tubarão-víbora como "espécie com informação insuficiente" pois muito pouco se sabe sobre estas populações.

Os tubarões-víbora foram avistados apenas em águas ao longo da costa do Japão, Taiwan e Havai. Segundo entrevistas dadas a um órgão de comunicação social de Taiwan, pensa-se que migram verticalmente, ou seja, nadam até uma profundidade de cerca de 300 metros durante a noite e, durante o dia, nadam até cerca de 150 metros da superfície.

Os espécimes que foram apanhados apresentam comprimentos entre os 25 e os 30 cm, sendo que capturas anteriores revelaram que não mediam mais do que 45 cm.

O seu corpo pequeno e esguio pode ser útil para fugir de redes de pesca, afirmou o biólogo Brit Finucci ao Earth Touch News.

Dos cinco espécimes que foram capturados, um ainda se encontrava alegadamente vivo quando foi retirado de dentro de água. Os investigadores submergiram o espécime na tentativa de mantê-lo vivo para continuar a estudá-lo, mas morreu 24 horas após a sua captura.

Continuar a Ler