Animais

Ursa Resgatada Com Patas Amputadas Aprende a Andar Outra Vez

Depois de uma vida extenuante numa quinta de exploração de bílis de urso do Vietnam, Hai Chan pode experimentar o que é andar na relva, pela primeira vez na sua vida. Terça-feira, 9 Janeiro

Por Heather Brady

Uma ursa-negra asiática que tem as duas patas dianteiras amputadas aprendeu novamente a andar.

A ursa, chamada Hai Chan, foi salva em novembro, depois de ter sido mantida em cativeiro durante dez anos, numa quinta de extração de bílis de urso. O suco biliar é colhido ilegalmente de ursos vivos em algumas partes do sudoeste asiático, onde tem sido utilizado na medicina tradicional há milhares de anos. Contudo, esta é uma prática que causa sofrimento aos animais, e os sucessivos governos têm vindo a tomar medidas para acabar com a tradição.

Hai Chan foi resgatada pela FOUR PAWS, uma organização internacional que se dedica ao bem-estar animal, e foi trazida para o ambiente seguro de Ninh Binh, um novo santuário de ursos no noroeste do Vietnam. Dois outros ursos asiáticos, que também foram resgatados, foram igualmente trazidos para aqui, nos últimos meses.

Os veterinários e os tratadores de animais cuidaram da ursa-negra ferida durante seis semanas, até esta ficar de novo saudável, e Hai Chan consegue agora desfrutar do seu recinto exterior, podendo experimentar uma parte da natureza, talvez pela primeira vez na sua vida.

“O momento em que as portas para o recinto exterior se abriram e Hai Chan colocou o seu focinho de fora da casa dos ursos, toda a nossa equipa estava tomada pela emoção”, descreve Szilvia Kalogeropoulu, uma veterinária da FOUR PAWS, numa comunicação à imprensa. “Esta é a primeira vez que Hai Chan caminhou na relva. Apesar de lhe faltarem as duas patas dianteiras, ela consegue caminhar sobre as partes rasas das suas patas dianteiras e sobre os seus cotos... é um milagre que ela tenha conseguido reunir forças para fazer isso tão rapidamente.”

Quando Hai Chan foi resgatada, a ursa estava a viver numa pequena gaiola de metal, numa sala suja e pouco ventilada de uma quinta. Ela sofria com o inchaço das glândulas suprarrenais e com o stress; a má-nutrição e o processo de extração de bílis tinham feito estragos na sua saúde.

Quando os socorristas a encontraram, as suas patas já tinham sido amputadas, provavelmente para produzir vinho de pata de urso. Frascos cheios de vinho com as patas dos ursos ainda no seu interior são presentes caros na Ásia.

E não são apenas utilizadas as patas de ursos na execução deste tipo de vinho. Frascos de vinho com pangolins, cobras, lagartos e outras espécies de vida selvagem também podem ser encontrados, apesar das medidas repressivas do governo em relação ao tráfico de animais selvagens. As patas de urso são também vendidas como pomposos pratos para comida em restaurantes asiáticos requintados e são utilizadas na confeção de sopas.

Vender e consumir bílis de urso foi proibido no Vietname. Contudo, a FOUR PAWS chama a atenção para o facto de o comércio ilegal de bílis de urso estar a florescer e que centenas de ursos ainda sofrem em quintas semelhantes àquela onde Hai Chan foi encontrada.

Na última década, a FOUR PAWS tem trabalhado em conjunto com o governo vietnamita para tentar eliminar essas quintas ao registar todos os ursos em cativeiro, obrigando os agricultores a comprometerem-se a nunca mais extraírem bílis de urso, e assegurando-se de que não são trazidos novos espécimes para as quintas. A organização lançou também uma campanha internacional para fazer pressão sobre o governo de forma a acabar de vez com estas quintas.

Continuar a Ler