Pandas-Vermelhos Resgatados - Serão os Próximos Animais de Estimação do Mercado Negro?

Uma apreensão de animais em perigo no Laos indicia um interesse crescente nestes animais.

Publicado 1/02/2018, 20:56

O negócio da caça furtiva de animais de estimação exóticos — de papagaios falantes a primatas notívagos — é prejudicial para milhões de animais selvagens e ameaça as suas populações. Poderão os ameaçados pandas-vermelhos — animais mais ou menos do tamanho de um gato doméstico e com uma aparência adorável — ser a próxima espécie em voga?

É a questão que preocupa Rod Mabin, diretor de comunicação regional da Free the Bears, uma organização de conservação sediada na Austrália que administra santuários no sudeste asiático. No dia 13 de janeiro, a equipa de Mabin ajudou os responsáveis alfandegários do Laos a resgatarem seis pandas-vermelhos. Tinham sido encontrados durante uma inspeção aleatória de uma carrinha a 16 quilómetros da fronteira com a China.

De acordo com Mabin, o incidente marca a primeira vez que pandas-vermelhos foram apreendidos no Laos, sendo provavelmente o maior resgate de pandas-vermelhos até à data. "Foi uma surpresa para todos nós", apontou Mabin, cuja equipa transportou os pandas para o santuário da organização em Luang Prabang. "Suspeitamos que se dirigiam ao comércio de animais de estimação exóticos."

Este panda-vermelho foi resgatado, juntamente com outros cinco, no Laos a 13 de janeiro de uma carrinha perto da fronteira com a China. Acredita-se que se destinavam a ser vendidos como animais de estimação.
Fotografia de Rod Mabin, Free the Bears

Os pandas — mantidos em jaulas individuais — foram levados para uma parte não monitorizada da fronteira para depois serem colocados numa carrinha, disse Mabin, citando as autoridades. Os agentes de autoridade prenderam o condutor, um homem do Laos, que terá dito que planeava transferir os animais para outro veículo numa paragem de camiões na cidade nortenha de Luang Namtha. Embora o condutor tenha afirmado que não tinha conhecimento do destino final dos pandas, Mabin acredita que tinham como destino a Tailândia, um eixo operações ilegais relacionadas com a vida selvagem.

Três dos pandas, que, segundo Mabin, "tremiam e pareciam muito doentes" acabaram por morrer. Os outros parecem gozar de boa saúde e estão a ser analisados para verificar se têm doenças no santuário, onde permanecerão indefinidamente.

De acordo com a União Internacional de Conservação de Natureza, os pandas-vermelhos vivem em vertentes de montanhas situadas entre a China central e o Nepal.  Apesar do nome, estes mamíferos que se alimentam de bambu têm o seu próprio género e, na verdade, estão mais próximos dos ursos e dos guaxinins dos que dos pandas-gigantes.  As populações têm vindo a diminuir devido à desflorestação e, em menor medida, à caça furtiva para o comércio internacional de animais de estimação.

Pretensamente, os pandas-vermelhos são protegidos pela legislação local e por um tratado que proíbe a venda internacional, mas, nos últimos anos, foram feitas várias apreensões das suas peles de tom laranja-avermelhado na Ásia. Também houve pelo menos um incidente relacionado com a tentativa de venda de carne destes animais na China e outro em que foram confiscados pandas-vermelhos num veículo na China que tinham como destino o mercado de vida selvagem.

O panda-vermelho resgatado à esquerda — e outros dois — acabaram por morrer de doença mais tarde.
Fotografia de Rod Mabin, Free the Bears

Mabin receia que as mais recentes apreensões sejam o indício de que há mais pessoas à procura destas criaturas de olhos arregalados e bochechas redondas, que são frequentemente estrelas de vídeos do YouTube devido ao seu aspeto encantador. "Não houve muitos registos de apreensões de pandas-vermelhos vivos", refere Mabin. "Este é um sinal preocupante de que se está a tornar uma espécie desejada."

O aumento da procura de pandas-vermelhos afetaria as populações destes animais na natureza — os encargos da criação em cativeiro tornam a atividade pouco lucrativa. Mas, de acordo com Damber Bista, da Red Panda Network, uma organização dedicada a ajudar à conservação de animais, os pandas-vermelhos não são bons animais de estimação. "As crias poderão, até certo ponto, ser amigáveis nos primeiros tempos, mas os adultos não são amigáveis nem com outros pandas", escreveu numa mensagem de correio eletrónico. Acresce que são difíceis de manter: comem cerca de um quarto do peso corporal por dia e são capazes de defecar o equivalente ao seu peso corporal numa semana.

O mercado de animais de estimação global encontra-se em ascensão, o que o torna "um dos fatores mais devastadoras do comércio de vida selvagem", disse à National Geographic Chris Shepherd, que trabalhou no grupo de monitorização de comércio de vida selvagem TRAFFIC. Embora alguns animais de estimação exóticos sejam criados em cativeiro, outros, como os lémures e alguns lagartos, são arrebatados do seu habitat natural, o que significa uma ameaça para a sua existência. É comum estes animais morrerem durante a captura e o transporte e, mesmo que cheguem vivos à casa do novo dono, é frequente sofrerem na nova situação em que se encontram e não conseguirem comportar-se, comer e movimentar-se como fariam em condições naturais.

No que se refere aos pandas-vermelhos, "este caso indicia uma situação perniciosa", diz Brista. "Não há dúvida de que poderá piorar", se as pessoas não forem sensibilizadas para os danos associados ao comércio ilegal de animais de estimação.

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Animais
Tráfico de Besouros Raros Para o Japão Atinge Níveis Alarmantes
Animais
Lémures de Madagáscar Estão a Ser Mortos Durante o Confinamento
Animais
Crimes de Vida Selvagem e Abusos dos Direitos Humanos nos Navios de Pesca de Taiwan
Animais
Armadilhas que Outrora Aprisionavam Vida Selvagem no Uganda São Agora Peças de Arte
Animais
Pandemia Aumenta Caça Furtiva no Uganda

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados