Animais

Será este Fóssil uma Cria de Tyrannossaurus Rex?

Foi descoberto um conjunto completo de dentes da mandíbula superior de um fóssil, juntamente com fragmentos de ossos da anca e do crânio.Sunday, May 27

Por Sarah Gibbens

Hell Creek é o paraíso dos paleontólogos. O refúgio de vida selvagem no estado do Montana cobre-se de argila e pedras que escondem pistas, que apontam para o nosso passado pré-histórico.

Foi em Hell Creek que os investigadores da Universidade do Kansas descobriram, recentemente, o que acreditam ser os restos mortais de um jovem Tyrannossaurus Rex.

"Estávamos a fazer uma prospeção no terreno e um aluno deparou-se com alguns fragmentos de osso,” afirma David Burnham, paleontólogo na Universidade do Kansas. Em Hell Creek, é inevitável que não nos deparemos com vestígios do nosso passado pré-histórico. "Se, por cada fóssil descoberto, assinalássemos o local no mapa com um ponto preto, teríamos uma tela preta”.

Nesta zona, foram encontrados fósseis de diferentes períodos e este não é o primeiro de um T. Rex a ser descoberto, mas os cientistas da Universidade do Kansas acreditam que seja o mais bem preservado. Foi encontrado intacto o fóssil da parte superior da mandíbula de um dinossauro, com a totalidade dos dentes. Os paleontólogos também desenterraram partes do crânio, pé, anca e coluna vertebral.

Se as ossadas pertencem, de facto, a um T. Rex, isso significa que teriam cerca de 66 milhões de anos.

Para além da singularidade da descoberta, os cientistas acreditam que os fósseis podem pertencer a um jovem dinossauro.  

"E eles são difíceis de encontrar," afirma Burnham. "Estes fósseis gozam de particular importância, porque temos à nossa disposição vários ossos, com a totalidade dos dentes”.

Burnham afirma que os dentes limpos até ao momento sugerem tratar-se de um jovem T. Rex, mas será necessário efetuar mais estudos para afirmar com certeza absoluta.

"Nós não somos nada parecidos, em adultos, àquilo que éramos enquanto jovens,” afirma, realçando, por exemplo, como o crânio de um ser humano muda ao longo da vida. Burnham refere que o mesmo se aplica ao T. Rex, embora seja difícil saber ao certo de que forma esses crânios mudaram, já que escasseiam as ossadas de dinossauros jovens.

Novos estudos permitirão à equipa perceber se, efetivamente, têm em mãos um jovem T. Rex ou, possivelmente, um Nanotyrannus, um género de tiranossauro pequeno que tem sido objeto de aceso debate científico. Muitos paleontólogos acreditam que os chamados fósseis Nanotyrannus são, na verdade, espécimes jovens de T. Rex.

"Mantemos todas as possibilidades em aberto,” afirma Burnham sobre o estudo das ossadas. Ele acredita que o fóssil poderá ser a pedra de toque, que contribuirá para clarificar o debate paleontológico.

"Sabemos que a sua importância será vital. Há muito que esperávamos por um fóssil com estas características, pelo aporte de informação que trará ao conhecimento científico,” acrescenta. E, enquanto se tenta traçar uma imagem mais clara do dinossauro através da análise dos fragmentos do seu crânio, Burnham refere que as escavações ainda não foram concluídas. Este verão, ele e a equipa de investigação tencionam regressar ao local onde foram encontrados os restos fossilizados do dinossauro.

"Gostaríamos de encontrar um fémur ou uma tíbia,” afirma, mas acrescenta que vão tentar encontrar os elementos em falta do esqueleto do dinossauro.

Continuar a Ler