Lições do Crocodilo de Tentúgal

O que pode Portugal ensinar ao mundo, depois de mais uma enorme descoberta? Conheça o Crocodilo de Tentúgal.segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Por National Geographic

Mais um fóssil importantíssimo foi descoberto em Portugal, e desta vez de um crocodilo, o maior do Mundo. E, até à data, o mais antigo.

Até agora, pensava-se que os crocodilos mais antigos tinham surgido há 75 milhões de anos. A descoberta de um crânio e uma mandíbula de crocodilo com 95 milhões de anos, perto de Tentúgal, vem mudar a visão sobre a origem dos crocodilos. Afinal, surgiram na Terra 20 milhões de anos mais cedo do que se supunha.

CONTEXTUALIZEMOS OS CROCODILOS

Apesar de se referir à ordem Crocodilya como crocodillos, os verdadeiros crocodilos pertencem na verdade à família Crocodylidae. A ordem Crocodilya engloba mais répteis do que os crocodilos, incluindo os aligátores, caimões ou jacarés (ambos da família Alligatoridae) e os gaviais (da família Gavialidae).

Pensava-se que a ordem Crocodilya tivesse evoluído há cerca de 75 milhões de anos, situando-se assim no Cretáceo Superior. O grupo de répteis chamado de Falso Crocodilo, Pseudosuchia é bem mais antigo, recuando uns 240 milhões de anos, ao Triássico – sim, ao período onde apareceram os primeiros dinossauros.

No entanto, esta noção, a da antiguidade e origem da ordem Crocodilya, estaria prestes a mudar. Para compreendermos, precisamos de recuar cerca de 16 anos, ao Baixo-Mondego.

DESCOBERTA FASCINANTE EM COIMBRA

Em 2003 uma jovem estudante de mestrado, agora geóloga e professora, Matilde Azenha fazia uma tese de mestrado sobre a importância das aulas de campo na aprendizagem. E, em pleno estudo, encontrou um fóssil perto de Tentúgal, Casal dos Carecos.

A geóloga em formação encontrou, há 16 anos, parte de um crânio e de um osso de uma mandíbula inferior, de um animal que parecia ser um crocodilo, encerrado numa rocha. Nada de fascinante, até aqui? Estão enganados.

Este fóssil tinha duas coisas impressionantes: a idade, 95 milhões de anos, e uma abertura no osso da mandíbula. E aqui é tudo se torna mais interessante. Para serem classificados de crocodilos, e não crocodilomorfos – répteis parecidos com crocodilos -os répteis teriam de ter uma abertura no osso da mandíbula.

E para que servia este “buraco”? Provavelmente para acomodar uma passagem de músculos, nervos e artérias, que faria destes crocodilos mais bem sucedidos no cenário da evolução. Muito provavelmente, sem esta mandíbula especial, os crocodilos não teriam chegado aos dias de hoje.

Assim, o crocodilo de Tentúgal, mais tarde batizado como Portugalosuchus azenhae numa clara menção a Portugal, e homenagem à descobridora Matilde Azenha, seria pertencente à Crocodilya. No entanto, esta nova espécie desafiava aquilo que os cientistas pensavam: talvez os crocodilos tenham surgido antes do que se pensava.

 

IMPLICAÇÕES E LIÇÕES DO CROCODILO DE TENTÚGAL

Depois de, a 6 de Dezembro de 2018, um artigo ter sido publicado no Zoologic Journal of the Linnean Society pelos investigadores Octávio Mateus e Eduardo Puértolas-Pascual da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, e Pedro Callapez da Universidade de Coimbra, foi aceite que este Portugalosuchus azenhae, o crocodilo de Tentúgal, representaria o membro mais antigo da ordem Crocodilya.

Significa também que esta ordem será cerca de 20 milhões de anos mais antiga do que se pensava. Mas não só. A descoberta do fóssil do crocodilo de Tentúgal vem cobrir uma falta que existia nos registos fósseis deste tipo entre o Barremiano (entre 125 e 129.4 milhões de anos) do Cretáceo Inferior e o Cenomaniano (entre 93.9 e 100.5 milhões de anos) do Cretáceo Superior. Além disso, esta descoberta parece sugerir que, de alguma forma, a origem da Crocodilya pode ter tido lugar na Europa.

QUAL O DESTINO DO CROCODILO DE TENTÚGAL?

O crocodilo mais famoso do momento, o crocodilo de Tentúgal, irá em breve integrar a coleção do Museu da Lourinhã, para que todos possam apreciar esta descoberta.

E se estiver esquecido, a Lourinhã é casa de uma formação geológica, a formação da Lourinhã, riquíssima em fauna fóssil - sobretudo de dinossauros, com ossos, pegadas e ovos.

De qualquer forma, o crocodilo de Tentúgal é, sem dúvida alguma, um dos mais recentes membros dos mais importantes fósseis de Portugal.

Continuar a Ler