Animais

Tubarões-Tigre Gigantes Comem Pássaros 'Domésticos'

Esta é a primeira confirmação científica de que estes predadores vorazes comem aves terrestres com regularidade.quinta-feira, 23 de maio de 2019

Por Jake Buehler
Um tubarão-tigre a nadar ao largo das Bahamas. Estes predadores comem um pouco de tudo e têm sentidos de visão e olfato muito apurados.

Os tubarões-tigre estão entre os predadores mais imponentes dos mares tropicais. Atingindo comprimentos de 5 metros ou mais, estes peixes bestiais também têm apetites insaciáveis, devorando um pouco de tudo, desde tartarugas marinhas até pneus de borracha.

Agora, uma nova investigação sugere que os tubarões-tigre recém-nascidos têm um item ainda mais estranho no seu cardápio: pássaros comuns dos nossos quintais.

O líder do estudo, Marcus Drymon, tropeçou na descoberta em 2010, quando apanhou um pequeno tubarão-tigre para um projeto de investigação no Golfo do México.

“Trouxemo-lo para o barco e estávamos prontos para o medir, pesar, etiquetar e libertar, quando ele vomitou uma massa enorme de penas”, diz Drymon, investigador de pescarias marinhas na Universidade Estadual do Mississippi.

Uma carriça-de-pântano a cantar nas gramíneas de praia, na Money Island de Nova Jersey.

“Claro que, sendo cientista, recolhi todas as penas para fazer análises no laboratório.”

Afinal as penas pertenciam a uma ave canora, e não a uma das muitas aves marinhas – como as gaivotas, os pelicanos ou os cormorões – que os tubarões-tigre costumam comer.

Outros cientistas já haviam relatado que os tubarões-tigre comiam aves terrestres, mas essas ocorrências eram pontuais. O novo estudo, publicado no dia 21 de maio na revista Ecology, é a primeira evidência confirmada de que os tubarões-tigre comem aves terrestres com regularidade.

Perseguir Tubarões
Depois da descoberta inicial, Drymon e os seus colegas decidiram incluir as dietas dos tubarões-tigre no projeto.

Quando os cientistas capturam tubarões-tigre – pequenos o suficiente para serem manuseados a bordo – fazem-lhes uma "lavagem gástrica", colocando um tubo de PVC com uma mangueira nas suas bocas, enxaguando depois o conteúdo do estômago para uma peneira, para ser catalogado. Os tubarões – geralmente recém-nascidos, com apenas um metro de comprimento – são depois libertados, ilesos.

Ao longo de oito anos, dos 105 tubarões estudados, 41 tinham restos de aves parcialmente digeridos nas suas entranhas. Quando a equipa identificou os restos, recorrendo a análises de ADN, descobriu que provinham todos de 11 espécies de aves terrestres norte-americanas.

Uma andorinha-de-pântano a forragear na Reserva Nacional de Vida Selvagem de Blackwater, em Maryland.

Pássaros em Movimento
Curiosamente, a maioria das aves, como os pardais-de-pântano e as carriças-de-pântano, eram passeriformes – os pássaros que costumamos ouvir cantar por todo o lado.

Mas como é que tantas aves terrestres foram condenadas a este destino salgado? Drymon e a sua equipa usaram dados recolhidos pelo projeto de cidadania de ciência, eBird, para determinar a abundância sazonal destas aves no Mississippi e no Alabama. Os resultados demonstraram que cada espécie costuma aparecer nos estômagos dos tubarões exatamente na mesma altura em que a sua prevalência local atinge o auge.

Um tubarão ameaça um jovem albatroz, no atol de French Frigate Shoals, no Havai.

“É um forte indício de que este fenómeno está ligado à migração de aves canoras”, diz Drymon.

Como muitas das aves canoras foram comidas durante o outono, Drymon acredita que estas podem ter caído na superfície do oceano depois de terem sido atingidas por severas tempestades outonais, quando as aves partiam para as latitudes austrais, fazendo delas presas fáceis para os tubarões.

Aparentemente, os tubarões também repararam no excesso sazonal de calorias emplumadas, uma vez que a equipa de Drymon descobriu que a abundância de tubarões-tigre juvenis na área, entre agosto e novembro, é três vezes superior ao normal. Essas agregações de tubarões-tigre, motivadas pela alimentação, também são observadas noutros lugares, como no atol de French Frigate Shoals, no Havai, onde os predadores se alimentam de jovens albatrozes.

Veja Como é a Experiência de Nadar Com Tubarões-Tigre
Veja Como é a Experiência de Nadar Com Tubarões-Tigre

Comida de Bebé?
“Mas o que torna esta situação ainda mais interessante é que a grande maioria destes indivíduos são tubarões-tigre recém-nascidos”, diz Drymon.

É possível que as mães dos tubarões-tigre tenham as suas crias a norte do Golfo do México, já que os mais jovens podem capitalizar nas oportunidades sazonais de captura de aves canoras.

Samantha Munroe, bióloga marinha na Universidade de Adelaide, na Austrália, diz por email que o estudo "ajuda a mudar a nossa perceção da ligação entre as espécies terrestres e marinhas".

E também “fornece um ponto de partida para uma miríade de outras questões de investigação interessantes”, diz Munroe, que não esteve envolvida no estudo.

Por exemplo, serão as aves canoras mais nutritivas que as outras presas? “Estudos futuros poderão avaliar a riqueza energética ou nutricional das aves terrestres comparativamente com outras presas”, diz Munroe, “e também poderão ajudar a clarificar o quão importantes são as aves canoras para a dieta e sobrevivência dos tubarões-tigre”.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler