Animais

A Vida dos Animais Polares nos Locais Mais Frios do Planeta

Estas espécies dependem do frio para sobreviver. Mas, com a subida das temperaturas, as suas vidas ficam mais difíceis. Terça-feira, 14 Maio

Por Natasha Daly

Os pinguins-imperador são extremamente bons a manterem-se quentes no inverno gelado da Antártida. Os seus grupos apertados, que podem incluir várias centenas de aves, são tão eficazes a conservar o calor que os pinguins não conseguem ficar juntos durante por muito tempo – aquece demasiado. Em 2015, os cientistas descobriram que as temperaturas no meio do grupo podem atingir os 37 graus.

Os pinguins-imperador são os únicos animais que se reproduzem durante o inverno antártico, viajando para o interior, muitas vezes a distâncias de 80 a 160 km, para acasalar e incubar um único ovo. Enquanto o macho incuba o ovo, durante cerca de dois meses, a fêmea regressa ao gelo para se alimentar. É um sistema que funciona como um relógio – desde que as condições se proporcionem.

Ter uma determinada quantidade de gelo marinho no seu habitat é crucial. Um estudo de 2014, feito pela Instituição Oceanográfica Woods Hole, revela que o excesso de gelo marinho significa que os pinguins têm de viajar mais para se alimentarem e aos seus filhotes, ameaçando as probabilidades de sobrevivência das crias. Pouco gelo marinho significa que há menos comida – e menos proteção contra os predadores.

A perda de gelo marinho é a maior ameaça para os pinguins-imperador. Com o aquecimento das águas e o degelo provocado pelas alterações climáticas, os pinguins enfrentam uma série ameaça de declínio populacional. O estudo conclui que, até 2100, muitas das colónias terão metade do seu tamanho atual.

Desde a década de 1980, o Ártico perdeu mais de um milhão de metros quadrados de gelo marinho, uma área do tamanho do Alasca, Califórnia e Texas juntos. Por isso, os ursos-polares e os pinguins lutam para encontrar comida. As morsas, que têm as suas criar junto ao gelo marinho, foram forçadas aglomerar-se em terra, mas o degelo acentuado coloca as crias em perigo de morte.

Com o aquecimento do planeta, as espécies polares lutam para não perder o frio. Apesar das alterações climáticas afetarem animais em todos os habitats da Terra, é nos polos que se manifestam mais drasticamente, com habitats gelados inteiros a desaparecer no oceano.

Eis as fotografias de animais que prosperam em temperaturas negativas.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Hostile Planet: Domingos às 21:40

Continuar a Ler