Espécies de Aves em Perigo em Portugal

Há espécies de aves que se encontram sob ameaça e luta pela sobrevivência em Portugal. Saiba quais neste artigo.

Thursday, January 16, 2020,
Por National Geographic
Atchafalaya Delta
Atchafalaya Delta, Refúgio Nacional de Vida Selvagem de Atchafalaya, no Louisiana.
Fotografia de James P. Blair/National Geographic Creative

Portugal é o quarto país da Europa com mais espécies em risco de extinção, de acordo com a última Lista Vermelha, publicada a 18 de julho de 2019, pela Birdlife International e a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), financiada pela Comissão Europeia, que revela números preocupantes sobre a conservação de espécies na Europa. Nesta lista, com publicação de 10 em 10 anos, ressaltam-se 28 mil espécies ameaçadas em extinção, incluindo 14% de aves.

O papel da UICN
A União Internacional para a Conservação da Natureza tornou-se a fonte de informação mais abrangente sobre o estado global de conservação de espécies de animais, fungos e plantas. Tem a função de medir a saúde da biodiversidade mundial, sendo considerada uma ferramenta fundamental para informar e promover ações para a conservação da biodiversidade, tal como a mudança de políticas a fim de proteger os diversos recursos naturais.

Freira-da-madeira integra a lista de aves em perigo.
Fotografia de Atlas das aves marinhas em Portugal

Espécies em risco de extinção em Portugal
Em Portugal são muitas as espécies ameaçadas, de acordo com a Lista Vermelha, destacando-se o painho-de-monteiro, o britango e a águia-imperial.
Estão ainda identificadas 22 espécies que se encontram sob ameaça na União Europeia, destacam-se a pardela-balear, criticamente em perigo, a freira-da-madeira, o brtango e o priolo, este último já em perigo. Outras espécies sob clara ameaça são a rola-brava, o zarro, a piadeira, o arrabio, o tordo-zornal e o tordo-ruivo, todas elas espécies passíveis de serem caças em Portugal.

No período de três anos, as espécies ameaçadas em Portugal quase duplicaram. Dentro das aves, destaca-se a Ave de Rapina de grande envergadura habita exclusivamente na Península Ibérica. O seu estado de conservação em Portugal continua a estar “criticamente em perigo”. O impacto de ameaças como o envenenamento, perseguição direta através do abate, pilhagem, destruição de ninhos e perturbação dos locais de nidificação são a grande causa.

A Águia-Imperial é uma das aves de rapina mais raras do mundo, esteve extinta em Portugal enquanto reprodutora durante mais de 20 anos, até que no ano de 2003 voltou a procriar. Para aumentar a população desta espécie no país, decorrem as ações do projeto LIFE Imperial.

O Abutre-preto é classificado como espécie criticamente em perigo. Devido à diminuição de presas silvestres, as espécies predadoras e necrófagas sofreram um grande declínio. Estes são considerados aves oportunistas e, apesar da diminuição da espécie em território português, este abutre acabou por se adaptar ao ambiente de escassez e a procurar alternativas alimentares, acabando por se alimentar de carcaças de gado, como ovelhas e cabras.

Os principais culpados das causas da extinção e do perigo das espécies são, claramente, a utilização intensiva das terras, a exploração excessiva dos recursos, as alterações climáticas, as poluições e as espécies invasoras. Mas é possível contornar este problema.

Estas são algumas medidas de prevenção e conservação das espécies em território nacional e no estrangeiro:
- Manutenção de técnicas agrícolas tradicionais;
- Controlo da expansão das áreas de regadio e das zonas florestais com espécies de crescimento rápido;
- Controlo das espécies invasoras não indígenas (exóticas);
- Reabilitação das áreas florestais autóctones e prevenção dos incêndios florestais;
- Gestão sustentável das espécies e fiscalização das atividades de exploração da fauna selvagem, como a caça;
- Implementação de políticas de sensibilização ambiental;
- Estimular o interesse da população pela conservação do património natural.

Continuar a Ler