Animais

50 Novas Espécies de Aranhas Descobertas na Austrália

Entre as novas espécies descobertas, há aranhas capazes de mergulhar, saltar e dançar (e há uma que tem o tamanho do rosto humano).

Por Sarah Gibbens

Há mais 50 motivos para os aracnofóbicos se manterem atentos na Austrália.

Uma equipa constituída por 23 cientistas e guardas-florestais identificou 50 novas espécies de aranhas durante uma missão de duas semanas pelas florestas australianas. 

Numa entrevista à Australian Geographic (não está relacionada com a National Geographic), Robert Raven, um dos quatros aracnologistas da expedição, afirmou que a diversidade de aranhas descobertas era inacreditável.

De acordo com o relatório da revista, as aranhas têm tamanhos muito diferentes: há desde pequenas aranhas do tamanho de uma unha até tarântulas enormes, cujas pernas podem ter uma envergadura do tamanho de um rosto humano. Estes animais foram encontradas na península de Cape York, no norte de Queensland, Austrália.

Uma das espécies que tem provocado um grande entusiasmo entre os cientistas é a aranha-pavão, que exibe uma dança elaborada para atrair as fêmeas. Entre as outras notáveis espécies descobertas estão as aranhas que imitam o comportamento das formigas e as aranhas que mergulham à superfície da água.

Raven descobriu esta espécie aquática de aranhas num riacho com pouca profundidade, a meio da noite. Quando comunicou as descobertas à Australian Geographic, Raven referiu que estas aranhas são capazes de ficar submersas durante longos períodos de tempo, e que a equipa de pesquisa tenciona estudar em pormenor o ADN desta espécie.

A pesquisa fez parte de uma expedição chamada Bush Blitz, financiada pelo governo australiano e por entidades privadas, como a BHP Billiton Sustainable Communities e a Earthwatch. Desde o início da investigação, já foram realizadas 34 expedições e descobertas, aproximadamente, 1200 espécies.

As 50 aranhas recentemente descobertas elevam para 201 o número total de espécies encontradas na Austrália no âmbito do programa Bush Blitz, que teve início em 2010. Já foram identificadas 3500 espécies de aranhas na Austrália, mas estima-se que o número de espécies por identificar possa ser superior a 15 000.

Numa entrevista ao Guardian Australia, Barbara Baehr do Museu Queensland afirmou que a abundância de aranhas na Austrália se deve provavelmente à riqueza ecológica da região e a uma estação chuvosa adequada.

Os esforços na investigação estão a ser levados a cabo para identificar várias espécies na floresta australiana, recorrendo à ajuda de guardas florestais indígenas que conhecem a região como ninguém. Por sua vez, os guardas-florestais adquirem mais conhecimento científico sobre o território que está sob a sua responsabilidade.

A área de Cape York conta agora com uma das maiores concentrações de aranhas na Austrália, o que motivou os investigadores do programa Bush Blitz a atribuir-lhe, de forma informal, o título de “capital das aranhas” do país.

“Esta foi a maior quantidade de espécies descobertas durante uma só expedição, no âmbito do programa Bush Blitz”, referiu a equipa de investigação num press release.

A região de Queensland onde foram descobertas as aranhas é conhecida como Quinkan Country. O Departamento de Energia e Ambiente da Austrália está a analisar a possibilidade de incluir Quinkan Country na lista do património nacional. Esta inscrição representa o reconhecimento da região enquanto local de “enorme valor patrimonial”. 

Os investigadores da equipa do Bush Blitz têm esperança de que o número elevado de espécies descobertas ajude a impulsionar  a decisão do governo em proteger a região. Brad Grogan, diretor da Western Yalanji Aboriginal Corporation, espera que o reconhecimento da região aumente tendo em conta a sua biodiversidade.

“Espero que esta expedição nos ajude a identificar áreas de elevado valor do ponto de vista da natureza, a fim de as protegermos para o futuro”,  disse Brad.

Continuar a Ler