Animais

Esta aranha destrói os genitais femininos para prevenir futuro acasalamento

Algumas aranhas de tecelagem em globo, garantem a sua paternidade mutilando os genitais dos seus parceiros, a primeira descoberta desta índole na natureza, diz um novo estudo.

Por Michael Greshko

5 novembro 2015

Falemos de amor duro— algumas aranhas macho cortam as partes genitais das fêmeas para impedi-las de acasalar novamente, diz um novo estudo.

O comportamento garante que o macho vai ser o pai de todas as suas crias e é o primeiro a sugerir que os machos desenvolvem comportamentos para mutilar as partes externas dos genitais das fêmeas.

Publicado a 5 de Novembro na Current Biology, a descoberta adiciona informações sobre a teoria da seleção sexual, que defende que os machos e fêmeas de uma espécie competem pelas oportunidades de acasalamento—mesmo que isso os mate

“Por esta altura estamos a descobrir adaptações surpreendentemente novas ” diz Jutta Schneider, uma biologista da Universidade de Hamburgo que não estava envolvida no estudo, mas colaborou com alguns dos seus autores. “Esta competição tem um poder enorme.”

As aranhas em particular tornam-se bizarras em busca do sucesso sexual, desenvolvendo de tudo, desde o canibalismo à autocastrarão, para acasalarem.

Mas os investigadores ainda não estudaram de perto como os machos mexem com a estrutura dos genitais femininos—uma ideia que a biologista Gabriele Uhl e os seus colegas da Germany's University de Greifswald tropeçaram depois de examinar espécimes femininas de Larinia jeskovi, uma espécie de aranha de tecelagem-esfera nativa da Sibéria e da Europa Oriental.

A equipa observou que depois do acasalamento, muitas fêmeas tinham perdido as suas scapus, um botão em forma de assento de bicicleta que fica acima dos genitais. Mas porquê?

Apanhados no Ato

Para descobrir, os investigadores apanharam a selvagem L. jeskovi e autorizaram-nas a acasalar sobre a observação cuidadosa no laboratório. Quando um macho montou com sucesso uma fêmea virgem, os investigadores congelaram o par com explosões de nitrogénio líquido, permitindo à equipa analisar microscopicamente os genitais entrelaçados das aranhas.

Congelar aranhas é um ato que se mostra desafiante; as suas transmissões simultâneas durante apenas segundos. “Tínhamos que ser muito rápidos e ter muita sorte,” diz Uhl.

Uma aranha macho distribui o seu esperma via pedipalps, um par de apêndices assemelhados a pernas situadas próximo da sua boca que trancam a scapus feminina de cima a baixo.

As digitalizações revelaram que o pedipalp da L. jeskovi agarra e torce a scalpus feminina enquanto o macho a desmonta, cortando-a como se fosse uma tesoura. Sem esta alça fundamental, os outros machos não podem de forma alguma agarrar a fêmea, impedindo-a de ter outro parceiro sexual.

É uma torção na típica batalha aracnídea dos sexos. Muitas aranhas fêmeas fazem sexo com múltiplos machos mas fertilizam os seus ovos com o esperma de apenas um pretendente. Esta competição desencadeou a tomada de medidas drásticas por parte dos machos de algumas espécies, como a sua autocastração, para se conectarem ao trato reprodutivo da fêmea.Porém, nesta caso, os machos encontraram uma forma bastante inteligente de voltarem a acasalar sem se mutilar,” diz Uhl.

“ É fantástico, bilhante, great, ” diz Scott Pitnick, um biologista da Syracuse University, que elogiou os cientistas por analisarem a estrutura da genitália da fêmea e como isso muda após o acasalamento.

“ É um bocado chocante como as pessoas tendem em falhar quando vão atrás da estrutura-função das relações," diz Pitnick.

Ajuda ou prejuízo?n

Os investigadores suspeitam que o fenómeno não é único à espécie Larinia jeskovi. As fêmeas em mais de 80 espécies têm um scapus que seria vulnerável a semelhantes interferências masculinas. (Ver também imagens "'Falos torturadores estimulam a reprodução dos besouros.")

Mas não é claro se as fêmeas estão realmente lesadas—a equipa não saberá até estudar a expetativa de vida e a fertilidade global.

“Ainda estamos a batalhar um pouco nesta questão,” diz Uhl. “Talvez ela tenha custos e isso seja algo que o macho força com dela.”

Mas é possível que a alça de uso único do amor possa beneficiar a fêmea. As aranhas fêmeas podem armazenar esperma viável durante anos, de tal forma que ter um único parceiro pode não dificultar a sua fertilidade. (Ver "Aranhas femininas usam seda para captar o interesse dos machos.")

E impedindo outros machos de acasalar poderá ser uma forma eficiente de os afastar,\ " diz Pitnick, que tem outro benefício não sexual para a fêmea: Ela não terá de partilhar as suas refeições ganhas arduamente com os seus pretendentes aleatórios.

Segue Michael Greshko no Twitter.

Continuar a Ler