Animais

Imagens Incríveis: Bebé Camaleão Que Não se Sabia Ter Saído do Ovo

O recém-nascido, enrolado firmemente numa bola em forma de ovo, oferece uma rara visão sobre a vida de um réptil em desenvolvimento.

Por Maya Wei-Haas

19 Junho 2015

Parece que alguém precisa de uma chamada para acordar: Este camaleão bebé recém-nascido ainda não se apercebeu que o seu ovo já chocou.

Nick Henn, o dono da Canvas Chameleons in Reading, na Pennsylvania, fotografou recentemente o camaleão pantera depois de o ajudar a sair da sua concha.

Usando cortadores de cutículas, Henn cortou delicadamente o ovo e esperou que o bebé saltasse diante dele.

Pensando que ainda estava na sua concha, o réptil do tamanho de uma moeda de dez centavos enrolou-se numa bola com a forma de um ovo, com a cauda entalada sobre o ombro—dando-nos uma visão rara dentro do mundo de um camaleão em desenvolvimento.

Normalmente "não consegues captar o momento em que eles saem pela primeira vez do ovo," Henn maravilha-se.

CRIANDO UM BEBÉ

Enquanto crescia, Henn procurou sempre por um camaleão pantera azul, uma espécie nativa do Madagascar. "Era como o meu objetivo de vida," diz ele, rindo. Quando saiu do colégio, Henn começou a reproduzir e criar, particularmente os seus tão amados camaleões pantera.

Debaixo do relógio fechado de Henn, os ovos dos camaleões pantera cresciam, nas suas conchas endurecidas durante sete ou oito meses. Quando o grande dia chegava, o camaleão usa um especial "dente de ovo" no seu maxilar superior para cortar a membrana interior do ovo, que posteriormente contrai.

É"como um nadador despindo o seu fato de banho molhado," diz Robin Andrews, um biologista da Virginia Tech.

O bebé depois pode rachar—ou semear— a extremidade do ovo próximo da sua cabeça sem quaisquer rugas. O processo complete poderá demorar um dia.

Os camaleões pantera são normalmente uma tarefa complicada, explica Henn, mas este bebé em particular subiu pelo lado do seu ovo e ficou preso à saída. Num ambiente selvagem, se um camaleão não é forte o sufiente para se libertar do seu ovo, ele more.

LUZES, CÂMARAS, AÇÃO

Por sorte Henn chegou para o salvar. Mas porque é que o camaleão não acordou de imediato? Ninguém sabe ao certo.

É possível que não houvesse muita luz naquele momento. Na experiência de Henn, quando os camaleões cativos são expostos à luz, "eles acordam e sabem que está na hora do rock and roll," diz Henn.

Banhistas ávidos, os camaleões são bastante sensíveis à luz, confiando no sol para lhes aquecer o corpo e configurar os seus relógios internos. O sentido dos répteis para a luz através de um recetor na sua cabeça. "É como se fosse uma janela para eles. Eles sentem a hora do dia e os ciclos da luz," explica Brett Baldwin, gerente dos tratadores de animais no Zoo de São Diego Zoo.

No geral, a incubação de ovos de camaleões na catividade é um "processo muito manhoso e complicado," diz Baldwin. Os bebés em desenvolvimento são sensíveis a quaisquer direrenças de humidade e temperature.

Num ambiente selvage, porém, os camaleões bebés chocam em refúgios subterrâneos escuros, por isso a luz não deverá importar—e poderá até preveni-los de irromperem a concha, explica Andrews.

"Olhando somente para as imagens," diz Baldwin, "Eu não conseguiria imaginar, 'Oh, esse rapaz morreu no ovo.'"

Essa é a realidade no ambiente selvagem: Muitas criaturas põem um grande número de ovos porque a maioria das suas crias não sobreviverá. Os camaleões pequeninos em particular são bocados saborosos para os predadores.

Tal como para este camaleão pantera, que está vivo e bem depois da sua difícil prova. Às vezes tudo o que é preciso é uma mãozinha.

Siga Maya Wei-Haas no Twitter.

Continuar a Ler