Ciência

O Sol: Factos e Curiosidades

Saiba mais sobre esta estrela que é uma fonte de vida e ocupa o centro do nosso sistema solar.Thursday, May 3

Por National Geographic

Comparado com milhões de estrelas no universo, o Sol é banal. Mas para a Terra e outros planetas que giram à sua volta, o Sol é um poderoso foco de atenção. Ele mantém a coesão do sistema solar, irradia a luz necessária à vida, emite calor e energia sobre a superfície terrestre e determina o clima no espaço.

Características do Sol

O Sol é uma grande estrela. Com cerca de 1,4 milhões quilómetros de largura, o Sol poderia acomodar 109 planetas Terra na sua superfície. Se o Sol fosse uma bola oca, caberiam no seu interior mais de um milhão de Terras. Mas o Sol não é oco. O seu interior é preenchido com gases superaquecidos, que representam mais de 99,8% da massa total do sistema solar. A temperatura é de 5 500o à superfície e superior a 15 500 000o no núcleo.

No interior do núcleo solar, reações de fusão nuclear transformam o hidrogénio em hélio, produzindo energia. Partículas de luz, denominadas fotões, transportam essa energia através da concha esférica do Sol, conhecida por zona radioativa, até à camada superior do interior solar, a zona de convecção. Aqui, o movimento em larga escala de gases superaquecidos, como num candeeiro de lava, conduz a energia até à superfície solar. Esta viagem leva mais de um milhão de anos a ser concluída.

A superfície do Sol ou a atmosfera solar divide-se em três regiões: a fotosfera, a cromosfera e a coroa solar ou corona. A fotosfera é a superfície visível do Sol e a camada mais baixa da atmosfera. Logo acima da fotosfera, situam-se a cromosfera e a corona, que também emitem luz visível, mas que apenas pode ser vista durante os eclipses solares, quando a Lua se atravessa entre a Terra e o Sol.  

ver galeria

Vento Solar e Erupções Solares

Para além da luz, o Sol emite calor e um feixe contínuo de partículas de energia, denominado vento solar. O vento sopra a 450 quilómetros por segundo no sistema solar. De vez em quando, um conjunto de partículas explode, gerando uma erupção solar, que pode comprometer as comunicações por satélite e afetar as redes de distribuição de eletricidade. As erupções solares resultam, geralmente, da atividade de manchas solares, zonas escuras da fotosfera que decorrem de mudanças no campo magnético no interior do Sol.

À semelhança de muitas fontes de energia, o Sol é finito. Tem, atualmente, cerca de 4,5 mil milhões anos e já consumiu aproximadamente metade do hidrogénio presente no seu núcleo. O Sol continuará a queimar hidrogénio por outros tantos 5 mil milhões de anos, e, nessa altura, o hélio tornar-se-á a sua fonte primária de combustível. O Sol terá uma dimensão cerca de 100 vezes maior ao tamanho atual, absorvendo a Terra e outros planetas. Ele brilhará como um gigante vermelho durante outros tantos mil milhões de anos e depois colapsará na forma de um anão branco, com uma dimensão idêntica à da Terra.

Continuar a Ler