Ciência

Não, os Adeptos do Mundial de Futebol Não Provocaram Um Tremor de Terra. Descubra Porquê.

A vitória do México sobre a Alemanha arrasou a cidade do México. Mas não literalmente. terça-feira, 17 de julho de 2018

Por Annie Roth
Adeptos celebram a vitória do México num jogo do Mundial de Futebol, a 17 de junho.

A vitória do México sobre a Alemanha na primeira ronda de jogos, no dia 17 de junho, provocou grande agitação na cidade do México. Às 11:35, quando Hirvin Lozano marcou o golo que deu a vitória à equipa num jogo disputado na Rússia, os sismógrafos registaram um pico de atividade sísmica na cidade do México. O Instituto de Investigação Geológica e Atmosférica do México afirma que estes tremores foram causados pelos pulos de milhares de adeptos de futebol durante as celebrações, mas alguns cientistas mostram-se céticos.

“Terá sido, provavelmente, uma ou várias pessoas aos pulos perto da estação de sismologia”, diz Xyoli Pérez Campos, que coordena o Serviço Nacional de Sismologia do México. Campos afirma que as vibrações identificadas pelos sismógrafos não se assemelham a um tremor de terra, provocado pelo homem ou por qualquer outro fator.

“Não se assemelharia a um pico isolado.”

Quando segmentos da crosta terrestre deslizam um pelo outro ou passam lado a lado, é libertada energia na forma de ondas sísmicas. Os sismólogos usam instrumentos de elevada precisão, denonimados sismógrafos, para detetar estas ondas à medida que se deslocam no interior da Terra. Os cientistas podem identificar a fonte de um abalo por meio da análise do padrão de uma onda sísmica.

“Pessoas aos pulos podem gerar vibrações, mas o registo é diferente do de um tremor de terra”, afirma Campos.

Os sismógrafos já tinham detetado sons e vibrações de multidões ruidosas noutras ocasiões, mas nenhuma celebração sincronizada tinha sido capaz de desencadear um verdadeiro fenómeno sísmico, segundo William Yreck, um geofísico da United States Geological Survey.

A expressão terramoto humano é geralmente usada para descrever abalos provocados por ação humana, tais como a fraturação hidráulica, a perfuração e os ensaios nucleares.

“Não há dúvida de que os humanos podem provocar um tremor de terra. Mas num caso como este relativo aos festejos de um coletivo de pessoas, não me parece que seja o que tenha acontecido”, diz Yeck.

Todos os anos, dezenas de milhares de tremores de terra, sejam eles de origem natural ou humana, abalam a superfície do nosso planeta, na sua maioria de baixa magnitude e, por conseguinte, de baixo impacto. Mas mais de uma dezena de tremores de terra, com magnitude superior a 4.0 na escala de Richter, semearam a devastação no seio de comunidades mundiais este ano, incluindo o terramoto com magnitude de 6.1. na escala de Richter, que abalou a cidade japonesa de Osaka no dia 17 de junho, matando quatro pessoas e ferindo mais de 300.

Continuar a Ler