Quais São os Perigos dos Cigarros Eletrónicos?

Os cigarros eletrónicos aumentam a disfunção das células que recobrem o interior dos vasos sanguíneos. Descubra este e outros perigos.sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Por National Geographic

São várias as questões que se levantam em relação aos cigarros eletrónicos. Serão estes prejudiciais para a saúde? Quais são os verdadeiros perigos associados?

Cigarros eletrónicos em Portugal
Os cigarros eletrónicos são dispositivos que simulam a experiência de fumar um cigarro comum. São constituídos por uma bateria, uma resistência elétrica e um recipiente para o líquido – existem sabores e cores para todos os gostos. Por conter apenas vapores de nicotina e não ser composto por alcatrão nem pelas centenas de substâncias nocivas do tabaco, muitos acreditam que não é prejudicial para a saúde.

Apesar de existirem há vários anos, estes aparelhos têm ganho bastante adesão nos últimos tempos em todo o mundo, especialmente na Europa. Há registos que revelam que 23% dos fumadores holandeses trocaram o cigarro convencional pelo eletrónico.

Segundo dados do Eurobarómetro, Portugal é o país da EU onde menos fumadores têm intenções de deixar de fumar e que efetivamente deixam de o fazer. É, também, um dos países onde os jovens começam a fumar mais cedo. Segundo dados do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo de 2017, os cigarros foram o produto de tabaco mais consumido pelos adolescentes e jovens (29,8%), seguidos do tabaco de enrolar (18,7%) e dos cigarros eletrónicos (12,8%).

Assim, os principais consumidores de cigarros eletrónicos são adolescentes e jovens adultos, por considerarem que é uma solução menos prejudicial para a sua saúde. A Ordem dos Médicos Dentistas – OMD alerta para a comercialização de cigarros eletrónicos e exige a proibição de qualquer tipo de publicidade, incluindo a realizada nas redes sociais, onde se encontra o principal target – os jovens.

Afinal, quais são os perigos?

Reações pulmonares graves e mortais
São vários os casos registados nos Estados Unidos de reações pulmonares graves e até mortais devido ao consumo de tabaco de vapor – 450 doentes e 6 mortes confirmadas em setembro. Em Portugal, os mesmos casos têm vindo a acontecer.
Médicos confirmam que estes mesmos sintomas até agora eram apenas associados à inalação de drogas como canábis ou cocaína. Os pneumologistas acreditam que algumas situações tenham tido também origem na utilização de cigarros eletrónicos.

Substâncias tóxicas e carcinogénicas
A falta de regulamentação que não permite desvendar a verdadeira composição dos diversos líquidos destes dispositivos é, também, uma preocupação para a OMD. Desta composição, sabe-se que os cigarros eletrónicos possuem substâncias como propilenoglicol, glicerina e nicotina. Em alguns casos, já foram detetados carcinógenos, como aldeídos, carbonatos e metais pesados.

Problemas de saúde oral
Como qualquer consumo de tabaco, seja ele cigarros convencionais ou cigarros eletrónicos, é prejudicial para os tecidos da boca. Associado a isto está o risco elevado para doenças inflamatórias, infeciosas, degenerativas e neoplásicas. Alguns exemplos são a xerostomia (boca seca), estomatite, perda dentária, língua pilosa, queilite angular ou cancro oral, um dos cancros mais fatais em Portugal.

O manuseamento indevido e desinformado de nicotina, explosões de cigarros eletrónicos e pneumonias são outros casos preocupantes.

Continuar a Ler