O Fenómeno Natural que Provoca Timidez Entre Árvores

O fenómeno conhecido pela timidez entre árvores deriva, segundo determinada teoria, da otimização da exposição solar e da maximização do processo de fotossíntese.sexta-feira, 13 de março de 2020

Por National Geographic

Existe um fenómeno denominado timidez da copa, que se traduz na timidez das árvores. Isto é, os ramos superiores de algumas árvores não se tocam entre si. Este comportamento foi observado, pela primeira vez, nos anos 20 e, desde essa altura, apresentaram-se várias teorias para justificar o fenómeno. Desde a década de 1920, tem sido discutido na literatura científica e recebeu a denominação de crown shyness, ou seja, timidez da copa.

Teorias sobre o fenómeno da timidez entre árvores
Desde a descrição do fenómeno que várias áreas da ciência têm procurado justificações para o mesmo. Apesar da biologia não apresentar uma justificação como certa, partilham-se algumas teorias.

Se por um lado, alguns estudiosos e observadores do fenómeno defendem que a ocorrência se dá para reduzir a propagação de insetos prejudiciais, outros acreditam que as árvores tentam proteger os ramos uns dos outros, evitando que se partam ou rachem. Ainda em outra perspetiva, uma teoria defende que a timidez entre árvores ocorre para que estas consigam otimizar a exposição da luz e maximizar o processo de fotossíntese.

A explicação mais aceite defende que o comportamento adaptativo dos topos das árvores surgiu para dificultar a passagem entre ramos de larvas e insetos, que se alimentam das folhas. Outra teoria diz ainda que a timidez entre árvores se deve a um mecanismo para evitar a sobreposição dos topos.

Segundo a biologia, as fendas entre os topos das árvores podem surgir ainda como consequência do atrito e colisão entre ramos, causando uma poda natural e recíproca, devido à ação dos ventos em determinados locais de maior ocorrência. Esta colisão provoca a destruição dos nódulos de crescimento laterais, fazendo com que as árvores não cresçam nessa direção, formando as lacunas ou canais no dossel.

Árvores de personalidade tímida
O fenómeno botânico da timidez entre árvores, timidez do dossel, da copa ou da coroa, como é conhecido, acontece frequentemente entre a mesma espécie, podendo também ocorrer em espécies diferentes.

Este fenómeno regista-se naturalmente em algumas espécies arbóreas, no qual os topos das árvores vizinhas, de altura similar, não se tocam, criando fendas bem definidas entre si. O eucalipto, o Pinheiro de Lodgepole, o Abeto Centeio de Sitka, o Mangue Negro, a Cânfora e o Larício Japonês são algumas das árvores em que se consegue observar este processo natural.

O engenheiro florestal australiano M.R. Jacobs, que estudou os padrões de timidez da copa em eucalipto no ano de 1955, acreditava que as pontas das árvores eram sensíveis à abrasão, resultando em brechas no dossel. Isso reflete que, para evitar abrasão desnecessária com árvores vizinhas, as árvores podem mostrar timidez da copa.

O ecossistema da floresta num equilíbrio perfeito
O fenómeno que é observado em indivíduos de algumas espécies de árvores, causam um efeito visual muito interessante. As fendas ou canais que criam entre os topos das árvores, assemelham-se aos enredos de um rio.

A variedade de hipóteses e resultados experimentais realizados ao longo do estudo deste fenómeno, sugerem a existência de múltiplos mecanismos em diferentes espécies. Apesar de contar com décadas de investigações, ainda não existe um consenso sobre o que realmente causa este fenómeno intrigante.

A timidez entre árvores só pode ser observada em alguns locais do planeta. Um desses sítios é o Instituto de Pesquisa Florestal da Malásia, em Kuala Lumpur. Outro, por exemplo, é o Jardim Botânico de Brasília, no Brasil.
 

Se a oportunidade existir, observe o belo e misterioso fenómeno da timidez entre árvores. Deslumbre-se com os labirintos das fendas e imagine a quantidade de segredos que as árvores e as florestas escondem.

Continuar a Ler