Os Velociraptores Estão Entre os Dinossauros Mais Incompreendidos. Descubra Porquê.

Longe de serem os ferozes caçadores em grupo retratados no filme Parque Jurássico, estes animais plumados de meio metro de altura eram mais parecidos com as aves de rapina da atualidade.

Friday, November 20, 2020
Por Amy McKeever
Pesando até 45 quilos – aproximadamente o tamanho de um lobo – os Velociraptores provavelmente caçavam ...

Pesando até 45 quilos – aproximadamente o tamanho de um lobo – os Velociraptores provavelmente caçavam sozinhos enquanto vagueavam pela Ásia central e oriental no final do período Cretáceo.

Fotografia de STOCKTREK IMAGES, NAT GEO IMAGE COLLECTION (ILUSTRAÇÃO)

Os Velociraptores têm sido incompreendidos desde que foram representados no filme Parque Jurássico como dinossauros escamosos que caçavam em grupos e que estripavam as suas presas com garras em forma de foice. Este retrato tem várias coisas erradas. Na verdade, os Velociraptores eram plumados. Estes animais podiam atingir os 45 quilos, mais ou menos o tamanho de um lobo, e provavelmente caçavam sozinhos – usando as suas garras para apanhar as presas, não para as cortar – quando vagueavam pela Ásia central e oriental, há cerca de 74 a 70 milhões de anos, durante o final do período Cretáceo.

Os Velociraptores que aterrorizaram o filme Parque Jurássico eram baseados num parente do Velociraptor, o Deinonychus antirrhopus, um dinossauro muito maior que viveu na América do Norte no início do período Cretáceo, há cerca de 145 a 100 milhões de anos.

Portanto, como eram realmente os Velociraptores? Embora o nosso conhecimento ainda se esteja a desenvolver, à medida que mais evidências fósseis são desenterradas, os paleontólogos já conseguiram aprender bastante sobre estes predadores icónicos.

Características de aves

Há um forte consenso entre os cientistas de que as aves da atualidade são na verdade descendentes de dinossauros que evoluíram dos terópodes, uma família de predadores de três dedos que incluía o Velociraptor mongoliensis e o Tyrannosaurus rex. Esta ligação familiar explica por que razão os Velociraptores tinham muitas das características que se encontram nas aves modernas, incluindo tornozelos e pulsos articulados, fúrculas e dedos virados para a frente. Contudo, o mais notável era a sua plumagem.

Há muito tempo que os investigadores suspeitam que os Velociraptores eram plumados, em vez de estarem cobertos com escamas de répteis. Em 2007, um estudo publicado na revista Science descobriu que um fóssil de Velociraptor mongoliensis tinha cálamos de penas – saliências ao longo dos antebraços que ancoram as penas ao osso e que são comuns nas aves modernas.

Porém, ao contrário de muitos dos seus parentes aviários, este dinossauro era terrestre. Não só os seus braços eram demasiado curtos para voar, como a fúrcula do Velociraptor – um osso bifurcado entre o pescoço e o peito que geralmente atua como mola para ajudar os pássaros a voar – não tinha a forma correta para suportar um bater de asas. O estudo de 2007 levantou a hipótese de que as penas do Velociraptor podiam ser um remanescente evolutivo de antepassados mais pequenos que conseguiam voar, ou podiam ter servido para atrair parceiros, para proteger os ninhos do frio ou para ajudar nas manobras de locomoção enquanto corriam.

Ainda assim, os Velociraptores são frequentemente comparados com as aves de rapina, como as águias e os falcões, devido às longas garras que se projetam no segundo dedo de cada pé. Embora os cientistas já tenham teorizado que as garras podiam ter sido usadas para cortar, a maioria acredita agora que este dinossauro usava as garras para perfurar e imobilizar a presa, à semelhança do que acontece com os falcões.

Caçar

Em latim, Velociraptor significa “saqueador veloz”, pelo que estes animais eram claramente considerados caçadores eficazes. Estes bípedes tinham um olfato muito apurado, fator evidenciado pelo tamanho e forma da sua zona craniana que continha o nervo olfatório, a parte do cérebro que processa o olfato. As pernas musculadas e tíbias longas permitiam grandes passadas e atingiam velocidades estimadas de 40 quilómetros por hora. Movendo-se com as garras dos pés levantadas, os Velociraptores mantinham as suas garras afiadas o suficiente para perfurar eventuais presas; assim que um animal estava ao seu alcance, provavelmente terminavam o trabalho com um maxilar repleto de dentes serrilhados.

No filme Parque Jurássico, os Velociraptores são descritos como animais que caçam em grupo. Mas não há evidências de que isso aconteceu – acredita-se que era precisamente o oposto. Um estudo de 2007 fez testes químicos aos dentes de um Deinonychus, um parente do Velociraptor, para descobrir se as crias deste dinossauro comiam os mesmos alimentos que os adultos. Os testes revelaram que a dieta deste dinossauro mudava consoante a idade – uma diversidade alimentar que geralmente não é observada entre animais que caçam em grupo.

Dada a oportunidade, o Velociraptor provavelmente também não teria caçado humanos. Apesar da descoberta de um fóssil famoso, que mostra uma batalha mortal entre um Velociraptor e um Protoceratops muito maior, os paleontólogos acreditam que os Velociraptores se alimentavam maioritariamente de pequenos mamíferos e répteis. Em 2011, os cientistas também teorizaram que estes predadores eram notívagos, já que o seu anel esclerótico – um disco ósseo que reforça o olho – era largo e teria deixado entrar luz suficiente para ver à noite.

O Velociraptor provavelmente também não era tão inteligente como a cultura popular deixa transparecer. É verdade que este dinossauro tinha um cérebro grande em relação à sua proporção corporal, tornando-o num dos dinossauros mais inteligentes. Mas teria um nível de capacidade intelectual que se equipara ao das aves comuns, e não ao dos chimpanzés ou papagaios.

Evolução do Velociraptor

Os cientistas ainda estão a tentar perceber quais foram as espécies que deram origem ao Velociraptor, e perceber se existiram vários tipos de Velociraptor. O Velociraptor mongoliensis foi descoberto pela primeira vez no deserto da Mongólia em 1924. Contudo, em 2008, fósseis de maxilares semelhantes aos do Velociraptor encontrados na mesma região intrigaram os paleontólogos. Estes novos fósseis tinham as mesmas aberturas cranianas que o Velociraptor, bem como um número semelhante de dentes. Mas a sua estrutura geral era distinta o suficiente para os cientistas descreverem uma nova espécie, Velociraptor osmolskae. A investigação sobre a vida desta nova e misteriosa espécie de Velociraptor ainda está a decorrer.

Mais recentemente, os cientistas descobriram o parente mais antigo do Velociraptor de que há conhecimento: um dinossauro felpudo com um metro de comprimento chamado Hesperornithoides miessleri. Coberto de penas e ostentando uma garra em forma de foice em cada pé, este pequeno caçador viveu no final do período Jurássico, há cerca de 164 e 145 milhões de anos. Embora o Hesperornithoides miessleri fosse aparentemente incapaz de voar, a sua existência sugere que os dinossauros começaram a desenvolver penas e braços em forma de asas milhões de anos antes do aparecimento das primeiras aves.

O Velociraptor desapareceu do registo fóssil há cerca de 70 milhões de anos. Alguns milhões de anos depois, o impacto cataclísmico de um asteroide despoletou um evento de extinção que exterminou os dinossauros não-aviários.


Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com.

Continuar a Ler