Lesma-do-gerês, uma rara espécie descoberta no Parque das Serras do Porto

Uma equipa de cientistas descobriu recentemente a presença da lesma-do-gerês, uma espécie rara e protegida, que pode ser encontrada na Irlanda e na Península Ibérica.

Publicado 11/06/2021, 11:28
O exemplar foi encontrado no tronco de um carvalho-alvarinho em Aguiar de Sousa, no concelho de ...

O exemplar foi encontrado no tronco de um carvalho-alvarinho em Aguiar de Sousa, no concelho de Paredes.

Fotografia de Sónia Ferreira

A lesma-do-gerês, ou Geomalacus maculosus, é uma espécie de lesma da família Arionidade. Trata-se de um molusco gastrópode, próprio de regiões de clima atlântico, que pode atingir cerca de 12 centímetros de comprimento e apresenta coloração variável, geralmente tons castanhos e oliváceos.

É uma espécie protegida de invertebrados, encontrada recentemente no Parque das Serras do Porto, por cientistas do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto (CIBIO-InBIO).

A lesma-do-gerês está incluída no anexo II e IV da Diretiva Habitats, encontrando-se legalmente protegida, não sendo permitida nem a recolha, nem a destruição do seu habitat. 

No caso, trata-se de uma espécie muito associada a ecossistemas saudáveis ou em resquícios que foram saudáveis, sendo considerada uma das “Espécies animais e vegetais de interesse comunitário cuja conservação exige a designação de zonas especiais de conservação, e espécies animais e vegetais de interesse comunitário que exigem uma proteção rigorosa".

Encontrada durante uma prospeção noturna

O exemplar da espécie foi encontrado no mês de maio, no tronco de um carvalho-alvarinho em Aguiar de Sousa, no concelho de Paredes, distrito do Porto, durante uma prospeção noturna no âmbito de um projeto que vai decorrer no primeiro semestre do ano naquele território. A espécie foi entretanto também encontrada em Couce (Valongo) numa prospeção no âmbito do 3º Fim de semana da vaca-loura, e em Covelo (Gondomar) no dia 9 de junho, em trabalhos de campo do projeto.

É possível encontrar a lesma-do-gerês em bosques de caducifólias e pode ser mais facilmente observada durante o período noturno, especialmente em dias de chuva e elevada humidade. Como se alimenta de líquenes e fungos, muito provavelmente, quando observada à noite sobre troncos de árvores ou sobre granito, andará à procura de alimento.

Toda a parte de eucaliptal presente no Parque das Serras restringe os habitats mais favoráveis para a maior parte das espécies a pequenos vales e pequenos redutos onde, quando visitados e olhados com alguma atenção, são encontrados um número elevado de espécies.

Dado que os invertebrados fazem parte das lacunas encontradas ao nível do conhecimento do território, esta é uma das razões que motiva o avanço do projeto de investigação, fazendo novas prospeções no terreno, quer diurnas, quer noturnas.

A lesma-do-gerês vai integrar a primeira lista de invertebrados de Portugal

Nos trabalhos de amostragem de invertebrados é colocada uma luz forte, pela qual muitas espécies são atraídas. Além de borboletas noturnas, um dos grupos mais fáceis de observar, existem diversos animais de outros grupos que são assim amostrados, nomeadamente escaravelhos, moscas, vespas, louva-a-deus e percevejos. Outros são encontrados por procura direta, como foi o caso do exemplar da lesma.

Sobre a lesma-do-gerês, sabe-se que vive na metade Norte do país, em florestas de caducifólias, sendo conhecida da Serra da Estrela e em diversas áreas, algumas das quais serras, nomeadamente do Gerês de onde resulta o seu nome comum.

A descoberta revela-se importante, na medida em que ainda existem poucos registos para a lesma-do-gerês, cujo estatuto será em breve avaliado na primeira lista de invertebrados de Portugal. Assim, a equipa de investigadores do CIBIO-InBIO começou à procura de invertebrados no Parque, onde realizaram amostragens de invertebrados.

A investigadora Sónia Ferreira indica que a espécie é conhecida de Vairão, localidade onde o CIBIO-InBIO está localizado, sendo que, em 2019, a observou no Parque Natural de Montesinho e junto ao Mosteiro de São João de Arga, em Caminha.

Em 2020, a espécie foi observada numa outra freguesia de Vila do Conde, em Santo Tirso, no Parque Biológico de Gaia e encontrou um único exemplar em Alijó, no Parque Natural Regional do Vale do Tua.

A ameaça principal que a lesma-do-gerês enfrenta é a destruição do seu habitat e, a destruição e fragmentação das florestas de caducifólias no noroeste ibérico. Em Espanha, a espécie está classificada como Vulnerável e, em Portugal, o seu estatuto será em breve avaliado no contexto da primeira lista de invertebrados de Portugal

Encontrada no Parque das Serras do Porto

O Parque das Serras do Porto, com quase 6.000 hectares, é composto por seis serras: Santa Justa, Pias, Castiçal, Santa Iria, Flores e Banjas, nos municípios de Gondomar, Paredes e Valongo.

O Parque tem como fins complementares a promoção de políticas conjuntas de turismo, lazer, animação, formação, emprego, inclusão, sustentabilidade, inovação, competitividade e internacionalização da economia, bem como, a valorização das atividades agroflorestais, entre outros.

O Parque das Serras do Porto apresenta várias vias de acesso, possibilitando optar pela que melhor se adequa ao meio de transporte, destino ou atividade que o visitante pretenda desenvolver.

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados