Fotografias mostram momentos históricos de animais e humanos a voar para o espaço

Richard Branson da Virgin Galactic e Jeff Bezos da Blue Origin estão envolvidos num duelo para chegar ao espaço suborbital. Mas dois macacos venceram esta corrida há 62 anos.

Publicado 21/07/2021, 12:33 WEST
1959

1959

A macaca-esquilo Baker, muitas vezes referida como “Miss Baker”, com um modelo do míssil Júpiter que a lançou e a um macaco-rhesus chamado Able para o espaço no dia 28 de maio de 1959. Baker viveu até 1984.

Fotografia de NASA

Antes de Bezos e Branson, havia Baker e Able.

Nas primeiras horas da manhã de 28 de maio de 1959, foi lançado um míssil Júpiter de Cabo Canaveral, na Flórida, enviando Baker e Able – dois pequenos macacos – para o céu como uma estrela cadente. Nos 16 minutos seguintes, Baker, uma macaca-esquilo com 300 gramas vinda do Peru, e Able, um macaco-rhesus nascido em Independence, no Kansas, voaram 2.700 quilómetros e alcançaram uma altitude de 580 quilómetros acima da superfície da Terra, mais alto do que a órbita do Telescópio Espacial Hubble.

1959

A cobertura confortável que protegeu Baker durante o seu voo espacial estava no interior do cone do nariz de um míssil Júpiter. Após o lançamento em maio de 1959, Baker e o seu companheiro de viagem, Able, foram resgatados ilesos nas águas da Flórida.

Fotografia de NASA

Depois de vários minutos sem gravidade, os macacos regressaram à Terra no cone do nariz do míssil, com Baker acomodada numa cobertura não muito maior do que uma garrafa de água grande. Ambos os macacos sentiram forças 38 vezes superiores às da gravidade da Terra durante a descida. Quando mergulharam nas águas da Flórida, Baker e Able fizeram história. Durante mais de uma década, os Estados Unidos tinham tentado enviar macacos para espaço e resgatá-los com segurança, mas todos morreram durante o voo ou duas horas após a aterragem. Baker e Able, no entanto, regressaram vivos e bem de saúde – os primeiros primatas a sobreviver a uma viagem ao espaço.

1957

Apelidada de “Muttnik” pela imprensa dos EUA, uma cadela soviética chamada Laika voou no Sputnik 2 até ao espaço no dia 3 de novembro de 1957, tornando-se na primeira criatura viva em órbita. Durante e após o voo, as autoridades soviéticas alegaram que Laika tinha sobrevivido vários dias. No entanto, a cadela provavelmente morreu horas depois do lançamento devido ao sobreaquecimento.

Fotografia de Sovfoto, Universal Images Group via Getty Images

Able morreu durante um procedimento médico dias depois, mas Baker viveu até 1984, quando foi enterrada no U.S. Space and Rocket Center em Huntsville, no Alabama. Até hoje, as pessoas continuam a deixar bananas no seu túmulo.

1960

Antes de comandar a Gemini 8 e a Apollo 11, Neil Armstrong foi piloto de testes da aeronave experimental X-15. Um projeto conjunto entre as forças armadas dos EUA, a NASA e a indústria privada, o X-15 expandiu as fronteiras de voo ao ultrapassar seis vezes a velocidade do som. Oito pilotos do X-15 voaram a aeronave a mais de 80 quilómetros acima da superfície da Terra, considerada pelos EUA a fronteira com o espaço. Armstrong, porém, não foi um deles.

Fotografia de NASA

Até agora, quase 600 pessoas já se aventuraram a mais de 80 quilómetros acima da superfície da Terra – considerada pelos EUA a fronteira com o espaço – e o voo espacial humano está a entrar numa nova fase. Os voos para além da Terra estão a ficar mais baratos e mais frequentes, e as empresas privadas pretendem enviar mais pessoas para o espaço do que nunca.

O que reserva o futuro para as viagens humanas para além da atmosfera da Terra? Com que frequência irão as gerações futuras voar para órbita e mais além? Quão longe irão os exploradores viajar?

Para termos uma ideia de como a exploração espacial chegou até aqui e para onde se pode estar a dirigir, a National Geographic olhou para mais de seis décadas de imagens de voos espaciais, destacando momentos históricos das incursões humanas pelo espaço.

 

Janeiro de 1961

Antes de recorrer a astronautas humanos, a NASA usou chimpanzés e outros primatas para testar a cápsula Mercury. No dia 31 de janeiro de 1961, um chimpanzé com três anos chamado Ham partiu de Cabo Canaveral, na Flórida, voando 640 quilómetros de distância num arco que o levou até aos 255 quilómetros de altitude, regressando em segurança à Terra. A única lesão de Ham durante o voo: escoriações no nariz.

Fotografia de NASA

Maio de 1961

No dia 5 de maio de 1961, o astronauta norte-americano Alan Shepard tornou-se no segundo humano e primeiro americano a viajar para o espaço. Após o seu voo histórico a bordo da cápsula Freedom 7, um helicóptero lançado do porta-aviões USS Lake Champlain resgatou Shepard e a cápsula no oeste do Oceano Atlântico e levou-os para o convés da embarcação.

Fotografia de NASA

1965

No dia 18 de março de 1965, o cosmonauta soviético Alexei Leonov realizou a primeira caminhada espacial na missão Voskhod 2. Durante esta missão, Leonov também criou a primeira obra de arte no espaço: um esboço com lápis de cor de um nascer do sol orbital.

Fotografia de Sovfoto, Universal Images Group, Getty Images

1994

Com uma parede maciça de nuvens brancas como pano de fundo, o astronauta Mark C. Lee flutua livremente enquanto testa equipamento de emergência durante um voo do vaivém espacial em 1994. Desde 1981 até 2011, a frota de vaivéns espaciais da NASA realizou 133 missões bem-sucedidas, incluindo voos para reparar o Telescópio Espacial Hubble e construir a Estação Espacial Internacional.

Fotografia de NASA

2001

O turista espacial americano Dennis Tito comemora após aterrar perto da cidade de Arkalyk, no Cazaquistão, no dia 6 de maio de 2001. Dennis Tito foi o primeiro turista espacial do mundo e contratou a agência espacial russa Roscosmos para treinar com os cosmonautas e fazer uma visita de quase oito dias à Estação Espacial Internacional.

Fotografia de Alexander Nemenov, AFP, Getty Images
Esquerda: Superior:

2004

O engenheiro de aeronaves experimentais Burt Rutan com o SpaceShipOne, um protótipo de avião espacial, na sua oficina em Mojave, na Califórnia. O SpaceShipOne foi o primeiro veículo não governamental pilotado a mais de 100 quilómetros acima da superfície da Terra, garantindo a Burt Rutan o Ansari X Prize no dia 4 de outubro de 2004.

Direita: Fundo:

Um avião de acompanhamento segue o SpaceShipOne depois de este completar o seu primeiro voo a mais de 100 quilómetros de altitude no dia 21 de junho de 2004. O SpaceShipOne foi levado até aos 15.000 metros por uma aeronave de alta altitude chamada White Knight antes de se libertar e usar o seu próprio motor para voar o resto do caminho até ao espaço.

Fotografia de James A. Sugar, National Geographic Image Collection(Esquerda)(Superior)
Fotografia de Jim Campbell, Pool, Getty Images(Direita)(Fundo)

Janeiro de 2021

A Blue Origin, a empresa espacial fundada pelo criador da Amazon Jeff Bezos, trabalhou durante anos para construir foguetões reutilizáveis, começando com um pequeno veículo suborbital chamado New Shepard para turistas e experiências científicas. Até agora, o New Shepard voou 15 missões não tripuladas, incluindo o lançamento aqui fotografado em janeiro de 2021. No dia 20 de julho de 2021, o New Shepard levou os seus primeiros passageiros humanos – incluindo Bezos.

Fotografia de Blue Origin

Julho de 2021

O milionário Richard Branson passou 17 anos a tentar comercializar uma versão maior e atualizada do SpaceShipOne. No dia 11 de julho de 2021, a sua empresa Virgin Galactic deu um passo enorme em direção a esta meta, quando o avião espacial V.S.S. Unity voou com dois pilotos e quatro tripulantes, incluindo Branson, a mais de 80 quilómetros acima da superfície da Terra.

Fotografia de Virgin Galactic

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados