As nossas fotografias favoritas de ciência de 2021

A revelação de um vulcão, uma radiografia pulmonar, um foguetão a descolar: os editores da National Geographic selecionaram estas 23 imagens fascinantes que mostram ciência e tecnologia em ação.

Publicado 14/12/2021, 12:48
De forquilha na mão, Armando Salazar escala uma rocha negra escaldante com um precioso pedaço de ...

De forquilha na mão, Armando Salazar escala uma rocha negra escaldante com um precioso pedaço de lava preso nas pontas do seu utensílio agrícola. Por mais estranha que esta cena possa parecer, é apenas mais um dia de trabalho para Armando Salazar, um sargento espanhol que está a ajudar na resposta de emergência à erupção vulcânica em La Palma. Graças a Armando Salazar e a outras pessoas, os cientistas estão a obter novas amostras rochosas do vulcão, algo que os irá ajudar a compreender a erupção atual. (Do artigo “Fotografias dramáticas mostram a erupção do vulcão em La Palma”, novembro de 2021.)

Fotografia de Arturo Rodríguez

Em setembro, quando um dos vulcões em La Palma, nas Ilhas Canárias, começou a entrar em erupção, o fotógrafo Arturo Rodríguez ouviu as notícias enquanto tomava um duche na sua casa na ilha vizinha de Tenerife. Arturo Rodríguez reservou de imediato um voo e chegou a La Palma algumas horas depois, onde trabalhou sem parar para documentar o poder e a devastação do vulcão. “Nunca sonhei em estar tão perto de algo assim”, disse Arturo Rodríguez à National Geographic. “É tão grande, tão poderoso.”

As fotografias notáveis de Arturo Rodríguez desta erupção são apenas algumas das 23 imagens selecionadas pelos editores de fotografia da National Geographic como as nossas fotografias favoritas de ciência e tecnologia de 2021.

Este ano, os fotógrafos registaram o poder e a beleza do nosso mundo de várias maneiras. Alguns fotógrafos exploraram a erupção do vulcão Fagradalsfjall na Islândia com drones, observando a partir do ar enquanto a lava escorria pelas rochas recém-formadas. Os participantes da competição Nikon Small World deste ano usaram câmaras e microscópios de alta potência para revelar as pequenas maravilhas da vida, desde grãos de pólen pontiagudos a uma vespa brilhante.

Vários fotógrafos robóticos também abandonaram a superfície da Terra para se aventurarem no espaço. A sonda Perseverance da NASA aterrou na cratera Jezero de Marte, começando a sua missão de busca por sinais de vida antiga, e o helicóptero experimental Ingenuity da agência espacial também levantou voo no planeta vermelho. A nave Lucy, lançada em outubro, vai atravessar os inúmeros asteroides troianos de Júpiter e conta com dois enormes painéis solares em forma de leque, que foram fotografados durante os testes na Terra pelo fotógrafo da Lockheed Martin Patrick Corkery.

Enquanto isso, os engenheiros faziam progressos no lançamento de humanos para o espaço. Na costa do sul do Texas, o ambicioso foguetão Starship da SpaceX foi lançado a vários quilómetros de altura e, de seguida, tentou pousar na vertical – enquanto a empresa tenta construir o maior foguetão de todos os tempos. E sobre os desertos do Texas e do Novo México, os bilionários Jeff Bezos e Richard Branson cruzaram brevemente o limiar do espaço em veículos construídos pelas suas empresas.

Na Terra, os profissionais de saúde continuaram a combater a pandemia de COVID-19, confrontando um vírus que continua a sofrer mutações à medida que se propaga de pessoa para pessoa. O fotógrafo Dar Yasin captou a extrema dificuldade de vacinar pessoas nas regiões mais remotas do mundo, enquanto Raisan Al Farisi testemunhou a exaustão provocada por uma das grandes vagas de COVID-19 – e a magnitude das perdas que a acompanharam.

A fotografia permitiu-nos ver os efeitos desta doença pelo mundo inteiro e até se revelou uma ferramenta vital na luta contra o vírus. Este ano, Paul Tafforeau, da European Synchrotron Radiation Facility, e os seus colegas fizeram radiografias inovadoras de órgãos humanos, incluindo as imagens que desmistificaram os efeitos devastadores do vírus nas nossas vias respiratórias.

Desde a lava incandescente de La Palma às encostas poeirentas de Marte, estas imagens impressionantes mostram o poder da fotografia para documentar, iluminar e inspirar.

À procura das pequenas maravilhas do sistema solar

 

Um painel solar desenvolvido para a nave Lucy da NASA desenrola-se para fazer testes numa instalação da Lockheed Martin no Colorado. Com lançamento previsto para outubro, Lucy precisava de dois painéis solares destes para gerar energia durante a sua missão de 12 anos a explorar os asteroides troianos de Júpiter. Estas antigas rochas espaciais, que orbitam o sol ao lado do planeta gigante, podem conter pistas sobre a disposição original do sistema solar. (Do artigo “Pequenas maravilhas que revelam segredos do sistema solar”, setembro de 2021.)

Fotografia de PATRICK H. CORKERY, LOCKHEED MARTIN

Riachos de lava do vulcão Fagradalsfjall da Islândia movem-se lentamente em direção a uma multidão de curiosos, como se poder ver pelo drone do fotógrafo Chris Burkard. No início deste ano, a erupção do vulcão atraiu muitos turistas para este país insular à procura de emoções fortes. (Do artigo “O turismo de vulcões está a crescer, mas será demasiado arriscado?”, abril de 2021.)

Fotografia de Chris Burkard, National Geographic

A imagem do fotógrafo Thorben Danke mostra uma vespa-cuco adormecida que parece uma joia cintilante. Mas esta criatura tem os seus segredos: esta espécie de vespa põe os ovos nos ninhos de outros insetos, e as suas larvas comem ou fazem com que as criaturas originais do ninho morram à fome. (Do artigo “Deleite-se com pequenas maravilhas vistas ao microscópio”, setembro de 2021.)

Fotografia de THORBEN DANKE, NIKON SMALL WORLD

O pesado legado vulcânico

As cinzas vulcânicas – feitas de fragmentos de rocha e vidro – cobrem uma casa no bairro de Las Manchas, em La Palma. As cinzas podem acumular-se nas casas até um ponto em que os telhados começam a ruir – forçando muitos habitantes da ilha a preparar as suas casas com pilares adicionais de madeira. (Do artigo “Fotografias dramáticas mostram a erupção do vulcão em La Palma”, novembro de 2021.)

Fotografia de Arturo Rodríguez

Paisagem carbonizada e quase soterrada

Em algumas partes de La Palma, os gases libertados pela erupção do Cumbre Vieja acidificaram as chuvas, queimando partes da vegetação como estes pinheiros. (Do artigo “Fotografias dramáticas mostram a erupção do vulcão em La Palma”, novembro de 2021.)

Fotografia de Arturo Rodríguez

As sementes que alimentam o mundo

Esquerda: Superior:

Investigadores interessados em explorar as virtudes dos girassóis formaram recentemente uma equipa global para examinar a biblioteca genética destas plantas. A equipa descobriu que o genoma da flor é 20% maior do que o genoma humano e tem cerca de duas vezes o número de genes, uma vasta tela genética que nos ofereceu 70 espécies de girassol. (Do artigo “A beleza oculta das plantas que alimentam o mundo”, setembro de 2021.)

Direita: Fundo:

Com uma ampliação de 300 vezes, uma pequena semente de mirtilo parece coberta de escamas. As mudanças sazonais trazem novas pragas, as condições climáticas estão extremas e há menos polinizadores – tudo isto afeta os mirtilos por todo o planeta. Contudo, parece que os mirtilos silvestres também estão em movimento: tal como acontece com várias plantas no hemisfério norte, os mirtilos estão a mover-se para latitudes mais altas, e o Québec rivaliza agora com o Maine no que diz respeito à produção de frutos silvestres. (Do artigo “A beleza oculta das plantas que alimentam o mundo”, setembro de 2021.)

Fotografia de Robert Dash

Levar vacinas aos lugares mais remotos do mundo

Com uma geleira cheia de vacinas COVID-19, o profissional de saúde Nazir Ahmed procura pastores e nómadas nos prados de Tosamaidan, a sudoeste de Srinagar, no território indiano de Jammu e Caxemira. Na corrida para vacinar as pessoas contra o vírus SARS-CoV-2, os profissionais de saúde não medem esforços para garantir que as comunidades remotas têm acesso a vacinas que salvam vidas. (Do artigo “Como as vacinas COVID-19 estão a chegar aos lugares mais remotos do mundo”, agosto de 2021.)

Fotografia de Dar Yasin, AP Photo

Nesta fotografia, tirada no dia 15 de junho, trabalhadores com equipamento de proteção individual descansam depois de enterrarem uma vítima de COVID-19 em Bandung, capital da Província de Java Ocidental, na Indonésia. (Do artigo “Quão perigosa é a nova variante Delta Plus? Eis o que sabemos”, julho de 2021.)

Fotografia de Antara Foto, Raisan Al Farisi, via REUTERS

O pulmão de um homem de 54 anos que morreu de COVID-19 revela a sua estrutura interna sob os raios-x da European Synchrotron Radiation Facility em Grenoble, França. Estas imagens de alta resolução conseguem detetar coágulos sanguíneos nas vias respiratórias mais pequenas do pulmão.

Fotografia de Human Organ Atlas

Este painel de rocha do tamanho de uma parede, proveniente de Sterling Hill em Nova Jersey, brilha em tons de vermelho, laranja e verde sob uma luz ultravioleta numa exposição renovada recentemente no Museu Americano de História Natural, em Nova Iorque Esta rocha formou-se há cerca de 1.2 mil milhões de anos num oceano agora desaparecido. (Do artigo “A Terra já teve e perdeu muitos oceanos. Eis onde pode surgir o próximo”, junho de 2021.)

Fotografia de D. Finnin/©AMNH

Nesta imagem, captada pelo fotógrafo Guillermo López López, grãos de pólen amarelos parecem precariamente equilibrados sobre a ponta de uma antera de hibisco, a estrutura de uma flor que produz e dispersa o pólen. (Do artigo “Deleite-se com pequenas maravilhas vistas ao microscópio”, setembro de 2021.)

Fotografia de Guillermo López López

O crânio de um felino dentes-de-sabre falso, um tipo extinto de carnívoro, é mostrado pela conservadora-chefe Xènia Aymerich, do Instituto Catalão de Paleontologia Miquel Crusafont. Este espécime é um dos mais de 70.000 fósseis encontrados no Abocador de Can Mata, um aterro sanitário perto de Barcelona que se tornou num paraíso para os paleontólogos. (Do artigo “Fósseis de primatas de valor incalculável encontrados em lixeira”, junho de 2021.)

Fotografia de PAOLO VERZONE, NATIONAL GEOGRAPHIC

O solo de Can Mata contém fósseis fascinantes com cerca de 12.5 a 11.2 milhões de anos, incluindo espécies antigas de primatas que não existem em qualquer outra parte do mundo. Os paleontólogos já monitorizam a expansão da lixeira de Can Mata desde 2002. (Do artigo “Fósseis de primatas de valor incalculável encontrados em lixeira”, junho de 2021.)

Fotografia de PAOLO VERZONE, NATIONAL GEOGRAPHIC

Escalar árvores à procura de sementes

O escalador Robert Beauchamp prepara-se para recolher sementes nos galhos superiores de um pinheiro Ponderosa na Floresta Estadual da Montanha Boggs, na Califórnia. As sementes que Robert Beauchamp procura vão ajudar as restaurar as florestas queimadas pelos incêndios florestais e a compensar as emissões de carbono que aquecem o planeta. (Do artigo “Para regenerar as suas florestas, os EUA precisam de milhares de milhões de sementes – e muitos mais ‘caçadores de sementes’”, novembro de 2021.)

Fotografia de Christie Hemm Klok, National Geographic

Depois de uma viagem de navio de 9.300 quilómetros – desde os Estados Unidos até à Guiana Francesa – o Telescópio Espacial James Webb instala-se num lar temporário antes do lançamento. Este elaborado telescópio espacial de infravermelhos irá fornecer vistas incríveis dos primeiros dias do universo – se for lançado sem problemas no final deste mês e passar pelo processo de articulação. Se surgir algum problema, não há forma de o reparar: o telescópio vai ficar estacionado a cerca de 1.6 milhões de quilómetros da Terra.

Fotografia de Chris Gunn, NASA

No dia 18 de fevereiro, para pousar na cratera Jezero de Marte, a sonda Perseverance da NASA foi ajudada por uma “grua aérea” impulsionada por foguetões. Um dos principais objetivos da sonda Perseverance é armazenar amostras de rocha e poeira marciana para um eventual envio para a Terra. Se outrora existiram micróbios marcianos, as amostras da Perseverance podem conter os seus fósseis minúsculos.

Fotografia de NASA/JPL-Caltech

O primeiro helicóptero de Marte levanta voo

O helicóptero Ingenuity captou esta imagem da sua sombra enquanto pairava a cerca de 3 metros da superfície marciana durante o seu primeiro voo. Este pequeno helicóptero já realizou mais de uma dúzia de voos, ajudando a perscrutar o terreno que a sonda Perseverance irá explorar.

Fotografia de NASA

Destroços de asteroide enviados para a Terra

Material antigo do asteroide Ryugu, que agora reside no Centro de Curadoria de Amostras Extraterrestres em Sagamihara, no Japão, foi trazido para a Terra pela nave Hayabusa2 da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão. Os cientistas esperam que esta amostra ajude a desvendar os segredos sobre a formação inicial dos planetas e talvez até mesmo sobre as origens da vida na Terra. A Hayabusa2 está agora numa missão prolongada que a irá levar até outro asteroide em 2031. (Do artigo “Pequenas maravilhas que revelam segredos do sistema solar”, setembro de 2021.)

Fotografia de NORIKO HAYASHI, National Geographic

No dia 11 de julho, o bilionário Richard Branson, dois pilotos e três passageiros voaram mais de 80 quilómetros acima da superfície da Terra – considerada pelos EUA a fronteira com o espaço – a bordo de um avião espacial operado pela Virgin Galactic, empresa fundada por Richard Branson. Esta empresa é uma de várias que competem para oferecer alguns minutos de ausência de peso para passageiros mais abastados e cientistas. (Do artigo “O que significa o voo histórico da Virgin Galactic para o futuro de turistas no espaço”, julho 2021.)

Fotografia de Virgin Galactic

Nove dias depois de Richard Branson, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, também abriu o champanhe para celebrar a sua própria viagem até aos limites do espaço. Jeff Bezos e três outros passageiros voaram a uma altitude superior a 100 quilómetros a bordo do New Shepard, o foguetão suborbital operado pela empresa Blue Origin de Jeff Bezos.

Fotografia de Blue Origin

A corrida da SpaceX e o futuro dos voos espaciais

No dia 2 de fevereiro, a SpaceX lançou o seu foguetão protótipo Starship Serial Number 9 (SN9) num voo de teste em alta altitude. Apesar de o SN9 ter encontrado um destino final explosivo durante a sua tentativa de pouso, a SpaceX conseguiu aterrar com sucesso um protótipo subsequente em maio. O Starship vai ser o maior foguetão construído até agora e foi projetado para ser completamente reutilizável.

Fotografia de John Kraus

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Ciência
Rover recolhe a primeira amostra de rocha em Marte, um passo importante na procura por vida alienígena
Ciência
Sonda chinesa aterrou em Marte
Ciência
Para onde foi a água líquida de Marte? Nova teoria oferece pistas frescas.
Ciência
Nova Missão Lunar da China Vai Ser a Primeira a Recolher Amostras da Lua Desde 1976
Ciência
Marte Emite Um Zumbido Estranho

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados