Não Perca a Superlua Mais Brilhante de 2017

A nossa companheira cósmica está prestes a apresentar o melhor espetáculo do ano – saiba como o pode ver.quarta-feira, 22 de novembro de 2017

O que é uma Superlua?
O que é uma Superlua?
O que é uma Superlua? Descubra o que torna a Lua maior e mais brilhante, como isso afeta as marés, e como o fenómeno ganhou este nome.

Na noite de 3 de dezembro, os observadores do céu por todo o mundo terão uma oportunidade de se regozijar sob a primeira — e última — superlua cheia do ano.

Superlua é o nome popular que se dá ao fenómeno de quando uma lua cheia ou nova coincide com uma aproximação da órbita lunar à Terra. A órbita da Lua à volta da Terra não é um círculo perfeito, é elíptica. E isso significa que, numa janela temporal de um mês, a distância que vai da Lua até à Terra se vai alterando alguns milhares de quilómetros, passando do ponto mais próximo (perigeu) para o ponto mais distante (apogeu).

Tecnicamente, esta será a quarta superlua do ano, mas é a única que conseguiremos ver a olho nu. E isso acontece porque as outras três superluas de 2017 coincidiram com luas novas, e na lua nova o disco lunar apresenta-se completamente sem iluminação, escuro, e portanto invisível. (Veja as imagens de uma rara lua cheia vermelha.)

A lua cheia de dezembro acontece oficialmente às 15 h 47 min UT (tempo universal), do dia três. Menos de um dia mais tarde, a órbita lunar fará a maior aproximação ao planeta desse mês, e chegará a cerca de 357 987 quilómetros do nosso planeta, por volta das 9 h UT, do dia quatro. O que significa que a lua, na noite de 3 de dezembro, parecerá cerca de 7 % maior e 16 % mais brilhante do que o habitual.

Não se surpreenda se lhe for difícil perceber a diferença. A lua está tão longe, que estas diferenças subtis podem ser difíceis de perceber a olho nu.

A melhor altura para desfrutar da vista será quando a lua cheia estiver a nascer, alguns minutos depois do pôr do sol, quando um efeito ótico chamado ilusão lunar fizer com que a superlua nos pareça muito maior e mais brilhante do que quando já vai alta no céu.

No decorrer da noite, a lua irá juntar-se à brilhante constelação de Touro. Cubra o disco lunar com o seu polegar e procure uma estrela cor de laranja nas proximidades. Esta estrela chama-se Aldebaran ou Alpha Tauri, e é um gigante estelar, a 65 anos-luz de distância, que marca o olho deste bovino mítico.

Os sortudos observadores astronómicos no norte do Alasca, do Canadá, da Rússia e de grandes partes da China irão conseguir observar, por breves instantes, a lua a colocar-se em frente desta estrela.

E apesar de não ser necessário nenhum instrumento especial para desfrutar o espetáculo celeste, os observadores que usem câmaras com teleobjetivas, binóculos ou telescópios podem utilizar esta oportunidade para conseguir vistas ampliadas da superfície lunar.

Se o seu céu da noite estiver nublado, ainda pode ver a superlua online acedendo ao webcast gratuito do Virtual Telescope Project, que começa às 16 h UT, no dia 3 de dezembro. Os astrónomos irão disponibilizar imagens em tempo real do nosso deslumbrante satélite a nascer e a passar sobre monumentos lendários em Roma, Itália.

E não se preocupe se perder a superlua deste mês, porque terá mais duas oportunidades no início de 2018. A lua cheia de 2 de janeiro e outra no dia 31 de janeiro serão ambas superluas.

Veja também as seguintes imagens de uma rara lua cheia vermelha:

Continuar a Ler