Espaço

Porque é que Estes Pilares de Luz se Formam na Atmosfera?

O fenómeno é observado com frequência a latitudes mais a norte, mas uma massa de ar polar trouxe-o para sul. Terça-feira, 9 Janeiro

Por Sarah Gibbens

Parecem feixes de luz de uma nave extraterrestre, mas os pilares de luz não são uma coisa de outro mundo.

O nome designa um fenómeno meteorológico, no qual estreitas varas de luz se estendem do céu até à superfície terrestre.

Geralmente, este efeito é observado nas regiões mais a norte, próximas do Ártico. Mas graças à vaga de frio que tem varrido os Estados Unidos, o fenómeno foi avistado bastante mais a sul, no Ohio.

No passado, acreditava-se que o surgimento dos pilares de luz em latitudes tão a sul era causado por OVNI.

O fotógrafo Mike Vielhaber, do canal de televisão News 5 Cleveland, tirou algumas fotografias, nas quais se podem ver dezenas de feixes branco-azulados, dispersos no horizonte.

Segundo o website Atmospheric Optic, esta ilusão de ótica é gerada quando uma massa de ar frio faz com que milhões de cristais de gelo planos desçam próximo da superfície terrestre. Quando a luz dos candeeiros de rua é refletida pelos cristais, formam-se, então, estas varas estreitas e longas.

Ainda que os pilares de luz na fotografia de Vielhaber pareçam ser brancos, estes tomam a tonalidade da luz que sobre eles incide. Geralmente, os pilares de luz que se formam sobre os candeeiros de rua têm um tom alaranjado.

A melhor altura para observar os pilares de luz é durante a noite. Porém, esta não é a única ocasião em que feixes de luz aparecem subitamente nos céus. Quando a luz do sol nascente ou poente incide sobre os cristais de gelo, origina-se um efeito conhecido como pilares solares. Estas barras de luz geralmente assumem os tons vermelho-rosado e laranja do sol, enquanto este se move no horizonte.

Os pilares de luz, tais como aqueles avistados no Ohio, são observados, geralmente, num ponto de meio-dia entre a fonte de luz e o observador. Quando os cristais estão localizados mais acima na atmosfera, ou a fonte de luz está mais próxima, os pilares parecem formar-se diretamente sobre o observador, como se de um candelabro atmosférico se tratasse.

Os cristais de gelo localizados mais abaixo originam uma série de outros estranhos fenómenos atmosféricos, tais como parélios e halos solares.

Continuar a Ler