Espaço

Assista a Marte no seu Expoente Máximo e Mais Brilhante numa só Década

Eis como conseguir uma vista privilegiada do planeta vermelho à medida que ele fica o mais próximo da Terra que já esteve desde 2005.

Por Andrew Fazekas

20 maio 2016

Prepare-se para explorar Marte do seu quintal. O planeta vermelho está prestes a chegar o mais próximo da Terra que já esteve em Novembro de 2005. E por essa mesma altura, os observadores do espaço poderão ver o nosso mundo vizinho na sua forma mais brilhante de todo o ano.

Às 6 da manhã ET (10:00 da manhã UT) a 22 de Maio, Marte irá alcançar o que os astronómicos chamam de oposição. Ou seja, quando o sol, a Terra e Marte se alinham num caminho reto, de tal forma que Marte parece subir a leste enquanto o sol se põe a oeste, tornando o lado mais luminoso do planeta visível durante toda a noite.

Marte também fará a sua abordagem mais próxima da Terra a 30 de Maio, ficando a apenas 46.7 milhões de milhas (75.3 milhões de quilómetros) de distância. A realização destes dois eventos num tão curto espaço de tempo significa que o planeta vermelho irá aparecer invulgarmente largo e luminoso, quando visto aos telescópios, durante as próximas semanas.

Não esperaríamos que Marte fosse tão grande como a lua inteira, que tivesse tantos embustos como os sugeridos nos últimos anos, e esta oposição será a nossa melhor aposta para ver o planeta vermelho até 2018.

Tal acontece porque Marte alcança a oposição uma vez a cada 26 meses, quando a Terra consegue ultrapassar o planeta na sua faixa mais apertada em torno do sol. Mas ao contrário da órbita mais circular da Terra, a trajetória de Marte é bastante elíptica. Isso significa que a distância entre os dois mundos varia, tornando umas oposições melhores que outras.

O melhor encontro que ocorreu anteriormente foi em Agosto de 2003, quando Marte atingiu um recorde de 35 milhões de milhas (56 milhões de quilómetros) de distância. Condições ideias como essas não ocorrerão até 2287.Ainda que não estejamos tão perto como nessa oposição, Marte irá ofuscar a maioria das estrelas mais brilhantes da primavera e passear lá no alto do nosso céu, tornando-se numa vista maravilhosa.

Para além de oferecer visões bonitas, a oposição tem tradicionalmente sido o cenário para as invasões robóticas de Marte. Por causa da proximidade de Marte e do alinhamento com o nosso planeta, a altura da oposição é a melhor para enviar naves espaciais, poupando tempo de viagem e custos com combustível.

Este ano, a European Space Agency's ExoMars Trace Gas Orbiter foi lançada em Março e está agora dirigindo-se para Marte, e muitos outros planos para missões humanas futuras serão estipulados durante a oposição.

Marte e companhia

Muitos espetadores perspicazes já deverão ter notado que o planeta de fogo está cada vez mais brilhante nos nossos céus noturnos nos últimos meses, tornando-se mais facilmente detetável a olho nu como um dos objetos tão brilhantes no céu quanto as estrelas.

Para rastrear o planeta guerreiro, basta ir lá fora depois de anoitecer em qualquer noite clara e procurar um farol ouro-laranja brilhante que se erga no horizonte oriental. Marte irá deslizar por cima do céu do hemisfério sul ao longo da noite, pondo no Oeste pela madrugada.Esta oposição favorece os observadores no Hemisfério Sul, porque o planeta irá viajando pelas constelações a sul de Ophiuchus, Scorpius, e Libra. Mas os observadores em posições mais a norte à volta do globo conseguirão, mesmo assim, ter visualizações impressionantes.

A lua cheia irá criar uma parelha espetacular com Marte na noite 21 de Maio, tornando o planeta vermelho ainda mais fácil de caçar. Os dois objetos brilhantes irão dominar as horas noturnas, viajando juntos enquanto aparentam estar separados por apenas cinco graus, igual à largura de três dedos médios mantidos no comprimento do braço. n

Somando ao espetáculo cósmico, Marte irá unir-se ao planeta rodeado de amarelo, Saturno, e à estrela vermelha gigante de Antares durante as próximas semanas, com o trio formando um padrão triangular crescente no céu oriental ao início da noite.

O Planeta Vermelho de Perto

Na maioria das vezes Marte não tem muito que ver através de um telescópio, porque é apenas um ponto de tonalidade laranja, minúsculo e distorcido. No entanto, tudo o que se transforma durante a oposição, quando o planeta se torna um disco preenchido com caraterísticas tentadoras.

Até um telescópio pequeno com um espelho de seis polegadas permitirá desvendar os detalhes da superfície como a calota de gelo branca e distinta a sul, e regiões escuras que são campos rupestres varridos pelo vento.

Se formos até lá fora este fim de semana e olharmos para cima, é maravilhoso pensar que a cor avermelhada de Marte que podemos ver a olho nu é causada pela luz solar, que reflete a poeira rica em ferro que cobre este mundo estéril, mas intrigante.n

Aproveita o espetáculo!

Tem questões sobre a visualização de Marte?

Andrew Fazekas, o “homem do céu noturno”, é o autor do Star Trek: The Official Guide to Our Universe. Siga-o no Twitter, Facebook, e no seu website.

Continuar a Ler