Espaço

Plutão é Maior do que Nós Pensávamos

Plutão, o pequeno, um planeta anão congelado na extremidade do Sistema Solar, foi oficialmente declarado o maior mundo na sua vizinhança. O planeta é apenas um dos muitos corpos gelados no Cinturão de Kuiper, um vasto anel de detritos para além da órbita

Por Nadia Drake

13 julho 2015

Plutão, o pequeno, um planeta anão congelado na extremidade do Sistema Solar, foi oficialmente declarado o maior mundo da sua vizinhança. O planeta é apenas um dos muitos corpos gelados no Cinturão de Kuiper, um vasto anel de detritos para além da órbita de Neptuno. Tem havido alguma incerteza durante a última década se Plutão é o maior entre esses mundos ou se o recentemente descoberto planeta anão Éris ganha esse título.

Atualmente, já não há essa dúvida.“Plutão é um bocadinho maior do que pensávamos,” diz o principal investigador do New Horizons Alan Stern numa conferência de imprensa esta manhã. “Isto resolve o debate sobre o maior objeto no Cinturão de Kuiper.”

A equipa de cientistas do New Horizons determinou que Plutão tem cerca de 1,473 milhas de largura (mais ou menos 12 milhas) – o que o torna maior do que o Éris em cerca de 30 milhas. Mas Éris é ainda mais massivo, o que significa que os dois mundos são de alguma forma feitos de ingredientes diferentes. Na verdade, o diâmetro de Plutão é grande o suficiente para que os cientistas tenham que reconsiderar como ele é inteiro e o que isso significa sobre as suas caraterísticas, assim como sobre a sua atmosfera.

Apesar de Plutão ter sido descoberto em 1930, o seu tamanho exato tem sido um mistério até agora. A atmosfera de azoto inchada do planeta torna difícil para os telescópios distantes verem todo o caminho até à superfície do mundo. Por essa razão, é difícil de determinar a largura exata de Plutão de longe. Agora que a New Horizons está bem perto de Plutão, ela poderá responder a estar questão pertinente — e a outras.

Hoje, os cientistas também partilharam mais dados da nave espacial. Para começar, a presumível e recentemente descoberta calota polar é, na verdade, uma calota polar. Os resultados sugerem que é feita de nitrogénio e metano gelado, ambos os constituintes de geadas na superfície de Plutão. De seguida, a sonda detetou nitrogénio a escapar da atmosfera de Plutão durante 5 dias – o que é demasiado cedo do que se tinha antecipado.

Claro, a New Horizons está programada para voar sobre o sistema de Plutão em menos de 24 horas – e todos os sinais sugerem que a sonda está mesmo no rumo certo para voar a 8.000 milhas do planeta anão às 7h50 da manhã, EDT.

“Está tudo bem para a última parte da viagem,” diz o gestor de projeto do New Horizons Glen Fountain.

Retrato de Família

Imagens reveladas fornecem a melhor vista que tivemos de Plutão e da sua lua Caronte até agora, dois mundos que poderiam ser totalmente independentes, se eles não estivessem trancados numa dança um com o outro.

Plutão, que é grande e vermelho alaranjado, está coberto de manchas escuras e algumas brilhantes. Até agora, a sua superfície malhada aparece relativamente suave e desprovido de penhascos e crateras – mas isso pode mudar à medida que New Horizons se chega mais perto.“Plutão tem estas coisas grandes, macias e sem forma por toda a parte que são bastante diferentes do que já vimos nos outros mundos de gelo que já vimos até à data – possivelmente com a exceção de Tritão,” diz Paul Schenk do Instituto Lunar and Planetary Science, referindo-se à lua de Neptuno que muitos cientistas supuseram que se assemelhasse a Plutão. Mas à medida que New Horizons se aproxima de Plutão, diz Schenk, os mundos vão parecendo curiosamente diferentes um do outro.

Caronte, em vez de ser avermelhada, é uma esfera cinzenta escura com um pólo ainda mais escuro. É marcada por crateras e dividida por fraturas, assemelhando-se a uma mistura das pequenas luas geladas que orbitam Saturno e Urano. “Caronte é muito mais uniforme [em cor], excepto a mancha escura,” diz Schenk. “Vamos procurar se existe alguma associação particular com material proveniente de Plutão e a cair no pólo. É algo que podemos identificar, ou não é a resposta correcta? Não temos o resultado.”

Mas não durante muito tempo. O voo de amanhã irá revelar os mundos em detalhes sem precedentes. “Se se pudesse transportar o Central Park para Plutão, conseguiríamos identificar as lagoas do Central Park” durante a maior aproximação, diz Cathy Olkin, vice-cientista do projeto New Horizons.

Em breve, New Horizons irá conseguir reunir montes e montes de dados, e todos os segredos que esses mundos têm mantido durante os últimos 4.6 biliões de anos serão revelados.

Continuar a Ler