Espaço

SpaceX Pretende Enviar Nave Espacial para Marte em 2018

A empresa pretende enviar versões modificadas das suas cápsulas Dragon para o planeta vermelho como parte de um objetivo a longo prazo de fazer chegar humanos a Marte.

Por Nadia Drake

27 Abril 2016

O fundador da Space X, Elon Musk, disse celebremente que quer morrer em Marte— não apenas com o impacto. Hoje, a empresa aeroespacial divulgou os planos para começar a enviar cápsulas Red Dragon para o planeta vermelho em 2018. Os primeiros voos não terão humanos a bordo mas, no entanto, representarão um primeiro passo fundamental para deixar pegadas dos astronautas em Marte.

Por mais ambicioso que possa soar, a SpaceX não é a única empresa de exploração espacial esperançosa em relação a Marte. Na semana passada a China também revelou planos para enviar uma nave espacial para Marte em 2020, quando o alinhamento entre a Terra e Marte favorecer a viagem interplanetária (tal como em 2018)

Os detalhes para ambos as tentativas ainda são vagas, embora o diretor da Administração Espacial Nacional da China (CNSA) tenha dado a entender que a missão do país será consideravelmente complicada.

“A sonda prevê orbitar o planeta vermelho, aterrar e projetar um rover, tudo numa só missão, o que é bastante difícil de conseguir,” disse Xu Dazhe, o diretor da CNSA, a 22 de Abril, de acordo com a Xinhua News Agency. No entanto, a China fê-lo com sucesso na lua, quando a sua sonda Chang’e 3 entrou em órbita, aterrou e impantou o rover lunar Coelho de Jade (ou Yutu) em 2013.

Musk irá discutir os seus planos para a colonização de Marte mais profundamente no Congresso Internacional de Astronáutica, em Guadalajara, México, em setembro. Esses planos poderão incluir enviar humanos para Marte e, algum período da década de 2020, um programa de exploração que envolverá uma colaboração não financiada com a NASA.

"Entre as várias coisas emocionantes que estamos a desenvolver com as empresas americanas, estamos particularmente entusiasmados com um projeto futuro da SpaceX que irá ser construído sem qualquer troca de fundos, mediante um acordo que temos com a empresa, ‘no-exchange-of-funds’ agreement we have with the company,” escreveu hoje o administrador adjunto da NASA, Dava Newman, numa publicação de um blogue.

“Em troca da entrada marciana descendente e dos dados de desembarque da Space X, a NASA oferecerá apoio técnico para o plano da empresa em tentar aterrar uma nave espacial Dragon 2 em Marte sem tripulação."

AUXÍLIO DE UM IMPULSO

O lançamento de naves sem tripulação para Marte é o primeiro passo em qualquer esquema para eventualmente instalar humanos lá, o que Musk terá dito ser um dos seus objetivos quando fundou a SpaceX há mais de uma década. Lançar grandes cargas em Marte não é fácil: Para além do volume de uma nave espacial, a atmosfera fina do planeta não suportará a travagem de estilo paraquedas durante a descida.

É necessária a criação precoce de missões de teste para definir com segurança as cargas pesadas estabelecidas, incluindo seres humanos - tecnologias como a Skycrane movidas a retrorockets que reduziram a curiosidade da NASA acerca dos rovers a enviar para a superfície marciana em 2012.

Por agora, parece que a SpaceX planeia usar tecnologias de propulsão para depositar os Red Dragons, que serão versões atualizadas da nave Dragon 2.

“A Dragon 2 foi concebida para ser capaz de pousar em qualquer lugar do sistema solar. A missão Red Dragon Mars é o primeiro teste de voo em Marte ,” escreveu Musk no Twitter, ao notar que a cápsula Dragon podia não ser ideal para enviar humanos para Marte.“Não seria divertido para viagens mais longas. Volume interno ~tamanho do SUV.”

O plano da SpaceX de enviar a cápsula Red Dragon para Marte irá provavelmente confiar no seu poderoso foguete Falcon Heavy, que a empresa diz que irá estrear mais tarde este ano, mas que já anteriormente terá sido o motivo dos atrasos nos voos.

Jonathan McDowell, um astrofísico do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica, pensa que o plano da SpaceX é aceitável, observando que a empresa "tem o foguete, a nave espacial, o dinheiro, e alguma assistência técnica da NASA." Mas, continua, "atrasos na programação da Falcon Heavy são bastante prováveis, que poderá facilmente empurrar o plano para o ano de 2020. Vou ficar surpreendido/impressionado se eles conseguirem cumpri-lo em 2018"”

Também ainda não há comentários oficiais sobre como a SpaceX irá lidar com os desafios da proteção planetária,sabendo que a nave espacial em contato com a superfície alienígena não deverá representar um risco de contaminação desse mundo com formas de vida terrestres. A SpaceX disse previamente que irá seguir o conselho da NASA e desenvolver um plano de proteção planetária para Marte.

Além disso, a não ser que os viajantes espaciais sejam a favor de uma viagem só de id para esse mundo vermelho e poeirento, há ainda a questão de voltar do planeta - algo que poderá importar a algumas pessoas, incluindo Musk.

Continuar a Ler