Como É que Estes Animais Conseguem Sobreviver Ao Frio?

As temperaturas negativas dos polos ou as águas gélidas dos oceanos são um desafio para qualquer pessoa, mas como sobrevivem os animais?quarta-feira, 16 de maio de 2018

Por National Geographic
Uma raposa-do-ártico, fotografada no jardim zoológico Great Bend Brit Spaugh, no Kansas.

Os animais marinhos e dos polos têm uma capacidade extraordinária de adaptação ao frio. São vários os mamíferos e aves que habitam zonas geladas, ou que lá passam parte do seu tempo. Mas como fazem estes animais para manter as suas temperaturas corporais e não morrer de frio? De entre as dezenas de animais nesta categoria, escolhemos alguns dos mais fascinantes animais marinhos e dos polos, que sobrevivem a temperaturas baixíssimas.

BALEIA-JUBARTE

Como é que uma baleia de 17 metros e 40 toneladas  se protege do frio? Nada para águas mais quentes nos meses mais frios e tem uma camada de gordura com 15 centímetros de espessura debaixo da pele.

A gordura tem um objetivo. É um isolante térmico e uma reserva de energia, quando não encontra comida.

Resultado? As baleias-jubarte conseguem manter uma temperatura corporal de cerca de 37ºC, mesmo nas águas geladas do Antártico.

ver galeria

PINGUIM-IMPERADOR

O pinguim-imperador é o maior de todos os pinguins e o único animal que se reproduz com temperaturas a rondar os 40ºC negativos. Sabe quebrar o gelo!

Este pinguim pode facilmente atingir 1,20m de altura e mais de 35kg. Vive na antártica e é a ave com maior densidade de penas. Porquê? Quase 90% do seu calor corporal fica retido nas penas, e assim mantém-se quente.

As penas ficam eretas em terra, de modo a fixarem ar entre elas, que age como isolante térmico. Quando estão na água, as penas juntam-se à pele, impermeabilizando-a.

Se mesmo assim a sua temperatura estiver a baixar, estes pinguins nadam, andam ou tremem para conservar o calor corporal, e como são animais extremamente sociais, juntam-se em grupos ou colónias.

Como se agrupam em colónias muito organizadas, vão-se movimentando lentamente de modo a que, à vez, todos os elementos passem pelo interior do grupo. Aquilo que normalmente chamamos calor humano também se aplica a estes pinguins.

ver galeria

LONTRA-MARINHA

Enquanto outros animais marinhos têm uma camada de gordura para se aquecerem, a lontra-marinha possui o melhor casaco contra o frio: a sua pelagem.

Este mamífero é o animal com mais pelo do planeta! Mais de 150.000 pelos por centímetro quadrado de pele – tantos como numa cabeça humana. O pelo é tão denso que retém bolhas de ar no interior, isolando a pele do frio.

No entanto, quando mergulham, muito deste ar solta-se, pelo que quando voltam à superfície, as lontras-marinhas têm de tratar do pelo. Como? Espalham uma gordura que o mantém seco e prende as bolhas de ar.

ver galeria

RAPOSA-DO-ÁRTICO

A raposa do ártico é facilmente identificada por ser pequena e branca, mas pode ser azulada ou acastanhada também. Este pequeno mamífero muda a cor da sua pelagem no verão, que passa de branca ou cinza, para castanha ou creme, de forma a camuflar-se com a vegetação da tundra. Habita as zonas árticas na Europa, América do Norte e Ásia, onde a temperatura chega quase aos 50ºC negativos.

Para se protegerem do frio, as raposas do ártico adotam certos comportamentos como fazer tocas subterrâneas – às vezes mesmo no gelo –, e enroscar-se para dormir, enrolando as caudas felpudas à volta das patas.

Às vezes passam semanas inteiras nas tocas, alimentando-se de comida que guardaram. Sendo pequenas, com patas e orelhas curtas, minimizam a perda de calor pela superfície da pele. O pelo debaixo das patas permite-lhes caminhar na neve e gelo.

UMA RÃ QUE COME COM OS OLHOS? ESTES ANIMAIS FAZEM COISAS INCRÍVEIS.

Curioso sobre o mundo animal? A National Geographic e a McDonald’s mostram o que nunca imaginou. Melhor que um safari, a um Happy Meal de distância.

Conteúdo National Geographic em parceria com a McDonald's
Continuar a Ler