As Crianças Não Podem Explorar o Mundo Neste Momento – Mas Podem Mapeá-lo

Sugerimos também 9 ideias para mapas criativos.

Friday, May 29, 2020,
Por Ruth A. Musgrave
Fotografia de Westend61 / Getty Images


Neste momento, as crianças provavelmente não estão a explorar o que as rodeia como faziam há poucos meses atrás. Portanto, devemos dar-lhes outra opção: fazer com que explorem o mundo através da criação de mapas.

Os mapas revelam mais do que ir do ponto A ao ponto B – e também contam uma história. Os mapas podem revelar o trajeto de um inseto, explorar os padrões de comportamento dos animais no nosso bairro, e podem até imaginar um mundo do futuro.

A criação de mapas ajuda a manter os cérebros das crianças ativos e promove capacidades linguísticas, artísticas e conhecimentos geográficos e históricos. Usar uma perspetiva diferente para pensar sobre pessoas e lugares inspira a criatividade. E a compreensão das relações em termos de espaço aumenta as capacidades de raciocínio que são importantes para uma aprendizagem STEM (sigla inglesa para ciência, tecnologia, engenharia e matemática).

E durante estes tempos de distanciamento social, os mapas podem ser mais importantes do que nunca. “Os mapas ajudam as crianças a descobrir outros lugares e pessoas”, diz James Meacham, cartógrafo e geógrafo da Universidade de Oregon. “Os mapas reforçam a forma como estamos ligados.”

Seguem-se algumas ideias para a criação de mapas que vão colocar os seus filhos num novo trilho de exploração.

Primeiros passos
O primeiro passo é descobrir o que o seu filho deseja mapear. Obviamente, os mapas podem ser geográficos, mas também podem inspirar diferentes tipos de histórias. Os mapas que não são geográficos mostram como as coisas estão interligadas: uma árvore genealógica, ingredientes para um cupcake com cara de palhaço, ou o trajeto no ar de um avião de papel.

Desperte o lado criativo dos seus filhos debatendo as ideias que eles desejam expressar – sejam animais preferidos, eventos ou tópicos que queiram explorar. Isto ajuda a visualizar e a organizar as ideias.

Depois, peça às crianças para escolherem entre três a cinco características que o mapa deve conter. Por exemplo, se o mapa rastrear o trajeto de formigas na calçada, será que precisa de ter plantas, ou apenas pontos verdes para as representar? Será que é necessário desenhar todas as formigas, ou apenas o trilho por onde seguiram? Pensar nestas coisas permite que as crianças contem a história que querem sem se sentirem sobrecarregadas. “Alguns mapas incluem mais informações do que outros”, diz Joanna Merson, cartógrafa que desenvolve mapas interativos online para o UO InfoGraphics Lab em Eugene, no Oregon. “Depende apenas do que o mapa está a tentar transmitir.”

Construir o mapa
Os mapas precisam de dados, seja o percurso de um lugar para o outro, observações pessoais, padrões climáticos ou notícias fictícias sobre avistamentos do Bigfoot.

Comece por fazer um diagrama para recolher ou rastrear informações. “Se o seu filho estiver a mapear animais no quintal, observe quando e onde foram vistos”, diz Merson. Inclua observações sobre quaisquer padrões – se o animal está no chão, se está escondido à sombra, ou se está a fazer ruídos em determinados lugares. Use estes dados para construir o mapa.

Martha Sharma, consultora de geografia da cidade de Hilton Head Island, na Carolina do Sul, sugere que se façam perguntas para ajudar a criança a visualizar o mundo, a história, a reunir informações e a forma de as expressar no mapa. “Pode começar a conversa perguntando se existem rios ou se as pessoas vivem todas na cidade. Pergunte se há monstros. Estas perguntas devem geralmente começar por quem, o quê, quando, onde e porquê.

Se as crianças estiverem a começar do zero, podem começar com rabiscos simples. E olhar para outros mapas à procura de inspiração não é batota. “Os cartógrafos geralmente começam com um mapa existente e depois adaptam-no para partilhar uma história com o seu toque pessoal”, diz Meacham.

Deixe que a imaginação da criança dite a criação do mapa. Sejam lápis de cera ou imagens digitais, papel ou tecido, fotografias ou desenhos... qualquer coisa serve para fazer um mapa. (Também se pode criar um mapa “antigo” amarrotando o papel e mergulhando-o em chá diluído – mas faça primeiro um teste com outro pedaço de papel.) “As crianças que gostam de uma vertente mais artística podem querer desenhar com giz num chão de cimento”, diz Sharma. “E uma criança que adore fazer construções de LEGO pode preferir um mapa com medidas precisas e muitos detalhes.”

E não se preocupe com coisas como a precisão das distâncias ou as legendas – concentre-se apenas na diversão. “Dê prioridade à criatividade e não a um mapeamento feito com precisão”, diz Sharma.

9 Ideias para mapas
Precisa de uma ideia criativa para um mapa? Uma destas irá certamente inspirar o seu filho.

Faça um mapa da vida selvagem do seu bairro ou quintal. Observe o percurso de formigas na calçada, procure trilhos de caracóis, observe por onde os cães ou gatos andam ao longo do dia, ou onde crescem dentes-de-leão. “Esta atividade também pode incluir os amigos”, diz Sharma. As crianças podem fazer uma videochamada para comparar o que observaram e debater as diferenças.

Faça um mapa da perspetiva do seu cão. Pense onde ele gosta de andar, dormir e urinar. Pense onde vivem outros cães no bairro, quantas vezes o seu cão vai comer e outras coisas que ele goste. (E faça também um mapa para os gatos!)

Imagine um mapa. Existem monstros amigáveis nas redondezas? Crie um mapa baseado em avistamentos fictícios de criaturas míticas no seu bairro.

Faça uma árvore da amizade. Este mapa deve conter os melhores amigos do seu filho e informações adicionais – quando e onde se conheceram, momentos mais divertidos, histórias engraçadas e outras ligações.

Resolva um mistério. Verifique debaixo das camas ou nas almofadas do sofá para ver se encontra algo que que não pertence ali, como uma moeda ou uma meia perdida. Mapeie como é que estes objetos chegaram até ao local e englobe um pouco de tudo, desde o trajeto do supermercado até à sola de um sapato. Torne a história ainda mais emocionante e adicione tipos improváveis de transporte, como naves alienígenas ou uma entrega feita por dinossauros.

Mapa para o futuro. Peça às crianças para pensarem em informações que querem dar às pessoas daqui a cem anos, e depois para fazerem um mapa com os locais mais importantes: a escola, o sítio onde brincam mais, as casas dos melhores amigos, o lugar onde algo incrível aconteceu e outras histórias pessoais.

Ou imagine o futuro. Faça um mapa da sua cidade – mas imagine como será daqui a cinquenta, cem ou mil anos.

Faça um mapa fictício. Pense nos seus locais favoritos e coloque-os no universo de uma personagem de um livro, em Marte, ou em lugares famosos como o antigo Egito.

Faça um mapa de desejos. Se houver algum sítio que os seus filhos sempre quiseram visitar, peça-lhes para descobrirem quem vive nesse local (pessoas e animais), que tipo de comida cultivam lá, como é o tempo, e outras coisas que tornem esse lugar especial.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com.

Continuar a Ler