Dos Pais Para a COVID-19: Vamos Retomar os Nossos Fins de Semana.

O confinamento está a fazer com que os sábados e os domingos se pareçam com o resto da semana. Eis como se pode alterar esta situação.

Wednesday, June 17, 2020,
Por Heather E. Schwartz
Fotografia de Cavan Images / Getty Images


Os fins de semana costumavam ter um ritmo que funcionava para Ezina LeBlanc, de Calabasas, na Califórnia, e estavam recheados de aventuras para os seus gémeos de 19 meses. “Todos os sábados íamos à praia, fazíamos caminhadas, piqueniques, visitávamos museus, parques temáticos ou íamos esquiar em Mammoth Lakes”, diz Ezina.

Shermikia Lemon tinha uma rotina semelhante. Esta mãe de Greensboro, na Carolina do Norte, fechava o seu portátil à sexta-feira e dedicava o fim de semana às compras, via filmes e fazia piqueniques com o seu marido e as duas filhas.

Depois, chegou a pandemia.

No primeiro sábado em que ficou fechada em casa, Ezina LeBlanc deu por si a ouvir a música Ring Around the Rosie e a dançar ao som de Baby Shark durante horas. Shermikia Lemon voltou-se para o trabalho para preencher os fins de semana. “Eu estava a lidar como todos os dias da mesma forma”, diz Shermikia. “Eu acordava, tomava café e seguia diretamente para o computador, mesmo aos sábados e domingos.”

Em “tempos normais”, os dias da semana eram preenchidos com a escola e o trabalho; os fins de semana eram para descansar. Mas a COVID-19 forçou as famílias a ficarem em casa, dia após dia, fazendo com que todos os dias parecessem iguais. Rapidamente ficou aparente que a pandemia tinha roubado os fins de semana a muitas famílias, logo no momento em que mais precisavam deles.

“Para sermos produtivos e termos uma boa semana de trabalho, precisamos absolutamente de tempo para descansar, ou de algo que nos dê energia”, diz Paola Tursi, organizadora profissional.

Embora a estrutura que conhecíamos tenha sido alterada, Paola diz que podemos recuperar os nossos fins de semana com um plano livre: dividir o sábado e o domingo em manhã, tarde e noite. Podemos anotar algumas ideias ao longo da semana para fazer, e preencher os intervalos de tempo disponíveis para fazer as coisas dessa lista.

“O fim de semana é uma oportunidade para descansar realmente, e isso pode acontecer em tempos de pandemia”, diz Paola. “Trata-se de escolher e de estabelecer prioridades e de as respeitar.”

Começar as manhãs à nossa maneira
Os fins de semana de preguiça, onde não fazemos nada, não são uma novidade. Mas antes da pandemia, podíamos substituir a preguiça por uma atividade qualquer ao ar livre. Agora, parece que a inatividade se estica inadvertidamente ao longo do dia.

Uma forma de prevenir esta situação: Começar com muita energia e seguir a partir daí. “Eu e o meu marido ouvimos Alexa e KidzBop e fazemos uma festa de dança com as crianças”, diz LeBlanc.

As manhãs calmas também podem ser mais fáceis de controlar se houver um plano. Chris Reavis e o seu filho de 11 anos gostam de jogos de tabuleiro, mas às vezes o filho faz desenhos, escreve ou faz um puzzle. Mas quando a hora de almoço termina, este pai de West Linn, no Oregon, certifica-se de que todos ficam mais ativos.

E se alguém quiser passar um dia inteiro sem fazer nada? Também não faz mal, mas devemos assegurar-nos de que é uma escolha apropriada.

“Se de repente nos apercebermos que já é de noite, que ainda não tomámos banho e que não fazemos ideia de como é que o dia desapareceu, provavelmente vamos arrepender-nos”, diz Paola. “Temos de tomar uma decisão e de agir de acordo com a mesma.”

As tardes não têm de se arrastar
Com grande parte das atividades tradicionais de fim de semana extremamente limitadas ou completamente encerradas, os pais ficam geralmente com o horário da tarde vazio. Mas preencher as tardes com atividades que se destacam aos fins de semana pode ser um desafio, sobretudo quando tudo – o trabalho, a escola, a socialização e o tempo pessoal – acontece em casa.

“Parece que perdemos o nosso ‘espaço de segurança’, aquela privacidade em casa, e não temos outro sítio para onde ir”, diz Paola. “É por isso que precisamos de criar novas circunstâncias.”

Por vezes, isto significa substituir rotinas antigas por outras novas. Antes da pandemia, Reavis e o seu filho tinham uma rotina regular ao fim de semana. O almoço na sua loja preferida de burritos era seguido por treinos e partidas de ténis. Agora, caminham. “Descobrimos um parque diferente na floresta perto da nossa casa que tem pontes e lugares muito bons para explorar”, diz Reavis. “O meu filho está tão entusiasmado com isto como quando estreia um novo filme da Marvel.”

Outras famílias estão a transformar atividades antigas e pouco frequentes em atividades regulares de fim de semana. Por exemplo, antes de trabalhar a partir de casa, Shermikia Lemon e a sua família faziam ocasionalmente piqueniques num lago ao fim de semana. Agora, Shermikia faz questão de fazer isto todos os fins de semana, para se manter afastada do portátil.

Para Kathy Heffernan, de Lynn, no Massachusetts, uma mudança de cenário fora de casa é particularmente importante depois de uma semana dividida entre o trabalho e o seu filho de cinco anos. Esta família geralmente sai para passear pela natureza ou para fazer outra atividade, independentemente do tempo. “Se estiver a chover, calçamos as botas, abrimos o guarda-chuva e vamos saltar nas poças de um lago aqui perto”, diz Kathy.

Termine tranquilamente à noite
As refeições especiais, ficar acordado até tarde... é para isso que servem os fins de semana. E durante a pandemia ainda mais. Mas um miminho de fim de semana só funciona se for projetado dessa forma.

Kerry Wekelo, de Reston, na Virginia, faz jantares temáticos ao domingo com as suas filhas de 12 e 14 anos. Recentemente, uma noite dedicada à cozinha francesa foi acompanhada por uma receita de crepes que era da avó de Kerry.

“Eu queria que os fins de semana fossem divertidos e que envolvessem interação, em de vez de serem enfadonhos.”

No início do período de confinamento, Elaine Harrison deixava a sua filha de 14 anos ficar acordada até tarde todas as noites. Mas quando esta mãe de Devon, em Inglaterra, limitou isso às noites de sexta e sábado, os fins de semana tornaram-se repentinamente especiais. Há outras atividades noturnas aos fins de semana que podem incluir festas de dança, onde cada membro da família cria uma lista de até 20 minutos de músicas para ouvir, ou uma noite de cinema com petiscos temáticos.

O fim de semana ideal? Terminar com a sensação que descansámos e que aproveitámos o tempo de forma sensata. De acordo com Paola Tursi, é uma sensação que os pais devem manter mesmo depois da pandemia terminar.

“Trata-se de ter um ritmo que substitua os dias de trabalho por dias de descanso. Com sorte, a COVID-19 ensinou-nos a escolher o que é realmente importante para nós e como queremos passar o nosso tempo.”

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com.

Continuar a Ler