As Férias de Verão Foram Canceladas? Mantenha as Crianças Inspiradas com Postais Artesanais

Imaginar viagens pode ajudar as crianças a manterem-se positivas sobre o futuro.

Tuesday, July 7, 2020,
Por Gina DeCaprio Vercesi
Este podia ser o seu filho a imaginar-se num futuro postal de férias.

Este podia ser o seu filho a imaginar-se num futuro postal de férias.

Fotografia de czarny_bez / Getty Images

Se cancelou os planos de viagem que tinha planeado para este verão (e nós apostamos que sim), a reação do seu filho pode ter envolvido uma birra e alguns revirares de olhos. Felizmente, há uma forma antiquada para as crianças manterem vivos os sonhos de viajar – escrever postais.

“Sonhar, fazer planos, manter a curiosidade e imaginar o futuro pode ajudar as crianças a sentirem-se ativas e entusiasmadas em tempos de dificuldade”, diz Sarah Sumners, diretora associada do Centro Torrance para a Criatividade e Desenvolvimento de Talento. “Nós observamos benefícios em termos de humor e de comportamento quando as crianças se envolvem em processos criativos de escrita e pensamento.”

As crianças não podem visitar a Estátua da Liberdade ou comer um gelado em Roma este verão, mas podem fingir que o fizeram criando postais onde partilham factos interessantes sobre os locais que gostariam de visitar. E podem até escrever relatos fictícios das experiências que um dia poderão ter.


“O simples facto de se saber que existe o mundo maior lá fora, mesmo que neste momento esteja inacessível, é definitivamente útil para as crianças”, diz Amanda Moreno, professora associada e diretora do programa de desenvolvimento infantil do Instituto Erikson. “Quando imaginamos, conseguimo-nos separar das circunstâncias em que nos encontramos. Isto é bom para o coração e para a mente porque, quando expandimos o nosso mundo, vemos mais possibilidades, e isso significa mais esperança e otimismo.”

Os postais fazem com que as crianças sintam entusiasmo e antecipação por irem receber correspondência por correio, e são uma boa forma de as introduzir aos prazeres da escrita. “Existe algo de especial em enviar uma coisa a alguém e esperar pela reação”, diz Moreno. “Eu acredito que, quantas mais formas de ligação as crianças tiverem, melhor. E é uma boa forma de alternar entre as ligações que se baseiam em ecrãs.”

Primeiros passos
Comece por pedir aos seus filhos para pensarem nos destinos. Estes podem incluir lugares que a sua família visitou no passado, locais para onde falaram em viajar no futuro ou até mesmo lugares que sonham visitar.

De seguida, faça alguma pesquisa. A internet está repleta de recursos adequados para as crianças, que incluem guias de países, podcasts e passeios virtuais que podem usar para aprender sobre a história, a geografia e a cultura dos lugares que gostariam de visitar. (Se o seu filho tiver menos de 13 anos, monitorize as pesquisas em sites que não são apenas para crianças.) Incentive o seu filho a pesquisar os bairros, os pontos de referência, as atividades e as atrações pelas quais um destino pode ser famoso. Existem museus para visitar? Praias bonitas? Trilhos para caminhadas? Que tipos de animais podem encontrar? Que tipo de comida podem comer? Todas estas informações fornecem conteúdos que podem ser posteriormente usados na projeção e escrita de postais.

E também vai precisar de recolher alguns materiais para trabalhar. Os postais, que não devem ter mais de 14 por 21 centímetros, podem ser feitos de cartão – como o que se encontra nas caixas de cereais – ou de outros tipos de embalagens. As opções para decorar as frentes dos cartões são infinitas. Imprima imagens encontradas online ou fotografias de férias anteriores. Corte palavras e figuras de revistas ou de catálogos antigos para usar em colagens. Cartolina, cola e autocolantes são outras coisas boas para ter à mão. E não se esqueça dos selos!

Por fim, compile uma lista dos possíveis destinatários. Avós, tias, tios, primos, professores e vizinhos são opções válidas. E pode entrar em contacto com estas pessoas com antecedência para pedir que respondam de forma igualmente criativa. Ou pode conversar com os pais de um dos amigos do seu filho para pedir que comecem a trocar postais. Isto pode até fazer com que se iniciem na cartofilia! (Fazer coleção de postais.)

Começar a criar
Seguem-se sete ideias para diferentes tipos de postais que as crianças podem fazer, juntamente com algumas propostas de escrita para despertar a criatividade.

Férias em casa. Passaram mais de três meses desde que os pedidos de confinamento entraram em vigor. Peça às crianças para criarem um postal que explique como tem sido estar em casa durante esta pandemia. Descreva algo divertido – ou não tão divertido – que aconteceu durante este tempo: um acampamento no quintal ou talvez uma experiência de culinária que falhou.

Turismo na sua cidade. Peça às crianças para pensarem sobre como seria a vida de um turista na sua cidade. Existem parques para explorar? Locais históricos? Museus? Praias? Quais são os restaurantes preferidos das crianças?

Viagem virtual. Com o mundo em confinamento, os museus, os jardins zoológicos, os parques, os monumentos famosos, os parques temáticos e até algumas cidades desenvolveram passeios virtuais online que permitem às famílias viajar sem sair de casa. Participe num destes passeios e faça um postal que conte essa história.

Férias de sonho. Se os seus filhos pudessem visitar qualquer lugar no mundo, para onde iriam? Faça alguma pesquisa. Como é que chegariam lá? Onde ficariam? Que pessoas poderiam conhecer? Que tipo de coisas poderiam fazer? Escreva um postal que descreva um dia dessa viagem de sonho.

Viagem literária. Peça às crianças para pensarem numa visita às localizações de alguns dos seus livros preferidos. Se forem fãs do Stuart Little, podem explorar o Central Park. Ou podem escrever sobre uma aventura em Taiwan. Outra ideia é escrever um postal da perspetiva de uma das personagens de um livro. Se Hermione enviasse um postal aos pais a descrever a sua primeira visita a Hogsmeade, o que diria?

Adivinhe o lugar. Eis uma ideia para uma espécie de dois em um – postal e jogo. Para a frente do postal, encontre uma imagem de um marco icónico, como por exemplo a Torre Eiffel, a Grande Muralha da China, a Estátua da Liberdade ou o Grand Canyon. Amplie a imagem para que a frente do postal mostre apenas uma parte abstrata desse ponto de referência – um canto da coroa da Estátua da Liberdade, por exemplo. No postal, forneça pistas sobre o local. O destinatário tem de adivinhar onde fica esse lugar.

Destinos menos conhecidos. Para quê enviar um postal de Roma, com as mesmas fotografias antigas do Coliseu ou da Capela Sistina, quando podemos contar a história de um local menos conhecido? Peça às crianças para escolherem um destino e para pesquisarem sobre um lugar que a maioria das pessoas não conhece – um bairro escondido, um pequeno museu, uma loja que vende brinquedos de madeira feitos à mão – e para escreverem sobre essa visita.

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com.

Continuar a Ler