Ajude as crianças a respirar saúde mental com aromaterapia

Descubra também atividades DIY para ajudar as crianças a começar.

Publicado 16/06/2021, 11:53
Criança cheira peluche - Aromaterapia

   

Fotografia de Annie Otzen / Getty Images

Os extratos e óleos de plantas e flores aromáticas são usados para promover a saúde física e mental das crianças há milhares de anos. Na Índia antiga, os óleos essenciais eram usados durante as massagens ayurvédicas em bebés para promover o crescimento e o bem-estar. Os praticantes de medicina tradicional chinesa adicionavam óleos aos remédios herbais que eram cuidadosamente elaborados para tratar doenças infantis. E as famílias egípcias usavam-nos na culinária para ajudar na digestão, e chegavam a aplicar papiros quentes embebidos em óleo sobre o estômago de uma criança para ajudar a tratar problemas urinários.

Hoje, os americanos gastam anualmente mais de 30.2 mil milhões de dólares em abordagens de saúde complementares, de acordo com o Centro de Saúde Complementar e Integrativa dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA.

“A aromaterapia já existe há séculos, mas agora estamos realmente a começar a compreender que tem benefícios terapêuticos”, diz Scott Schwantes, médico e diretor do departamento de Dor Pediátrica, Medicina Paliativa e Integrativa do Hospital Pediátrico do Minnesota. E embora a maior parte das investigações científicas se tenha concentrado em adultos, cada vez há mais pais que estão a descobrir que as crianças também podem beneficiar com a aromaterapia.


“Os nossos filhos podem beneficiar bastante com as abordagens não farmacológicas”, afirma Scott. “E o olfato é verdadeiramente único entre todos os nossos sentidos – há uma ligação especial entre as emoções, memórias e cheiros.”

Muitos de nós estamos a começar a sentir que este é o início do fim das restrições da pandemia – e isso é ótimo. Mas para as crianças, sobretudo para aquelas com menos de 12 anos que ainda não podem ser vacinadas contra a COVID-19, o stress devido à pandemia ainda pode ser uma prioridade. Muito tem sido feito sobre o apoio à saúde mental e ao bem-estar das crianças, mas os especialistas concordam que adicionar aromaterapia à rotina de uma criança pode ter efeitos extremamente positivos no seu corpo e humor. (Ainda assim, Scott enfatiza que não se trata de um substituto para os cuidados médicos.)

“A aromaterapia é uma experiência maravilhosa e acessível na qual as famílias se podem envolver e que ajuda realmente as crianças”, diz Scott. “E também pode servir apenas para a manutenção da saúde e do bem-estar – que também oferece muitos benefícios.”

Descubra como os pais podem incorporar com segurança a aromaterapia nas atividades diárias dos filhos para promover o seu bem-estar – e algumas ideias DIY para ajudar.

A ciência do olfato

Os humanos confiam nos seus narizes há milhares de anos para sobreviver. Nos primeiros dias de vida, os bebés mostram preferência pelo cheiro da própria mãe e pelo seu leite. O nosso olfato ajuda-nos a identificar alimentos nutritivos ou estragados, alerta-nos para odores perigosos e desempenha até um papel na seleção de parceiros. Os cientistas acreditam que o nariz humano consegue detetar mais de um bilião de odores, e algo aparentemente tão simples como o cheiro a chocolate envolve cerca de 600 moléculas odoríferas.

As crianças têm um olfato particularmente apurado – que amadurece à medida que crescem, atinge o pico na primeira infância e depois diminui gradualmente ao longo da idade adulta. Na verdade, em comparação com as imagens e sons, o olfato ativa as nossas memórias de infância mais antigas e emocionalmente poderosas.

Sentidos como a audição, o tato e a visão percorrem caminhos complexos para chegar ao cérebro. Mas o que torna o olfato tão único, de acordo com Scott, é que quando uma molécula odorífera entra no nariz, vai para o bolbo olfatório do cérebro, onde os sinais são transmitidos diretamente para o sistema límbico, que abriga estruturas como a amígdala e o hipocampo, as áreas do cérebro associadas à emoção e à memória.

As investigações que estudam os benefícios da aromaterapia ainda são limitadas, mas os especialistas citam algumas teorias científicas sobre as razões pelas quais os cheiros afetam o corpo e o cérebro.

A “hipótese farmacológica” afirma que os odores interagem diretamente com os sistemas nervosos autónomo e central, sistemas que regulam tudo, desde o ritmo cardíaco, digestão e até a fala e a memória. Por exemplo, os estudos feitos com lavanda demonstram que o seu aroma afeta a atividade do monofosfato cíclico de adenosina, um mensageiro bioquímico nas células do corpo que pode ser associado ao efeito calmante.

Depois, há a “hipótese psicológica”, que podemos reconhecer quando o cheiro a tarte ou a frango assado nos transporta alegremente para a casa dos nossos avós. Esta teoria sugere que a nossa resposta aos cheiros é algo que se aprende. Por outras palavras, associamos os cheiros a experiências emocionais e, eventualmente, esses cheiros evocam emoções agradáveis ou desagradáveis ligadas a determinadas experiências. Por exemplo, um estudo demonstrou que as pessoas expostas a cheiros agradáveis, como biscoitos no forno ou café torrado, tinham mais propensão para ajudar um estranho. Outro estudo descobriu que as pessoas expostas a um odor desagradável tinham menos tolerância à frustração.

Princípios básicos da aromaterapia para crianças

As evidências empíricas ainda são limitadas, mas há vários aromas em particular que parecem promover o bem-estar nas crianças, diz Vanessa Battista, enfermeira do Programa Neuromuscular do Hospital Infantil de Filadélfia.

A lavanda é um aroma calmante e pode ser usada tanto para acalmar a ansiedade nervosa como para acalmar erupções ou irritações cutâneas. O aroma doce a tangerina e laranja é revigorante e pode ser usado como estimulante quando as crianças se estão a sentir cansadas ou desconcentradas; e também pode ser usado para ajudar a relaxar. (Scott acrescenta que o limão é outro aroma que pode ajudar na concentração e fadiga.) A hortelã-pimenta pode ser usada para as dores de cabeça e náuseas.

Embora a aromaterapia seja geralmente segura para as crianças, os especialistas alertam que os óleos essenciais não são regulados pelas agências dos medicamentos. Por isso, Vanessa recomenda que os frascos de aromas devem estar fechados e mantidos longe do alcance das crianças. Scott acrescenta que não recomenda o uso de óleos essenciais para bebés por uma simples razão: o odor humano desempenha um papel crucial na ligação entre pais e filhos.

Lisa Squires, coordenadora de enfermagem do programa integrativo de saúde do Hospital Infantil de Filadélfia, diz que os pais podem diluir os óleos com base na idade e no peso da criança e, de seguida, começar com um teste de adesivo de 24 horas para garantir que a criança não tem uma reação adversa. As crianças nunca devem ingerir os óleos.

Os pais também devem fazer um esforço para minimizar os impactos ambientais da aromaterapia, uma vez que a produção de óleos essenciais pode significar altas emissões de carbono devido aos transportes, uso de energia para alimentar estufas, métodos de destilação com uso intensivo de água, potencial escoamento químico da agricultura e colheita excessiva. Reduza a sua pegada, fazendo com que os seus óleos durem mais ao evitar o desperdício – guarde os frascos num local seco, longe da luz solar, para evitar a oxidação, e feche bem as tampas para reduzir a evaporação.

Aromaterapia DIY

“A aromaterapia pode ser muito divertida, mas nem todas as crianças a irão apreciar”, diz Vanessa. “[As crianças com] sentidos de olfato, paladar e tato muito sensíveis podem facilmente ter uma sensação desagradável com estes aromas”, pelo que devemos começar devagar para ver o que as crianças gostam. (Lisa diz que os aromas a lavanda e tangerina são bons para os iniciantes.)

Estas ideias engenhosas podem ajudá-lo a começar – basta reaplicar os óleos a cada poucos dias com base nas preferências aromáticas dos seus filhos.

Quer acalmar (ou adormecer) as crianças? Faça um boneco perfumado com lavanda.
• Escolha um par de meias velhas.
• Encha cerca de dois terços da parte do pé com pedaços de algodão ou pano para formar o “corpo” e prenda-o nesse sítio com um fio de lã.
• Encha o terço restante da parte do pé e amarre-o com outro pedaço de fio para criar a “cabeça”.
• Corte a parte superior restante da meia ao meio para formar orelhas de coelho flexíveis.
• Decore o seu coelhinho com marcadores para tecido.
• Coloque um pouco de óleo de lavanda no boneco de maneira a que as crianças o possam apertar ou manter na mesa de cabeceira.

Quer que as crianças se concentrem ou relaxem? Faça esta ‘massa’ com aroma a tangerina.
• Numa panela, misture 1 chávena de farinha, 1 chávena de água morna, 1/3 chávena de sal, 1 colher de sopa de azeite, 1.5 colher de chá de molho tártaro e algumas gotas de corante alimentar (opcional).
• Aqueça em lume brando até engrossar, retire do lume e deixe arrefecer.
• Junte algumas gotas de óleo essencial de tangerina e amasse até a massa ficar homogénea.
• Sele a massa para ficar fresca. A massa pode ficar com um aroma que dá vontade de comer, portanto, lembre as crianças de que não se trata de comida!

(Mexer em massa é uma ótima atividade sensorial que ajuda as crianças a gastar o excesso de energia e melhora a concentração. Descubra mais ideias sensoriais para experimentar.)

Quer aliviar o stress de uma criança? Faça um pouco de tinta grossa de hortelã-pimenta.
• Numa tigela, misture cerca de 3/8 de chávena de cola branca, 3/4 de chávena de creme de barbear sem perfume, algumas gotas de corante alimentar e óleo essencial de hortelã-pimenta.
• Adicione 1/4 de chávena de farinha e misture bem.
• Coloque a tinta em frascos de plástico ou num saco de plástico e corte um dos cantos.

Quer os benefícios sem as artes? Improvise!
Scott diz que a aromaterapia pode ser tão simples quanto colocar algumas pinceladas de óleo numa bola de algodão e colocá-la perto da criança, ou mergulhar a ponta do cordão de um capuz em óleo para que a criança possa usar o aroma o dia inteiro.

“Nem todas as pessoas têm acesso a um massagista ou acupunturista”, diz Scott. “Mas praticamente qualquer pessoa pode ter acesso a bons óleos essenciais.”

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados