De acordo com as crianças, Kamala Harris é uma inspiração

Perguntámos às crianças o que a nova vice-presidente dos EUA significa para elas. Eis o que responderam.

Por KIM M. WILLIAMSON
Publicado 23/02/2021, 17:07 WET
UM NOVO TIPO DE VICE-PRESIDENTE
Kamala Harris conversa com Roxanna Gozzer, cuja mãe é de El Salvador, ...

UM NOVO TIPO DE VICE-PRESIDENTE
Kamala Harris conversa com Roxanna Gozzer, cuja mãe é de El Salvador, um dia depois de um debate democrata presidencial feito em Miami em 2019.

Fotografia de JOE RAEDLE / GETTY IMAGES

Quando Liya Lyttle, de 9 anos, de Baldwin, em Nova Iorque, viu Kamala Harris a fazer o juramento de posse para se tornar no 49º vice-presidente dos Estados Unidos, Liya sabia que tinha de lhe escrever uma carta.

Querida Sra. Harris,
Eu sou como você e a sua família. O meu pai é jamaicano e a minha mãe é indiana. Também tenho uma irmã. Nem consigo acreditar que você é a primeira vice-presidente negra. Adoro os seus discursos. Estou feliz por você e o Biden terem vencido. Tenha um dia maravilhoso.

A agora icónica imagem de Kamala Harris, vestida com um majestoso fato roxo monocromático – uma referência ao sufrágio feminino – fez com que esta aluna do terceiro ano e americana de primeira geração sentisse que o país podia ser diferente.

“Fiquei feliz”, diz Liya, “porque ela está a dar muita importância ao facto de querer ser uma boa vice-presidente e fazer o melhor pelos Estados Unidos”.

Kamala Harris está rapidamente a tornar-se numa celebridade entre as crianças que ainda são demasiado jovens para votar, e também se tornou num despertar político que é debatido em muitas mesas de jantar. Mas o que tem esta mulher que usa fato e ténis? Qual é o fascínio da primeira graduada de uma faculdade ou universidade historicamente negra a ascender ao cargo de vice-presidente dos EUA? O que se passa com a primeira afro-americana e primeira sul-asiática a possuir as chaves do segundo cargo governamental mais poderoso do mundo?

Aparentemente, muita coisa. Crianças de todas as etnias, rapazes e raparigas, sentem-se inspiradas por esta vice-presidente única. Eis o que as crianças dizem sobre Kamala Harris.

‘Faz-me ter orgulho em ser quem sou’

Em primeiro lugar, há muitas crianças – sobretudo raparigas negras – que estão entusiasmadas por terem alguém na Casa Branca que se pareça com elas.

“Uma mulher nunca foi vice-presidente ou presidente, mas ela é uma mulher negra e é vice-presidente, e eu fiquei muito contente com isso”, diz Kenya Clark, de 13 anos, de New Rochelle, em Nova Iorque, que se identifica como mestiça. “Penso que é simplesmente monumental.”

Ter uma pessoa negra de regresso à Casa Branca é reconfortante para muitas crianças, como por exemplo para Chase Gray, um afro-americano do oitavo ano que frequentava uma escola predominantemente negra, mas que agora frequenta uma escola no subúrbio predominantemente branco de Harrison, em Nova Iorque.

“Em 2008, era muito importante para mim ter Barack Obama como presidente”, diz Chase.

“Sinto que me destaco mais enquanto afro-americano. Agora, ter uma vice-presidente que é afro-americana, faz-me ter orgulho em ser quem sou.”

E o facto de Kamala ser birracial – o pai é jamaicano e a mãe é indiana – também está a ter repercussões em muitas crianças. E é algo que faz sentido: de acordo com o Censo dos EUA de 2020, o número de pessoas que se identificam como sendo birraciais ou multirraciais aumentou 36% desde 2010.

“Penso que, de certa forma, ela representa a maioria dos americanos”, diz Maya Clark, de 13 anos (irmã gémea de Kenya Clark), cujo pai é branco e a é mãe afro-americana. “Acho que as pessoas estão a sentir que têm um lugar e que a América é o seu lar, porque há pessoas que são como elas – há famílias de várias origens.”

Embora tenha sido educada com uma forte noção de identidade, Maya vê a vice-presidente a mudar a forma como ela se vê a si própria.

“Aonde quer que eu vá, geralmente sou a única pessoa mestiça”, diz Maya. “Agora não me sinto necessariamente dessa forma, porque tenho representação num cargo de poder. Sinto que não vou ser a única pessoa na sala que se parece comigo.”

Para muitas crianças, as origens diversificadas de Kamala Harris facilitam as conversas sobre raça.

“A maioria dos meus amigos não é negra”, diz Neena Wittemyer, de 13 anos, de Fort Collins, no Colorado, que juntamente com o irmão Korbin é sul-asiática e branca de segunda geração. “Os meus amigos apoiaram-me sempre, mas sinto que agora, com a vice-presidente no cargo, é muito mais fácil falar sobre temas como raça.”

Mas não são apenas as crianças negras ou raparigas que a nova vice-presidente está a inspirar. Para crianças como Joey Portocarrero, um aluno do quinto ano com raízes suecas e peruanas, os seus pensamentos estão a despertar para algo muito mais profundo.

“[Kamala Harris] faz-me sentir realmente melhor, e faz-me respeitar ainda mais os negros e as mulheres”, diz Joey, que vive no bairro predominantemente branco de Harrison, em Nova Iorque. “Isto quase que me faz querer ser como ela, fazer com que todos sejam iguais.”

‘Eu também posso fazer algo assim’

Ter uma mulher negra como a segunda pessoa mais poderosa dos Estados Unidos também está a deixar as crianças esperançosas de que Kamala pode ajudar a corrigir as desigualdades raciais e de género – e inspirar as crianças a superar quaisquer obstáculos que possam encontrar.

“Agora que Kamala Harris está no cargo”, diz Chase, aluno do oitavo ano em Harrison, Nova Iorque, “acho que vamos ter muito mais oportunidades para ajudar [pessoas de] diferentes culturas e géneros.”

CJ Williams, aluno do quinto ano em Harrison, Nova Iorque, está entusiasmado com a mudança social abrangente que deseja para os afro-americanos como ele. “Com Kamala a ser vice-presidente, isso vai acabar com a injustiça racial, como [o que aconteceu a] George Floyd.” 

Allison Hernandez, de sete anos, mexicana-americana de segunda geração que vive em Dallas, concorda com estas afirmações. “Ela pode ajudar a acabar com a discriminação, como fez Rosa Parks.”

Neena Wittemyer, a menina de 13 anos de Fort Collins, já viveu no Quénia e na Índia. Enquanto mulher sul-asiática/caucasiana de segunda geração, Neena ficou particularmente inspirada com uma imagem que viu.

“No outro dia, vi uma fotografia que tinha todos os vice-presidentes, e depois aparecia a senhora Kamala Harris”, diz Neena. “Ou seja, tinha todos aqueles homens brancos e depois aparecia ela, e isso deixou-me realmente feliz. Acredito que ela vai ajudar na igualdade de género no local de trabalho.”

Um meme muito popular nas redes sociais mostra como Kamala Harris é diferente dos anteriores 48 vice-presidentes.

Fotografia de VOX.COM / VOX MEDIA LLC

Aquela sensação de “poder feminino” – a capacidade de agitar as coisas – está a ter eco em rapazes e raparigas.

“Sinto-me incrível com isto”, diz Madison LaNier, aluna do quarto ano em Missouri City, no Texas, e afro-americana descendente de Thomas Jefferson. “Eu quero ser a primeira afro-americana em Marte. É uma inspiração saber que também posso fazer algo assim – fazer algo que ainda não foi feito.”

Bailey Zimmerman, aluna branca do quarto ano que vive em Danville, na Califórnia, sente que a eleição de Harris impulsiona definitivamente as raparigas. “Estamos no lugar da frente”, diz Bailey. “Ainda não estamos no lugar do motorista, mas temos o controlo das janelas.”

‘Kamala até ao fim’

Para além da raça e género, as crianças estão a ver uma pessoa forte e poderosa no comando, uma pessoa que pode fazer com que as coisas aconteçam. E isso deixa as crianças entusiasmadas.

“A Kamala vai lidar com o vírus”, diz Noah Kim, aluno do quarto ano que vive Seattle e que – juntamente com o seu irmão mais novo, Nathan – frequenta o ensino à distância. “Ela vai prestar atenção a isso, por isso acho que vai acabar muito mais depressa, e depois as crianças podem finalmente regressar à escola.”

O ambiente também é uma prioridade para muitas crianças – e esperam que Harris consiga ajudar a proteger o planeta.

“Agora, quero ser bióloga marinha”, diz Neena, de Fort Collins. “Kamala Harris apoia muitas leis ambientais que me dão a esperança de que o ambiente vai ser seguro quando eu crescer.”

Ellie Zimmerman, aluna do sétimo ano em Danville, na Califórnia (irmã de Bailey), concorda: “Se não agirmos de acordo com a situação, teremos uma desgraça iminente.”

Mas as crianças não estão apenas a olhar para o que Kamala Harris pode fazer enquanto vice-presidente. Coleman Armstrong, aluno do quinto ano em Los Angeles, diz que as crianças estão a pensar a longo prazo, a pensar em quem votarão para presidente quando forem elegíveis.

“Eu sinto que Joe Biden vai ficar os oito anos completos no cargo e, quando eu tiver a oportunidade, será Kamala até ao fim”, diz Coleman. “Kamala Harris pode ser presidente e pode escolher uma pessoa de cor para vice-presidente, seja homem ou mulher.”

“Depois disso, as oportunidades podem ser infinitas.”
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados