10 Fotografias Inesquecíveis da Nossa Edição do Ano em Imagens

Os fotógrafos da National Geographic documentaram um ano que testou, isolou, capacitou e trouxe esperança ao mundo.

Publicado 21/12/2020, 17:23 WET
Enquanto os manifestantes do movimento Black Lives Matter saíam à rua para protestar contra a brutalidade ...

Enquanto os manifestantes do movimento Black Lives Matter saíam à rua para protestar contra a brutalidade policial, desencadeou-se um vasto reconhecimento racial que levou muitas pessoas a exigirem a remoção dos monumentos dos soldados confederados que lutaram para manter a escravatura nos EUA. Em Richmond, na Virgínia, o fotógrafo Kris Graves captou o momento em que os ativistas transformaram uma estátua do general confederado Robert E. Lee num memorial a George Floyd. “Isto resume por completo os tumultos políticos deste ano e como estes tipos de crenças estão profundamente enraizados em ambos os lados”, diz Whitney Johnson.

Através dos nossos processos padrão de coloração de imagem, a National Geographic mitigou 10 situações em que a palavra “F” era visível na fotografia. “É um passo que raramente damos”, escreve a editora Susan Goldberg na edição de janeiro. “Acreditamos que destacar a fotografia é mais importante do que tirar a ênfase de um determinado palavrão; a coloração não afeta a mensagem ou o seu impacto.”

Fotografia de Kris Graves, National Geographic

Depois de todos os tumultos de 2020 – um ano extraordinário que nos trouxe uma pandemia mortal, agitação política, considerações raciais e incêndios florestais que bateram recordes – é apropriado que a National Geographic publique a sua primeira edição de sempre do “Ano em Imagens”.

Em vez de cobrir simplesmente os eventos mais importantes do ano, a edição de janeiro da National Geographic visa captar as diversas formas pelas quais este ano nos testou, isolou, capacitou e nos chegou até a dar esperança. Os nossos fotógrafos refletem sobre o nosso desejo coletivo de segurança, sobre as razões pelas quais era importante documentar estes tempos de convulsão social e os momentos de descoberta que viveram enquanto estavam confinados em casa.

Whitney Johnson, vice-presidente de experiências visuais e imersivas, diz que este ano permitiu à National Geographic contar histórias de uma forma diferente. Embora os nossos editores de fotografia geralmente enviem fotógrafos para todo o mundo para cobrir crises e conflitos, este ano pedimos-lhes para documentarem a forma como estas histórias se estavam a desenrolar nas suas próprias comunidades – uma abordagem que nos permitiu alcançar ainda mais fotógrafos, cada um com perspetivas únicas sobre o mundo que os rodeia.

Embora tenha sido difícil encontrar vislumbres de esperança num ano tão complicado, muitas destas imagens revelam a resiliência do espírito humano e o poder das descobertas científicas – desde manifestantes reunidos em Washington D.C., que forçaram os EUA a lidarem com as realidades de injustiças seculares, às formas inovadoras que as famílias encontraram para conviver numa época de confinamento.

“Estas imagens dão-nos uma noção partilhada de comunidade”, diz Kathy Moran, diretora-adjunta de fotografia. “Estamos isolados, mas é através desta expressão visual das experiências do ano que conseguimos partilhar os momentos. Sentimos o isolamento, sentimos a esperança e sentimo-nos capacitados. É isto que a fotografia nos dá. Liga-nos de uma maneira muito diferente.”

Seguem-se 10 das inúmeras imagens inesquecíveis do nosso “Ano em Imagens”.

Fotografia de Stephen Wilkes, National Geographic

Cinquenta e sete anos depois de Martin Luther King Jr. ter feito o seu discurso – “Eu tenho um sonho” – em frente ao Lincoln Memorial, outra marcha atraiu milhares de pessoas até Washington D.C. para protestarem contra a brutalidade policial e a injustiça racial. Para captar esta cena, Stephen Wilkes fotografou a partir de uma só posição com a câmara fixa num guindaste elevado, captando imagens intervaladas ao longo de um período de 16 horas. Stephen editou os melhores momentos e depois combinou todas as fotografias de forma homogénea numa só imagem.

“Esta é a forma de Stephen usar a sua metodologia única para captar o tempo num dos momentos seminais do verão”, diz Kathy Moran. “A beleza disto, quando olhamos para a imagem, para além da sensação de movimento, vemos todas as personagens principais, incluindo o Reverendo Al Sharpton e a neta de Martin Luther King, que foram vitais para o sucesso daquele dia.”

    

Fotografia de CÉDRIC GERBEHAYE

Em Mons, na Bélgica, duas enfermeiras refugiam-se brevemente na companhia uma da outra durante uma pausa no seu turno. Como aconteceu um pouco pelo mundo inteiro, os hospitais belgas também ficaram inicialmente sobrecarregados com o fluxo de pacientes que chegavam com uma nova doença viral. Estas enfermeiras, retiradas das suas funções normais, foram colocadas a tempo inteiro na secção hospitalar dedicada à COVID-19 – tropas de reforço para uma longa batalha. As enfermeiras estavam tão exaustas que nem repararam em Cédric Gerbehaye, um fotojornalista veterano que já cobriu conflitos no Congo e no Médio Oriente.

“Foi a primeira vez que Cédric sentiu medo tão perto de casa”, diz Whitney Johnson. “Acho que é essa a realidade para estes fotógrafos. Eles estão tão habituados a irem para outros sítios para encontrar estas histórias e sentir esse medo, e aqui estava ele à porta de casa.”

Fotografia de AL BELLO, GETTY IMAGES

Depois de mais de dois meses sem qualquer toque humano, Mary Grace Sileo (à esquerda) e a sua filha, Michelle Grant, e outras pessoas da sua família, encontraram uma solução – penduraram um plástico no estendal do quintal de Mary, em Wantagh, Nova Iorque. Com uma pessoa de cada lado, abraçaram-se através do plástico. “Apesar de tudo o que temos enfrentado, ainda encontramos maneiras de nos ligar”, diz Kathy Moran.

Fotografia de Stuart Palley, National Geographic

Por toda a Califórnia, numa temporada de incêndios que bateu recordes, os bombeiros lutaram contra incêndios florestais massivos que dizimaram milhões de hectares e forçaram centenas de milhares de pessoas a abandonar os seus lares. O fotógrafo Stuart Palley, bombeiro florestal qualificado que fotografou mais de 100 incêndios por todo o estado da Califórnia, cobriu os incêndios florestais para a National Geographic. Embora tenha observado as temporadas de incêndios a piorarem gradualmente ao longo dos anos, Stuart diz que nunca viu uma coisa assim. “É um cerco de fogo.”

Fotografia de Max Aguilera-Hellweg, National Geographic

O médico Gerald Foret coloca uma máscara protetora antes de atender pacientes com COVID-19 no Hospital Our Lady of the Angels em Bogalusa, no Louisiana. Em 2020, entre a pandemia e a violência dos incêndios florestais, a segurança foi uma prioridade para todos, incluindo para os editores de fotografia da National Geographic. “Este foi um ano em que estivemos extremamente vigilantes sobre a segurança dos nossos fotógrafos”, diz Whitney Johnson. Em vez de enviarmos fotógrafos para o mundo inteiro, muitos ficaram perto de casa para mostrarem como é que esta crise global estava a afetar as suas próprias comunidades.

Fotografia de DAVIDE BERTUCCIO

Quando o confinamento foi levantado em Itália, os rituais que tinham sido adiados puderam facilmente acontecer. O fotógrafo Davide Bertuccio registou um dos primeiros casamentos pós-confinamento do país, com Marta Colzani e Alessio Cavallaro a usarem máscaras dentro da Igreja de San Vito, na cidade de Barzanò, perto de Milão. Em março, o Vaticano emitiu um decreto que deixava ao critério dos bispos o planeamento dos serviços religiosos.

Fotografia de Celeste Sloman

A National Geographic assinalou o 100º aniversário do sufrágio feminino nos Estados Unidos com uma reflexão sobre a forma como os ativistas modernos estão a promover o envolvimento cívico – durante um ano que viria a ser contencioso em termos de eleições presidenciais. A fotógrafa Celeste Sloman fez este retrato de Winter BreAnne, uma jovem ativista de Riverside, na Califórnia, que desenvolveu um programa que tem como objetivo convencer os jovens de que votar é importante.

“É assim que elegemos as pessoas que nos representam”, diz BreAnne. “Se não expressarmos a nossa opinião dessa maneira, e quando nem todas as pessoas têm esse direito, estamos a renunciar a muito poder político.”

Fotografia de Muhammad Fadli

“Foi muito fácil encontrar fotografias que mostrassem um mundo em isolamento”, diz Whitney Johnson sobre o processo de curadoria da edição do “Ano em Imagens”. Em 2020, a pandemia de COVID-19 isolou nações inteiras umas das outras e devastou as economias locais que dependem do turismo. Nesta imagem, captada por Muhammad Fadli, o Aeroporto Internacional de Yogyakarta da Indonésia – uma nova instalação em Java Central que foi construída para receber 20 milhões de viajantes por ano – estava vazio um dia depois de o governo ter anunciado severas restrições nas viagens.

Fotografia de Charlie Hamilton James, National Geographic

“Grande parte do trabalho feito no último ano foi, de muitas maneiras, para se encontrar algo de positivo na COVID-19”, diz Kathy Moran. Na Tanzânia, com o Parque Nacional do Serengeti encerrado aos turistas, o fotógrafo de vida selvagem Charlie Hamilton James descobriu que um dos pontos positivos da pandemia era poder ter o Serengeti só para ele – para além das debandadas ocasionais de gnus que corriam pelas encostas empoeiradas.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com.

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados