Fotografia

Entre nas Cidades Futuristas Projetadas Junto a Aeroportos

O fotógrafo Giulio Di Sturco explora o conceito da "aerotrópolis" e pergunta como é que ela vai moldar o nosso futuro.

Por Janna Dotschkal

Um dia, enquanto estava numa sessão fotográfica típica em Bangkok, o fotógrafo Giulio Di Sturco deparou-se com um pensamento notável para o seu próximo projeto. Eu estava a fotografar John Kasarda, um famoso consultor de negócios académico e aeroportos. "No tiroteio vi esta breve palavra, 'aerotrópolis', e não fazia ideia do que essa palavra significava" disse ele.

Enquanto fotografava Kasarda, que cunhou o termo "aerotrópolis" em 2012, Di Sturco aprendeu todos os detalhes sobre o conceito. "Assim que começámos a falar, perguntei-lhe sobre aerotrópolis, e ele começou a descrever este novo conceito de megalópole, este novo tipo de cidade inteligente, diretamente conectado ao aeroporto. Mas só no fim da conversa é que eu percebi que tinha sido ele a inventar a palavra”, diz ele.

"Eu senti um entusiasmo como nunca antes tinha sentido, eu já nem estava a pensar nas fotografias; estava já a imaginar um projeto sobre estas novas cidades, esta forma futurista de viver. Como isso iria afectar-nos, o mercado, a forma de viver, as viagens, etc.”

Di Sturco levou o seu entusiasmo e começou a pesquisar e a procurar diferentes aerotropólises, ao viajar para a Coreia do Sul, Singapura, Bangkok, Hong Kong e Amesterdão. A primeira cidade que ele visitou foi Nova Songdo na Coreia do Sul. Foi em 2011, logo depois da cidade ter sido construída, e ele ficou impressionado com o seu vazio, solidão e isolamento. Mas quando a visitou novamente dois anos depois, a cidade tinha-se transformado completamente.

“As pessoas começaram a mover-se para a cidade porque o governo coreano fez um enorme esforço nesse sentido”, diz ele. “Eles agora têm as melhores escolas privadas do país. A conexão com o mundo é fantástica, com bares e restaurantes a abrir um pouco por todo o lado. A cidade finalmente encheu-se de vida.”

À medida que o mundo se torna mais conectado, Di Sturco diz que os principais aeroportos desempenham um papel ainda maior na economia global. "A rápida expansão das instalações comerciais ligadas ao aeroporto está a fazer as entradas de ar de hoje em âncoras de desenvolvimento do século XXI, onde os viajantes e moradores locais distantes podem realizar negócios, trocar conhecimentos, fazer compras, comer, dormir e divertir-se sem ir mais longe do que 15 minutos do aeroporto."

Di Sturco diz que queria mostrar a escala extrema das aerotropólises. "Visualmente, estou à procura de grandes espaços vazios, onde as pessoas ficam perdidas nas fotos", diz ele. "O projeto é mais sobre o lugar do que sobre as pessoas, mas eu estou interessado em como as pessoas reagem e interagem com este novo tipo de cidade.”

Enquanto ele diz que Kasarda está impenitentemente entusiasmado com o futuro da aerotropólises, Di Sturco tem definitivamente as suas próprias hesitações sobre o conceito.

"Para mim é um pouco assustador, a ideia de que cada cidade deve ser parecida, que tudo é controlado pela autoridade da cidade, que tudo e todos estão a ser observados", diz ele. "Mas, ao mesmo tempo, a nossa sociedade está a ir nessa direção, e a ideia de ter uma cidade em que todos são viajantes e podem partilhar as suas experiências é fascinante."

Di Sturco diz que espera que as pessoas vejam o caminho em que a sociedade irá evoluir em torno destas entradas internacionais no futuro.

"Quero mostrar às pessoas como vamos viver a vida daqui a 20 ou 30 anos a partir de agora, como vamos viver nessas novas cidades, e quão alienante a vida se pode tornar. O progresso tecnológico e conveniência têm um preço. Eu quero comunicar a sensação de solidão e isolamento que eu tinha quando estava a filmar.

"Estas são as cidades mais conectadas que pode imaginar, você pode ir a qualquer lugar, fisica e virtualmente, tudo funciona, e tudo é super rápido, mas ainda terá a sensação de que está sozinho."

Giulio Di Sturco é representado pelo INSTITUTE. Veja mais do seu trabalho no seu site.

Janna Dotschkal é editora fotográfica associada da National Geographic. Siga-a no Twitter e Instagram.

Continuar a Ler