História

Espreite o Interior de um Túmulo Egípcio Recentemente Aberto

O local, com 3500 anos, foi descoberto perto de Luxor e pertencia a um ourives e sua esposa.quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Por Christina Nunez
O túmulo, com 3500 anos de idade, incluía caveiras, múmias, cerâmica e outros artefactos.
Veja as Primeiras Imagens de Um Novo Túmulo Egípcio
Veja as Primeiras Imagens de Um Novo Túmulo Egípcio

A estátua desfeita de um ourives e a sua esposa recebeu os visitantes que recentemente se aventuraram pela primeira vez no interior de um túmulo com 3500 anos de existência perto de Luxor, Egito.

Descoberto na necrópole de Dra Abul Naga, na margem ocidental do Nilo, o túmulo recentemente aberto inclui estatuetas, múmias, cerâmica e outros artefactos, segundo o Ministro das Antiguidades egípcio. O ministro divulgou a descoberta do túmulo numa cerimónia especial realizada no sábado.

Uma das estátuas representa um ourives, Amenemhat, sentado ao lado da sua esposa. Uma figura de um dos seus filhos está mais abaixo. Os arqueólogos afirmam que a família viveu durante a XVIII dinastia egípcia. 

Mais à frente, duas câmaras sepulcrais incluem várias múmias, sarcófagos e máscaras funerárias esculpidas em madeira, além de mais estatuetas do casal. A segunda câmara inclui sarcófagos da XXI e XXII dinastias

Percorra a seguinte galeria para descobrir fotografias impressionantes desta descoberta

ver galeria

O túmulo recentemente aberto não se encontra em bom estado, afirmou Khaled El-Enany, Ministro das Antiguidades, aos jornalistas. Mas o seu conteúdo pode esconder pistas para outras descobertas. Por exemplo, o túmulo inclui 50 cones funerários — um tipo de cerâmica gravada — 40 dos quais revelam vestígios de outros túmulos pertencentes a quatro oficiais do período, divulgou o ministro numa declaração à imprensa.

A expedição ao interior do túmulo também revelou outros poços sepulcrais nas proximidades. Num destes poços, as equipas encontraram a múmia de uma mulher que tinha falecido aos 50 anos de idade, além dos restos mortais dos seus dois filhos. Exames iniciais realizados aos restos mortais da mulher demonstraram que, provavelmente, sofria várias doenças, incluindo uma doença bacteriana a nível dos ossos, de acordo com a declaração do ministério.

Em abril, uma equipa de arqueólogos egípcios descobriu outro túmulo distinto na mesma necrópole com várias múmias, dez sarcófagos de madeira e mais de mil estátuas funerárias. Na altura, El-Enany destacou a importância do achado devido à elevada quantidade de itens descobertos intactos.

Ambas estas descobertas recentes estão perto do Vale dos Reis, a última morada de alguns dos mais conhecidos reis do Egito, incluindo o jovem rei Tutankamon. A cidade de Luxor situa-se a leste do Nilo e os egípcios das classes alta e dirigente eram sepultados a oeste, como sinal de reverência.

Continuar a Ler