Artefactos Maia Encontrados na Maior Caverna Subaquática do Mundo

Restos mortais de preguiças gigantes e proto-elefantes foram encontrados misturados com ossos humanos queimados e cerâmica no sistema de cavernas de Sac Actun, México.

Por National Geographic
Publicado 19/05/2018, 20:20
12 Imagens da Maravilhosa Arqueologia
Arqueólogos estudam uma colossal cabeça de pedra Olmeca, em La Venta, no México, nesta fotografia da National Geographic de 1947. A civilização Olmeca, a primeira na Mesoamérica, oferece pistas valiosas para o estudo do resto da região.
Fotografia por Richard Hewitt Stewart, National Geographic

Investigadores do Projeto Grande Aquífero Maia anunciaram a descoberta do maior sistema de cavernas subaquáticas do mundo no Yucatán após se terem apercebido que dois enormes sistemas de cavernas na península mexicana estavam ligados. Agora, vão revelar as descobertas ao público.

"Esta caverna imensa representa o sítio arqueológico submerso mais importante do mundo", afirmou o arqueólogo subaquático e explorador National Geographic Guillermo de Anda à National Geographic em janeiro, quando o recém descoberto sistema foi divulgado. "Inclui mais de uma centena de contextos arqueológicos, entre os quais provas dos primeiros colonizadores da América, bem como fauna extinta e, obviamente, da cultura Maia."

RESTOS MORTAIS ANTIGOS

Os investigadores afirmam que o nível das águas no sistema de cavernas de Sac Actun, com cerca de 346 km de extensão, deve provavelmente ter variado ao longo do tempo, fornecendo uma fonte de água muito necessária durante tempos de seca severa. Por exemplo, os níveis de água subiram mais de 91 metros no fim da Idade do Gelo, inundando o sistema de cavernas e preservando os restos mortais de megafauna extinta. Os humanos provavelmente não viviam nas cavernas mas, provavelmente, visitavam as mesmas em busca de água.

No sistema, arqueólogos subaquáticos marinhos encontraram restos mortais com 15 mil anos de preguiças gigantes, proto-elefantes denominados gonfotérios e ursos, bem como um altar elaborado ao deus Maia da guerra e comércio.

Mais de 120 sítios com artefactos, como ossos humanos, cerâmica e desenhos murais, foram encontrados nas cavernas, alguns com mais de 12 mil anos. Uma caveira humana está coberta de depósitos de calcário da água da chuva com 9 mil anos, afirma Guillermo de Anda.

Os arqueólogos têm estado a explorar estes sistemas de cavernas há décadas e estas últimas descobertas são consistentes com os artefactos humanos e megafauna anteriormente descobertos no submundo líquido do Yucatán. A enorme extensão do imenso sistema de Sac Actun torna estas novas descobertas particularmente notáveis.

"É muito pouco provável que exista outro sítio no mundo com estas características", afirma de Anda num comunicado. "Existe uma impressionante quantidade de artefactos arqueológicos no interior e o nível de preservação é igualmente impressionante."

Mesmo assim, os especialistas avisam que o sistema de cavernas de Sac Actun está ameaçado pela poluição.

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

História
Ataques de 11 de Setembro de 2001
História
A Hollywood do Porto nos anos 20: produtora Invicta Film
História
Guerra e racismo: migrantes que fogem da Ucrânia são selecionados nas fronteiras europeias
História
Após 11 anos de guerra civil, eis como é a vida quotidiana na Síria
História
“Aquela entrevista transformou as pessoas.” O que fez Tammy Faye – e porque foi importante.

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados