História

Cartografada em Digital a Maior Extensão se Arte Rupestre do Mundo

Os arqueólogos esperam poder usar o vasto acervo de imagens para compreender melhor a vida dos indígenas antes da colonização.Sunday, May 27

Por Sarah Gibbens
Fotografia aérea dos petróglifos gigantes, que adornam a encosta de Cerro Pintado, com sobreposição de grafismos interpretativos para melhorar a perceção das gravuras.

"Os mitos indígenas falam dos rápidos como a casa do deus Sol,” afirma Philip Riris, um arqueólogo da Universidade College of london. "Outro mito descreve que, quando a árvore do mundo (na qual foram gerados todos os animais e plantas) tombou, a sua copa caiu sobre o Orinoco e deu origem aos rápidos”. 

Riris refere-se aos rápidos de Atures do rio Oniroco, na Amazónia, que atravessa a Venezuela ocidental. Em determinado ponto do rio, a partir do qual os barcos não podem avançar, situam-se cinco ilhotas que acolhem algumas das maiores e mais representativas gravuras rupestres do mundo.

O terreno da região faz dela, atualmente, um polo natural de confluência da atividade humana e os arqueólogos acreditam que não fosse muito diferente há 2000 anos.

No seu estudo sobre arte rupestre, que publicou, recentemente, na revista académica Antiquity, Riris realça que os rápidos eram “uma zona de convergência étnica, linguística e cultural.”

Perspetiva aérea da face este em Picure, com sobreposição interpretativa das principais gravuras. A escala surge indicada no canto inferior direito.

A arte rupestre da região integra uma diversidade de temas esculpidos em estilos muito semelhantes, o que para os arqueológos é um indicador de que a região terá sido, em tempos, um polo de confluência de diversos grupos. Riris e uma equipa de arqueólogos, também eles da Universidade College of London, criaram um catálogo exaustivo sobre a arte rupestre, o mais detalhado e vasto feito até à data. Eles acreditam que estes registos lhes permitirão obter uma visão mais alargada da diversidade cultural indígena que caracterizou a região, na época que precedeu a chegada dos europeus.

FERRAMENTAS DE ALTA TECNOLOGIA

Para obter estas imagens, Riris usou drones equipados com câmaras métricas digitais. Estas câmaras utilizam tecnologia de vanguarda para, através da fotografia, criar representações tridimensionais dos objetos.

Riris afirma que os drones foram uma ferramenta extremamente válida, porque a dimensão e a verticalidade de algumas das gravuras inviabilizavam a sua observação a partir do solo.

"Deu-se o caso de estar a limpar algumas gravuras num dos locais menos conhecidos e nem sequer me aperceber de que estava a limpar um único petróglifo gigante,” realça.

A maior gravura conhecida é a de uma serpente com chifres, com 30 metros de comprimento. Um outro painel com uma coletânea de cerca de 93 gravuras, no mínimo, algumas com vários metros de comprimento, ocupa uma área superior a 300 m2.

Segundo Riris, as representações de humanos e animais são alguns dos temas mais retratados nos rápidos de Atures.

ARTE CONCEPTUAL

Outra gravura bastante comum representa aquilo que aparenta ser um flautista rodeado por outras figuras humanas. Pode sugerir o tema recorrente da renovação. Antes da estação das chuvas, a pouca profundidade das águas do rio Orinoco põe a descoberto parte da arte rupestre e, se este foi um dado de relevo para os arqueólogos, poderá ter estado também associado a um ritual há uns milhares de anos.

Outra representação, frequentemente retratada, lembra, segundo os arqueólogos, a forma da letra C, com as respetivas extremidades em forma de espiral. Esta gravura foi documentada na zona norte, até às Caraíbas, e na zona sul, até à Amazónia central.

Um estudo anterior sugeriu que estas espirais representam a virilidade e a fertilidade, mas Riris diz que é difícil aferir o verdadeiro significado das formas retratadas na Venezuela, porque os símbolos tendem a adquirir significados diferentes conforme as regiões.

Riris realça que será necessário conduzir novos estudos para perceber a que tribos indígenas se devem certos temas e gravuras e espera poder, um dia, reunir todos os elementos e obter um quadro completo da vida na região antes da colonização europeia.

Continuar a Ler