História

Dia de Portugal: 5 Portugueses que Marcaram a História do País

Portugal foi e continua a ser um país de grandes feitos. No Dia de Portugal recuamos no tempo para recordar cinco portugueses que marcaram a História.quinta-feira, 6 de junho de 2019

Por National Geographic
Castelo de Guimarães, onde nasceu Portugal.

Foram vários os portugueses – homens e mulheres – que marcaram a história de Portugal e que levaram o país às bocas do mundo. No dia de Portugal, decidimos voltar atrás no tempo e recordar 5 portugueses que ainda hoje fazem história.

Inês de Castro
Inês de Castro foi uma nobre aia galega que marcou a História de Portugal e uma das mais faladas em todo o mundo, pela sua trágica história de amor com D. Pedro I, com quem chegou a ter quatro filhos.

Quinta das Lágrimas, onde D. Pedro I e Inês de Castro se encontravam secretamente.

A tragédia deste romance prende-se, inicialmente, com o facto de D. Pedro I ser casado com D. Constança e Inês de Castro ser a sua aia, quando ambos se conheceram. Depois, D. Afonso IV, pai de D. Pedro I, desconfiado de que este romance fosse um esquema político dos galegos para dominar Portugal, mandou matar Inês. Por fim, quando D. Pedro I se tornou rei, matou de forma bárbara os três homens que executaram Inês, como havia prometido, e atribui-lhe o estatuto de rainha, mesmo depois da sua morte.

Atualmente, D. Pedro I e D. Inês de Castro encontram-se sepultados no Mosteiro de Alcobaça.

Vasco da Gama
Vasco da Gama foi um dos principais impulsionadores de Portugal.

Na época dos descobrimentos marítimos, faltava apenas um navegador para embarcarem naquela que seria uma das rotas de comércio mais valiosas de sempre: o Caminho Marítimo para a Índia. Vasco da Gama destacou-se dos demais pelas suas qualidades de liderança e pelos conhecimentos que detinha sobre os achados de Bartolomeu Dias e os de Pero da Covilhã e Afonso de Paiva. A viagem deu-se, então, sob o comando de Vasco da Gama, abrindo uma rota direta e lucrativa entre a Europa e o Oriente.

Dona Teresa Urraca
Dona Teresa de Urraca, casada com o Conde de Portucale, D. Henrique de Borgonha, foi a progenitora daquele que viria a ser o primeiro rei de Portugal.

Apesar de ser a mãe de uma das figuras mais importantes de Portugal, a relação que mantinha com este não era a melhor. Ficou, então, conhecida na nossa História por ter entrado em guessa com o seu filho, disputando pelo comando dos destinos do Condado Portucalense.

Apesar dos esforços, D. Teresa acabou por abandonar o território, após a batalha de São Mamede, atribuindo, assim, o título a D. Afonso Henriques.

Estátua de D. Afonso Henriques em Guimarães.

D. Afonso Henriques
Seria impossível não falar de D. Afonso Henriques no Dia de Portugal, pois este foi o primeiro rei do nosso país e aquele que conseguiu a sua independência.

Depois da guerra travada com a sua mãe e de ter sido submetido às ordens do seu primo D. Alfonso VII, conseguiu a sua autonomia após vencer a batalha com os Muçulmanos em Ourique, em julho de 1139, e tornou-se no primeiro rei de Portugal em 1179.

Os seus feitos são imensos: para além da independência e das batalhas travadas, conquistou Santarém e Lisboa, em 1147 e, posteriormente, Almada, Palmela, Évora e Beja.

Brites de Almeida
Conhecida como a Padeira de Aljubarrota, Brites de Almeida representa uma das tradições populares preservadas pelos portugueses. Vários autores referem que Brites de Almeida era natural de Faro, alta, “muito feia porque trazia seis dedos em cada mão”, robusta e com bastante força. Trabalhava na casa de pasto, juntamente com o seu pai, servindo os fregueses e os hóspedes.

Reza a lenda que matou sete castelhanos com a pá do forno aquando a batalha de Aljubarrota, ocorrida a 14 de agosto de 1385. Mito ou não, a padeira tornou-se numa referência para os portugueses, em particular, para as mulheres.

Continuar a Ler