História

Tradições Portuguesas: 10 Coisas que Existem Apenas em Portugal

Para além de Saudade, Cristiano Ronaldo e Fado, descubra 10 outras coisas que só consegue encontrar em Portugal.Thursday, August 8, 2019

Por National Geographic
Palácio da Pena, Sintra

Portugal possui algumas das tradições mais peculiares, engraçadas e que não existem em nenhum outro canto do mundo. De Norte a Sul, é possível observar e experienciar algumas das mais típicas e que tão bem retratam a cultura portuguesa. Pronto para ver 10 coisas que apenas encontrará em Portugal?

#1 Caretos
Os Caretos de Podence são personagens originárias do Nordeste Transmontano e do Alto Douro, mas com raízes célticas, da época pré-romana.

Faz parte das principais tradições portuguesas, no Carnaval, os homens usarem máscaras rudimentares, feitas de couro, madeira ou latão, pintadas de vermelho, amarelo, verde ou preto, e onde o nariz pontiagudo fica sobressaído.

As cores garridas também são aplicadas às suas vestes: fatos de colchas franjados de lã. A isto adicionam-se os chocalhos à cintura que dão origem ao típico ruído dos Caretos.

#2 Pauliteiros
Dentro do mesmo estilo da tradição portuguesa anterior, encontramos os Pauliteiros de Miranda.

Estes são um grupo de dança guerreira característica das Terras de Miranda, a dança dos paus. Ao som da gaita-de-foles, caixa, bombo e castanholas, são retratados momentos históricos da região.

Os trajes são igualmente únicos no mundo. O grupo de 8 homens veste uma saia bordada, camisa de linho, colete de pardo, botas de cabedal, meias de lã, um chapéu, normalmente decorado com flores, e, por fim, usam os 2 paus (palos) com os quais dançam de forma coordenada.

#3 Azulejos Portugueses
É uma das marcas mais importantes de Portugal e uma das mais cobiçadas pelos turistas, especialmente pelos mais apaixonados por fotografia. Certamente já viu milhares de fotografias no Instagram tiradas nas paredes de azulejos azuis tão característicos do nosso país. Cobrem muitos dos edifícios públicos e monumentos portugueses e retratam vários momentos da História.

Galo de Barcelos, um ícone português.

#4 Galo de Barcelos
O Galo de Barcelos é um dos símbolos mais famosos de Portugal e que está associado a uma lenda. Lenda essa que conta a história de um galego que passou por Barcelos, a caminho de Santiago de Compostela.

O jovem havia sido acusado de um crime pelos moradores e foi condenado à forca. Alegando estar inocente, suplicou que o levassem até ao juiz. Durante esse encontro, o jovem apontou para um frango assado na mesa do banquete que ali estava a decorrer e disse “É tão certo eu estar inocente, como certo é esse galo cantar quando me enforcarem”. Ninguém o levou a sério, mas, reza a lenda, que no momento em que o enforcaram, o galo levantou-se e cantou.

A sorte do jovem e do juiz, que estava desesperado por ter morto uma pessoa inocente, foi o nó da corda estar mal feito e o rapaz sobreviveu.

De forma a eternizar a lenda, o artesão Domingos Côto criou o primeiro Galinho de Barcelos, uma das maiores tradições portuguesas e um ícone que ainda hoje se mantém popular.

#5 Lenço dos Namorados
Não podemos falar de tradições portuguesas sem referir os Lenços dos Namorados do Minho.

Estes são peças de artesanato e de vestuário típicas da região do Minho, sendo usadas por mulheres com idade para casar. Fazia parte da tradição, as raparigas apaixonadas bordarem os seus lenços com desenhos e mensagens, normalmente em quadras, para entregarem aos seus amados quando estes se ausentavam.

Esta tradição tornou-se tão apreciada pelo seu simbolismo, mas, também, pelos erros ortográficos que as raparigas cometiam ao escrever os textos.

#6 Arte Xávega
É em Espinho e na Costa da Caparica, essencialmente, que se pode observar esta arte perdida: a Arte Xávega.

Consiste na pesca artesanal, feita com rede de cerco e o seu equipamento é composto por um cabo de flutuadores que, a meio, possui um saco de rede em forma cónica (xavalar).

Antigamente, esta arte era praticada com recurso a animais, neste caso, bois, mas, hoje, é feito por via de tração mecânica.

Arte Xávega em Espinho

#7 Zé Povinho
O Zé Povinho faz parte das tradições portuguesas, no que diz respeito às críticas sociais. Foi criado em 1875 por Rafael Bordalo Pinheiro e adaptado como personificação nacional portuguesa.

Na medida em que é uma personagem satírica de crítica social, representa o povo português realçando as suas qualidades e defeitos, de forma exagerada.

É utilizada para criticar o sistema político e outras situações de forma caricata.

#8 Arraiolos
Os arraiolos são uma técnica portuguesa de tapeçaria. O ponto de Arraiolos é um ponto cruzado oblíquo que, por duas meias cruzes, formam um ponto completo.

Este tipo de tapeçaria portuguesa chama-se Bordado de Arraiolos e surgiu antes do século XVII.

São poucas as pessoas de faixas etárias mais baixas a saberem praticar esta arte, mas quem visita Portugal, fica encantado com as peças finais e não resiste em adquirir pelo menos uma.

A cidade de Alcobaça acolheu a primeira “Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais” emnovembro de 1999.

#9 Doces Conventuais
Os doces conventuais são uma das tradições portuguesas mais antigas e mais apreciadas por todos.

As receitas, algumas secretas, com centenas de anos tornam estas iguarias ainda mais especiais. Alguns acreditam que a origem da doçaria convencional portuguesa foi no século XV, quando o açúcar entrou na gastronomia dos conventos de Portugal.

A lista de doces é longa e abrange várias regiões de Portugal. Algumas das doçarias estão distinguidas a nível nacional e internacional.

#10 Filigrana
A Filigrana Portuguesa é um trabalho artesanal, feito com fios muito finos e pequenas bolas de metal, soldadas de forma a compor uma forma. As peças mais famosas são os corações de Viana.

São uma tradição viva na Região Norte, sendo usadas pelas noivas nos seus vestidos e pelos ranchos folclóricos do Minho, que aplicam estas peças aos seus trajes femininos.

Continuar a Ler