A Cultura Chinesa em Portugal

A Cultura Chinesa tem uma forte presença em Portugal. Descubra o que está por trás destas ligações entre o nosso país e a China.segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Por National Geographic

Ao longo dos últimos anos, as ligações entre a China e os países de língua portuguesa foram-se tornando cada vez mais próximas. Com o desenvolvimento da relação entre ambos os países, o ensino da língua portuguesa começou a ter uma atenção particular das universidades chinesas. No ano de 2000, três universidades abriram o curso de português na China continental. Em 2012 já mais de 30 instituições tinham o mesmo curso de licenciatura.

Duas culturas diferentes que se unem
As diferenças de contexto regional, histórico e mesmo religioso são muito distantes. A cultura chinesa motivou, em 1997, à fundação da Liga dos Chineses em Portugal, na cidade do Porto. A mesma decorre a par do desenvolvimento de ações de âmbito comercial e cultural e, presta apoio de caráter social aos imigrantes chineses, proporcionando-lhes uma integração melhor, mais fácil e harmoniosa na sociedade portuguesa.
No ano de 2003, a elaboração de um estudo sobre os problemas relacionados com o ensino, a saúde e a vida empresarial e associativa da comunidade chinesa em Portugal, elaborado pela Liga dos Chineses em Portugal, contou com o patrocínio do Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas que, para o efeito, celebrou um protocolo no âmbito do apoio anual concedido às associações de imigrantes, bem como dos seus descendentes.

De que forma está presente a cultura chinesa em Portugal?
Atualmente, em Portugal, existe uma vasta oferta da cultura chinesa para quem quiser conhecer a sua cultura, hábitos e tradições. Muito devido ao intercâmbio entre os dois países, hoje em dia é possível frequentar cursos de mandarim, workshops de caligrafia chinesa, aprender danças do dragão e leão e, até, vivenciar as festas do Ano Novo chinês.
Em Lisboa, no ano de 2017, ocorreu o primeiro Fórum Luso-China de Literatura, realizado no Centro de Ciência e Cultura de Macau, onde escritores renomados de ambos os países trocaram os seus pontos de vista acerca de temas como literatura, sociedade e acomodação.
Este fórum surgiu no âmbito do Memorando de Entendimento entre a República Portuguesa e a República Popular da China no Domínio do Livro e da Literatura, assinado no ano de 2015, em Pequim. O objetivo do mesmo prende-se com o apoio à divulgação recíproca da literatura chinesa e portuguesa, seja pelo apoio na tradução de obras literárias, seja pela participação de autores no outro país. A segunda edição ocorreu em junho de 2019.
Ainda no ano de 2017, no 25 de junho, data em que se celebra o Dia da China, a Feira Internacional de Lisboa (FIL) dedicou-lhe a sua edição, com o propósito de ajudar os portugueses a aprender mais sobre a tradição e artesanato chineses.
Na cidade de Lagoa dá-se o “Mercado de Culturas… à Luz das Velas”, um evento cultural que ocorre anualmente e reúne múltiplos eventos da sociedade chinesa. No ano de 2019 contou com a sua 6.ª edição, onde ao longo de quatro noites mais de 60 artesãos de várias culturas convivem de forma harmoniosa, mostrando aos milhares de visitantes as suas tradições, sabores e artes.

Ano Novo Chinês comemorado em Portugal
A par de todos os eventos que vão ocorrendo que traz um pouco da cultura até solo lusitano, o Ano Novo não fica indiferente em todas as iniciativas. “O melhor da China em Lisboa” foi o proposto quando o Museu do Oriente na capital proporcionou a organização deste evento, do qual o Porco foi o animal de destaque para o ano de 2019.
No decorrer do evento foi possível assistir a desfiles, feiras e concertos, na substituição das tradicionais uvas passas, champanhe e badaladas portuguesas. Assim, a 5 de fevereiro, festejou-se o primeiro dia do Ano do Porco que, no zodíaco chinês, representa a inteligência e o poder de observação.
Ainda no Museu do Oriente, ressalta-se a importância do mesmo na fomentação das ligações entre Ocidente e Oriente, Ásia e Portugal como a sua missão. Neste é possível assistir a Ópera Chinesa, frequentar workshops de mandarim, ver exposições de porcelana chinesa, exposições de fotografia da cultura chinesa, frequentar cursos sobre religiões, entre uma vasta oferta de exposições, espetáculos, cursos e conferências.

Por fim, é possível acompanhar todo o intercâmbio entre os diferentes países em vários pontos de Portugal, sendo que tanto as associações promovem eventos diversos também de acordo com o calendário de festejos chinês; como os Institutos Confúcio, que surgiram no ano de 2004 em Portugal como Organização Educacional, visam promover diversos cursos de aprendizagem da língua e cultura chinesa, facilitando o intercâmbio cultural em todo o mundo através de todos os institutos associados e a sua sede, localizada em Pequim.

Continuar a Ler