A Astrologia Chinesa e o Ano do Rato em 2020

A astrologia chinesa representa os seus signos com doze animais e acredita no poder do planeta que rege cada ano. A 25 de janeiro de 2020 inicia-se o ano do Rato de Metal.

Monday, January 20, 2020,
Por National Geographic
A fumaça de fogos de artifício e um dragão a dançar durante o festival de ano ...
A fumaça de fogos de artifício e um dragão a dançar durante o festival de ano novo.
Fotografia de Karen Kasmauski

O ano de 2020 traz consigo o Ano do Rato, segundo o horóscopo chinês anual. Este é um ano de abundância, associado a novas oportunidades e a bons projetos.

Seguido do ano do Porco, surge o ciclo do ano do Rato, que vai de 25 de janeiro a 11 de fevereiro do ano seguinte. Prevê-se, neste ano, que a economia do mundo em geral crescerá.

Astrologia chinesa
Os chineses ancestrais defendiam que os céus podiam influenciar as nossas personalidades, emoções ou as nossas escolhas. Por este motivo, os astros eram considerados muito importantes.

A astrologia chinesa é representada por cinco planetas, que são Vénus, Júpiter, Mercúrio, Marte e Saturno e, também por cinco elementos, que são representados por metal, madeira, água, fogo e terra. Ainda de acordo com a astrologia chinesa, todos os seres humanos possuem uma alma e os signos estão relacionados à experiência espiritual de cada pessoa.

A astrologia chinesa é baseada no calendário e no zodíaco chinês, sendo representado por doze animais: rato, coelho, boi, tigre, dragão, serpente, cavalo, macaco, galo, cabra, porco e cão. Segundo o horóscopo chinês, os doze animais têm nas suas estruturas uma energia fixa, correspondente a um elemento específico.

O rato na astrologia chinesa
Nesta cultura, o rato é visto como um ser apaixonado, ciumento e dominador. É amante da liberdade e tem dificuldade em aceitar os seus próprios erros ou em assumir as suas falhas. Destacam-se as suas principais qualidades como o otimismo, alegria, sociabilidade, independência, entusiasmo e disposição para festas e viagens. Já entre os seus defeitos, encontramos a superficialidade, intransigência, inconstância, ciúme e possessividade.

Deixando o ano de 2019, encerra-se um ciclo de doze anos, que representam os doze signos e, por sua vez, os doze animais da astrologia chinesa. Cada ciclo inicia-se com o rato e termina com o porco.

Segundo a astrologia chinesa, o período que se aproxima promete ser acolhedor, divertido e repleto de bom-humor. Será um ano de alegria em diversas áreas da vida, de muita comunicação com amigos e colegas de trabalho e, para estabelecer boas e novas relações. Entre os ratos, 2020 dá lugar ao Rato de Metal.

A história da astrologia chinesa
Segundo a astrologia chinesa, o homem não controla o seu destino. Este é determinado desde o seu nascimento, pelo alinhamento dos planetas, pelo mês, dia e hora.

A posição dos planetas no céu, bem como a do sol (yang) e da lua (yin) e a passagem de cometas na época do nascimento, influenciam o nosso destino.

A astrologia chinesa possui também cores simbólicas relacionadas com os cinco animais da teoria dos cinco elementos:
- Branco – cor do metal. Relacionado com Vénus e o tigre branco.
- Azul e preto – água. Relacionados com Mercúrio e a tartaruga negra oriental.
- Verde – madeira. Relacionado com Júpiter e o dragão verde oriental.
- Vermelho – fogo. Relacionado a Marte e o pássaro vermelho do sul.
- Amarelo – terra. Em consonância com Saturno e a serpente. Representa o equilíbrio. Cor do imperador.

Segundo a tradição chinesa, quando entramos no ciclo de retorno do nosso signo de nascimento, ofendemos a Tai Sui, o deus do tempo da mitologia chinesa. Para evitar que isso aconteça, dever-se-á utilizar algo vermelho durante todo o ano, oferecido por alguém.

Diferenças entre a astrologia chinesa e a astrologia ocidental
Ao contrário do expectável, existem muitas semelhanças. Ambas se baseiam em três princípios fundamentais que passam por:
- momento de nascimento do indivíduo, que condiciona o seu destino;
- destino de um indivíduo é condicionado pela sua personalidade, formada no momento do seu nascimento;
- curso do destino de um indivíduo está relacionado à presença ou não das estrelas num ou noutro sector da sua vida.

Ambas as astrologias têm doze signos. Enquanto a ocidental determina o signo pelo mês de nascimento, que varia com a chegada da lua nova, na astrologia chinesa, os signos são determinados pelo ano de nascimento.

Tanto na astrologia chinesa como na ocidental, os planetas devem intervir no momento do nascimento e durante toda a vida do indivíduo.

Enquanto na astrologia ocidental é a lua nova que determina a passagem de um signo para o outro, na chinesa, são os meses que criam os signos lunares.

 

Continuar a Ler