Meio Ambiente

As Criaturas que se Escondem Debaixo das Calotas de Gelo da Gronelândia

As águas geladas da Gronelândia albergam um florescente habitat aquático para as criaturas que fazem dele a sua casa.quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Por Hannah Lang

A partir da superfície, as vastas calotas de gelo que envolvem a cidade de Tasiilaq, na Gronelândia, parecem paradas e silenciosas, não se vislumbrando nenhum sinal de vida, o que até pode ser expectável num ambiente com -2° Celsius.

Mas o realizador de filmes subaquáticos Alexander Benedik conseguiu registar em vídeo um ecossistema secreto abrigado nas águas frias debaixo das calotas de gelo.

O vídeo, realizado num mergulho no dia 17 de abril, revela vibrantes criaturas marinhas que fizeram das gélidas águas setentrionais o seu habitat — entre as quais se contam uma medusa-do-Ártico transparente, um cintilante camarão (Caprellidae) e um nudibrânquio, ou molusco desprovido de concha.

O nudibrânquio tem ciclos de vida rápidos que é frequente durarem apenas algumas semanas, o que pode transformá-los em criaturas esquivas para os investigadores que procuram estudar o seu comportamento.

Biologicamente, as águas frias são as segundas zonas mais férteis do mundo, depois dos corais. No entanto, nem toda a gente pode mergulhar até às profundezas destas águas para testemunhar a vida marinha em primeira mão. A Gronelândia exige que os mergulhadores sejam certificados e tenham experiência de mergulho em fato seco ao longo do ano anterior.

Benedik, que tem 42 anos, faz mergulho desde 1998 e vídeos subaquáticos desde 2008. Dirige a Global Dive Media, que dispõe de vídeos de mais de 50 mergulhos em mar profundo.

Continuar a Ler