Meio Ambiente

Um Vídeo Dramático Mostra o Momento em que um Tsunami Mortífero Atinge a Gronelândia

Um terramoto foi registado quando surgiu a tempestade, mas os geólogos acreditam ter sido um deslizamento a causa do tsunami mortífero.quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Por Sarah Gibbens

O vídeo da Gronelândia mostra um forte tsunami a atingir uma parte não habitada da costa ocidental da ilha. Este desastre que devastou a ilha no passado dia 17 de julho matou presumivelmente quarto pessoas, deixou dezenas de pessoas feridas e destruiu 11 casas que foram arrastadas da região remota localizada perto de Nuugaatsiaq, uma pequena vila.

O vídeo filmado pelos meios de comunicação da Gronelândia mostra as águas turbulentas, cinzentas, a invadirem as costas rochosas circundantes. Barcos e outros destroços foram arrastados para terra pela força das ondas. Trinta e nove pessoas foram evacuadas da zona, que contava, à altura dos mais recentes censos, com 84 habitantes.

São raros os vídeos com tsunamis, já que estes fenómenos ocorrem normalmente de forma repentina e inesperada. Há registo de tsunamis que atingiram a velocidade de cerca de 800 km por hora — a velocidade de um avião a jato.

A maioria destes desastres naturais são causados por terramotos subaquáticos, e, de facto, foi registado um terramoto de magnitude 4,0 na região, na noite do tsunami. Os terramotos glaciares na região ártica da Gronelândia causados pela abertura de fendas nos lençóis gigantes de gelo aumentaram com o degelo. Contudo, terramotos ao longo da costa oeste da região são raros. Porém, alguns geólogos defendem a teoria de que um poderoso deslizamento, que criou uma rutura na ilha, tenha ocorrido momentos antes de o tsunami a ter atingido e que pode ter sido isso que deu origem ao evento.

Um deslizamento de uma massa com mais de 914 metros de comprimento e com 274 metros de largura desabou de um penhasco no Karrat Fjord, a sul do local onde o tsunami atingiu a ilha. Num artigo para o blogue da União de Geofísica dos Estados Unidos, The Landslide, Dave Petley, o pró-vice-reitor da Universidade de Sheffield, escreveu que a origem do tsunami ainda estava por determinar:

“Ainda não é claro para nós se este deslizamento foi causado pelo terramoto registado, ou se o evento sísmico foi uma consequência deste deslizamento. Pressinto que a última formulação é a mais provável, mas esperamos mais pormenores dos sinais sísmicos para saber.”

Um vídeo onde se vê o penhasco côncavo mostra-nos que o deslizamento originou a queda de uma grande quantidade de pedras no mar. Ao aceder às imagens, Petley determinou que a massa que ruiu com o deslizamento era profunda e em grande quantidade. Foi descoberto outro declive instável adjacente ao local do deslizamento, que deixou os geólogos preocupados. O Comando Conjunto Estratégico do Ártico, que liderou a missão de busca e salvamento, também alertou para a possibilidade de outro deslizamento perigoso.

As embarcações da marinha destacadas para aquela área vão continuar a monitorizar esse declive, e estarão atentos a sinais de outro possível desabamento.

Conhecer os sinais que indiciam a ocorrência de um tsunami pode significar a diferença entre a vida e a morte.

Continuar a Ler