Porto Acolhe Climate Change Leadership Porto Summit 2018

Barack Obama visita a cidade invicta para falar das alterações climáticas e lançar o Porto Protocol.

Friday, June 29, 2018,
Por National Geographic
Climate Change Leadership Porto Summit 2018
Climate Change Leadership Porto Summit 2018

A Climate Change Leadership Porto Summit 2018 vai reunir no Porto nomes como Barack Obama ou Mohan Munasinghe para falarem das alterações climáticas e das melhores formas de mitigar os seus riscos e de adotar políticas de responsabilidade ambiental no planeta.

A National Geographic falou com Adrian Bridge, diretor-geral da Fladgate Partnership (dona de marcas de vinho Taylor’s, Croft, Fonseca e Krohne) e um dos principais impulsionadores da cimeira – e ainda responsável pela criação do Porto Protocol, uma iniciativa que visa semear nas pessoas e empresas a vontade de fazerem mais pelo meio ambiente, assumindo posturas e estratégias que permitam mitigar as alterações climáticas. Além de fomentar abordagens ambientalmente mais conscientes, o Porto Protocol quer colocar as empresas a falarem umas com as outras, partilhando ideias e boas práticas e combatendo a falta de estímulos que não permite a sua adoção em concreto. Adrian Bridge sublinha que "não há necessidade de reinventar práticas se as boas iniciativas forem partilhadas", iniciativas que muitas vezes são aplicadas em indústrias específicas nas quais ficam confinadas por falta de encontros para partilha de ideias. Um desses encontros é precisamente a Climate Change Leadership Porto Summit 2018.

Adrian Bridge não esconde as expectativas para a conferência do próximo dia 6 de julho. "Queremos que se fale sobretudo de soluções, e não apenas dos problemas", esclarece. A Climate Change Leadership Porto Summit 2018 é um "passo na direção certa" e a presença de Barack Obama testemunha a sua relevância no cenário global de combate às alterações climáticas. De resto, o ex-presidente Norte-Americano vai fazer apenas dois discursos na Europa este ano – e um deles é na cimeira do Porto. Juntamente com Mohan Munasinghe, (ex-vice-presidente do IPCC, vencedor do Prémio Nobel da Paz em 2007 e detentor de um profundo conhecimento dos mais recentes avanços científicos na área das alterações climáticas), Irina Bokova (ex-diretora geral da UNESCO) e Juan Verde (presidente da Advanced Leadership Foundation e especialista em green economy), Obama confere com o seu reconhecimento internacional e com as suas responsabilidades no Acordo de Paris uma importância inegável à cimeira que a cidade do Porto se prepara para acolher.

A SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

Adrian Bridge na apresentação da Climate Change Leadership Porto Summit 2018.

Não basta colocar o tema das alterações climáticas em cima da mesa. Para que haja ações, é necessário que as empresas compreendam as implicações no seu negócio. Em Portugal, o Douro secou este ano durante três semanas, obrigando as empresas do setor do vinho do Douro a uma inteligente gestão da água disponível. Passado algum tempo, e em apenas uma hora, choveu na região de Pinhão 12% do registo anual de precipitação para aquela zona geográfica. Em algumas quintas, esse valor e o granizo foram os argumentos necessários para destruírem a produção anual. Serve o exemplo para demonstrar como as alterações climáticas interferem profundamente no negócio das empresas. E quando o negócio é familiar – como na maioria dos casos de nas vinhas do vale do Douro – essas alterações podem colocar em causa muito mais do que apenas a vindima de um ano. Além disso, são argumentos abrangentes e que afetam todas as empresas e famílias. O granizo não escolhe alvos com precisão, deixando incólume uma quinta no meio de várias outras por ele visadas. "O problema do meu vizinho é também o meu problema", relembra Adrian Bridge.

"As empresas querem ideias que comprovadamente funcionem, querem ter certezas", explica à National Geographic, sublinhando ainda a necessidade de haver uma ligação entre a estratégia empresarial e os seus colaboradores. Nos dias que correm, as empresas têm o público externo, mas também contam com um público interno. "Os millennials querem trabalhar em empresas responsáveis", afirma Adrian Bridge, "pertencer a companhias ambientalmente conscientes e com responsabilidade corporativa assumida".

A National Geographic Partners Portugal é Official Digital Partner da Climate Change Leadership Porto Summit 2018.

O QUE É O PORTO PROTOCOL?

O Porto Protocol é um movimento voluntário que visa fomentar uma conduta mais responsável nas empresas. Apresentado na Climate Change Leadership Porto Summit 2018, este compromisso escrito coloca às empresas metas individuais no âmbito das alterações climáticas. Cabe a cada empresa definir o seu compromisso aquando da assinatura do protocolo. A iniciativa assume-se ainda como um agente de partilha de ideias e experiências, com o objetivo de divulgação de boas práticas e de políticas de sustentabilidade que sejam viáveis e ambientalmente responsáveis. Além do lançamento do protocolo no dia 6 de julho na Climate Change Leadership Porto Summit 2018, várias empresas da fileira do Vinho vão assinar o protocolo na conferência Climate Change Leadership Porto – Solutions for the Wine Industry, que terá lugar nos dias 6 e 7 de março de 2019. A adesão ao Porto Protocol não tem custos para as empresas.

Continuar a Ler