Conhece Estes Benefícios da Cortiça?

A cortiça, tão tipicamente portuguesa, é um material extremamente versátil. Ao longo dos anos tem sido utilizado para bem mais do que rolhas, desde decoração até roupa, e percebeu-se que as suas aplicações são muitas e de grande utilidade.quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Por National Geographic

De uma forma geral, o processo de extração de cortiça não é desconhecido dos portugueses. Primeiro separa-se a casca do sobreiro, e procede-se à desbóia – a primeira extração de cortiça – que só se realiza quando o sobreiro já tem cerca de 25 anos.

Esta cortiça virgem, por ser mais grossa e menos maleável, é frequentemente usada em pavimentos. Passados nove anos, ocorre novo descortiçamento do qual se extrai a cortiça secundeira. Mais nove anos volvidos, dá-se o terceiro descortiçamento, e finalmente extrai-se a cortiça chamada amadia. Este tipo de cortiça, mais madura, é o que se vai extrair daí em diante, com cortes cuidados e certeiros no tronco do sobreiro, feito por profissionais e à mão, sem ferir a árvore.

Após este processo, as pranchas de cortiça dão deixadas em repouso por seis meses, no mínimo. Depois de estabilizada, é tratada e transformada, e chega então às nossas casas sob a forma de, maioritariamente, rolhas de garrafas.

E, apesar de Portugal ser o maior exportador mundial de cortiça – só o nosso país exporta mais de 60% da cortiça consumida a nível mundial - e de esta fazer parte da nossa história e cultura, será que conhece todos os benefícios?

A Cortiça e as Alterações Climáticas

A extração de cortiça tem efeitos substanciais na absorção de dióxido de carbono – um dos gases responsáveis pelo efeito de estufa e consequentes alterações climáticas.

De facto, os sobreiros descortiçados absorvem 3 a 5 vezes mais dióxido de carbono que árvores não descortiçadas. As estimativas apontam para cerca de 10 milhões de toneladas de CO2 absorvidos anualmente pelos sobreiros em Portugal, além de que estes são também importantes produtores de oxigénio.

Fonte Sustentável e Amiga do Ambiente

Para obter cortiça não é preciso abater ou cortar nenhuma árvore, neste caso, os sobreiros. A cortiça é extraída – processo que se chama “descortiçar” - da árvore viva, a cada nove anos, aproximadamente.

Sempre que a árvore é descortiçada, a cortiça vai regenerando no período de descanso e, ao fazê-lo, absorve-se muito CO2. Além disso, os sobreiros vivem até aos 300 anos.

Já conhece a árvore mais antiga da Europa?

É Natural, Ecológica, Biodegradável, Renovável e Reciclável!

Por nascer em árvores e necessitar de corte ou abate, a cortiça é natural e ecológica. Além disso, é um material que se biodegrada completamente e pode ser reciclado sem produção de tóxicos e poluentes. A sua extração dos sobreiros também não envolve necessidade de utilização de nenhum material tóxico, e renova-se naturalmente a cada década.

Conheça o país mais sustentável do mundo.

A Cortiça Respeita a Fauna e Flora

Sabia que as florestas de sobreiros, chamadas montados de sobro, são consideradas hotspots de biodiversidade? E que estão entre os melhores da Europa e do Mediterrâneo?

Os montados portugueses conseguem abrigar mais de cem espécies de plantas e 40 de pássaros, estando algumas ameaçadas, como a Cegonha Preta e o Lince Ibérico. O montado de sobro é um de apenas 35 hotspots ecológicos, a par da Amazónia ou Madagáscar, a desempenhar funções importantes na conservação do solo, qualidade da água e produção de oxigénio.

Veja o que pode fazer para ajudar estes 6 animais ameaçados.

Propriedades Benéficas para a Saúde?

As rolhas de cortiça, que estamos tão habituados a ver, são mais saudáveis para a saúde humana do que as de plástico ou metal. Além de ajudarem a conservar as propriedades do vinho, também não libertam tóxicos como os seus primos de plástico, nem alteram características como composição, sabor e aroma.

Estudos recentes revelaram que o contacto da rolha de cortiça com o vinho pode levar à formação de compostos antioxidantes e com propriedades anticancerígenas que se pensa terem ação benéfica no combate a doenças cardíacas e degenerativas. E esta?

Além disso, parte dos desperdícios da indústria da cortiça são usados na indústria farmacêutica. Destes subprodutos extraem-se compostos que são aplicados em vacinas e que melhoram a resposta do sistema imunitário.

Pode Ser Uma Aliada ao Combate aos Incêndios

A cortiça arde? Sim, mas lentamente e sem criar chamas. Sendo de combustão lenta, a cortiça não propaga o fogo, protegendo os materiais e plantas à sua volta e, como se não fosse suficiente, o fumo resultante da queima não liberta gases tóxicos!

Também os sobreiros são considerados barreiras naturais anti-incêndio nas florestas. A casca dos sobreiros (que reveste a cortiça no seu habitat) não arde facilmente. Assim, os sobreiros e outras árvores altamente resistentes ao fogo são designados pirófitos passivos.

Serão os incêndios da Europa provocados pelas alterações climáticas?

A Cortiça pode ser Utilizada para Produzir Energia?

Surpreendentemente, sim! E energia verde! O pó de cortiça é usado para produzir biomassa, sendo esta uma fonte de energia neutra em termos de emissões de CO2.

De facto, muitas das fábricas transformadoras de cortiça usam este pó e geram uma grande parte da energia consumida nestes sítios.

É Um Excelente Material para Construção

Mas porquê? A cortiça é um isolante térmico e acústico muito bom, podendo ser usado em revestimentos em que haja necessidade de reduzir as perdas de calor ou de isolamento acústico.

Além disso é muito pouco permeável a gases e líquidos, e extremamente duradoura, flexível, com alta compressibilidade. Além disso é muito leve e altamente resistente à humidade, pelo que é muito difícil que apodreça.

Com todas estas características, aliadas aos imensos benefícios ambientais da cortiça, como não gostar deste material tão português?

Continuar a Ler