Governo Português Limita Uso de Plástico

A medida do governo português pretende reduzir o consumo de plástico através da proibição da utilização de garrafas, sacos e louça de plástico na Administração Pública.quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Por National Geographic

Dia 18 de outubro foi aprovada a proibição da utilização de garrafas, sacos e louça de plástico, na administração direta e indireta do Estado. Além disto, o governo pretende reduzir em 25% o consumo de papel e consumíveis. Estas ações reforçam o pacote de medidas para minimizar os impactos da poluição proveniente dos compostos sintéticos.

O plástico é um material polimérico sintético utilizado como matéria-prima para a fabricação de muitos produtos. A palavra plástico tem origem na palavra grega plastikós e exprime a característica moldável deste material quando é exposto a alterações de pressão, calor ou reações químicas. Segundo um estudo de 2015, 91% do plástico não é reciclado.

A cada segundo que passa são produzidos 9.5 kg de plástico. O plástico é maioritariamente utilizado em embalagens, na construção, no setor automóvel e em equipamentos eletrónicos. Metade do plástico que utilizamos é descartável, sendo que este material demora 500 anos a degradar-se. A estes números acrescem os 13 milhões de toneladas de plástico deitados anualmente no oceano.

Em Portugal são produzidas 77 mil toneladas de plástico todos os anos - o equivalente a 222 kg por habitante, 75 kg acima da média europeia. Recorde-se que em 2015, foi introduzida a aplicação da taxa aos sacos de plástico leves o que se traduziu numa redução de 40 (em 2014) para 8 sacos por pessoa, no ano passado. Os sacos de plástico podem ser fatais para as espécies marinhas – como o caso da baleia encontrada com 80 sacos do lixo no seu estômago, no sul da Tailândia.

No nosso país foi noticiado que há brinquedos feitos a partir de plástico tóxico, contaminado através da reciclagem de plásticos com elevadas concentrações de químicos (como os equipamentos eletrónicos). Contudo, os efeitos do contacto com o plástico ainda não são totalmente claros. Sabe-se que este material tem impacto na tiroide e no desenvolvimento neurológico. Além dos brinquedos, foram encontrados acessórios de cabelo e utensílios de cozinha com uma grande quantidade de químicos.

Nas praias portuguesas, 70% do lixo é microplástico. Qualquer resíduo descartado ou abandonado pode tornar-se lixo marinho. Os objetos encontrados mais frequentemente nos areais portugueses são cotonetes, filtros de cigarros, redes de pesca, palhinhas e detritos de embalagens. A poluição plástica ameaça a vida animal, a pesca e o sector do turismo. Já há estudos que indicam que em 2050 os oceanos poderão ter mais plástico do que peixe. A defesa do nosso planeta tem de passar por uma adaptação da nossa economia. Os efeitos e os riscos já são evidentes. O momento dos sinais de alerta já passou.

 

Saiba mais sobre a campanha da National Geographic – ‘Planeta ou Plástico?’ e leia todos os nossos artigos sobre este tema.

Continuar a Ler