Esta é a Lista das Espécies Perigosas em Portugal

Portugal é um dos países que apresenta menos espécies perigosas, contudo, a lista não é assim tão pequena. Conheça as mais perigosas.quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Por National Geographic

Portugal é o habitat de algumas espécies perigosas, apesar de ser um dos países com o menor número. Da flora à fauna, algumas das espécies podem oferecer grande perigo para os humanos, especialmente para as crianças e idosos ou doentes crónicos e com hipersensibilidade, incluindo traumatismos irreversíveis e até a morte.

Conheça a lista com algumas das espécies mais perigosas em Portugal, que inclui animais, vegetais e até fungos.

Espécies venenosas e potencialmente letais
No grupo de ofídios, as atenções viram-se para a Víbora-cornuda e para a Víbora-de-seoane. Com apenas uma mordida destas duas cobras, na região da cabeça, pescoço ou tórax pode causar graves danos, especialmente a crianças, idosos e doentes crónicos. Os sintomas podem ser vários e com níveis de gravidade distintos, desde uma dor local, a taquicardia, hipotensão, raramente, morte por infeção ou hemorragia.

Os cogumelos também fazem parte da lista de espécies perigosas em território nacional, sendo consideradas venenosas e potencialmente letais. O Chapéu-da-morte, Anjo-destruidor-europeu e Anjo-da-morte, logo pelos nomes atribuídos indicam que podem trazer graves problemas para a saúde do ser humano.

Nas primeiras horas de ingestão destes fungos, ocorrem normalmente náuseas, vómitos, diarreia, hipotensão, desequilíbrio. Entre as 24 e 48 seguintes, podem surgir sintomas gastrintestinais e degeneração das funções dos rins e do fígado, sendo estes danos irreversíveis e levar à morte, em situações mais graves.

No que diz respeito a plantas, podemos encontrar várias espécies perigosas. Destacamos a Cicuta e a Dedaleira.

A primeira existe espalhada por todo o país, pelo que merece especial atenção. Uma vez que toas as partes da planta são extremamente venenosas por causa da cicutina que a compõe, apresenta inúmeros perigos aquando ingerida. Ardor na boca, vómitos, paralisia progressiva dos músculos, convulsões e paragem cardiorrespiratória são alguns deles.

A Dedaleira também pode ser encontrada em todo o país, mas a Serra da Estrela (e o Parque Natural de Sintra-Cascais, em menor quantidade) é o seu habitat preferido. Se está a pensar viajar até lá, preste atenção e não se deixe seduzir pela beleza desta planta!

Apesar ser utilizada para fins medicinais, o seu consumo desinformado e em alta dosagem pode ser letal, devido ao veneno que possui. Alguns dos sintomas podem passar por ardor na boca e garganta, vómitos, náuseas e, em casos agravados, paragem cardiorrespiratória.

Espécies Traumatogénicas
As espécies traumatogénicas são potencialmente letais devido à suscetibilidade de ataques deliberados.

De todos os mamíferos, destacamos o Lobo-ibérico, também conhecido como Canis lupus signatus, que se encontra em vias de extinção e foi um dos animais portugueses fotografado por Joel Sartore. Este animal pode ser encontrado essencialmente no Minho, em Trás-os-Montes e na Beira Alta.

Pode pesar até 40kg e a sua mordedura pode causar lesões traumatogénicas graves, ou fatais. Contudo, em Portugal os registos dos seus ataques estão essencialmente ligados a gado, e não a humanos, de acordo com o Life MedWolf.

Quanto aos peixes, a Moreia-pintada e a Moreia-preta, geralmente existentes na Costa de Portugal Continental, Açores e Madeira, também podem causar lesões traumatogénicas.

As mordeduras destes dois peixes podem dar origem a ferimentos grandes, dolorosos e, até mesmo, irreversíveis.

Espécies potencialmente perigosas
Desde aracnídeos, quilópodes, peixes, insetos e cnidários e Equinodermes, são várias as espécies potencialmente perigosas em Portugal.

Dentro dos aracnídeos, as atenções vão para a famosa Viúva-negra-mediterrânica, que predomina a região do Alentejo e Algarve, especialmente nas zonas rurais. O veneno desta aranha é transmitido para si através de uma picada e pode atingir vários níveis de gravidade, que vão desde dor intensa, cãibras, rigidez muscular, dificuldade respiratória, hipertensão, choque e até morte.

Dentro do grupo de quilópodes, encontramos as centopeias mediterrânica e comum. Uma picada desta espécie possui veneno de baixa toxicidade para os seres humanos, mas que provoca dores intensas, vermelhidão e edema. Das duas, a centopeia-comum é a menos perigosa.

Na categoria dos peixes, cnidários e equinodermos, temos vários animais perigosos, incluindo o peixe-aranha, a caravela portuguesa e os ouriços do mar.

O peixe-aranha não é um animal agressivo e as suas picadas são o resultado de qualquer ataque que eles sintam por parte do ser humano, normalmente quando são pisados. Posto isto, a zona dos pés é a região mais afetada do corpo.

Se for picado por um peixe-aranha, é comum que sinta uma dor intensa no local que sofreu o ataque, vermelhidão, dormência, náuseas, dores de cabeça, cólicas ou tremores.

A caravela portuguesa, tal como as alforrecas, com as suas picadas, transmite um veneno tóxico para os seres humanos, deixando-os com dores, caibras, queimaduras e bolhas. Para pessoas com hipersensibilidade, os danos podem ser mais graves, com risco de vida.

O ouriço do mar é um equinoderme que também afeta os seres humanos com um veneno de baixa toxicidade, através de picadas. Raramente causam sintomas, mas os seus espinhos são bastante dolorosos e muito difíceis de retirar do corpo.

A lista completa possui ainda mais espécies do que as mencionadas no artigo e pode sofrer alterações a qualquer momento, devido ao perigo de extinção de alguns dos animais e plantas, por exemplo.

Continuar a Ler